Início » Internet » Streaming derrota canais de TV aberta e só perde para Globo

Streaming derrota canais de TV aberta e só perde para Globo

Record, SBT, RedeTV e Band registram menos audiência que YouTube, Netflix, Globoplay e outros serviços

Lucas Braga Por

A gente já sabe que os serviços de streaming estão cada vez mais populares, e a competição chegou até mesmo na TV aberta. Dados do Ibope revelam que a audiência somada de conteúdos online — incluindo Netflix, Amazon Prime Video e Globoplay — é maior que da Record, SBT, Band e RedeTV, ficando atrás apenas da TV Globo. No mês passado, as transmissões por internet já haviam ultrapassado canais de TV por assinatura.

TV 4K Samsung TU8000 Crystal UHD - Review

Os dados foram revelados por Ricardo Feltrin, colunista do UOL. O aparelho do Ibope (peoplemeter) considera serviços como Netflix, YouTube, Amazon Prime Video, Globoplay, PlayPlus, sites de conteúdo adulto, entre outros, desde que sejam assistidos por uma televisão.

Streamings feitos por computadores, tablets ou celulares não são registrados. A pesquisa também não mensura transmissões piratas de TV, com estimativa de 4 milhões de decodificadores ilegais.

Esse é o ranking de audiência entre 7h da manhã e meia-noite. Cada ponto corresponde a 250 mil domicílios das maiores 15 regiões metropolitanas do Brasil, e o share representa o total de televisores sintonizados:

Ranking Pontuação Share
1º lugar: Globo 15 pontos 32,6%
2º lugar: Streaming 7 pontos 15,1%
3º lugar: TV paga 6,3 pontos 13,7%
4º lugar: Record 5,5 pontos 12%
5º lugar: SBT 5 pontos 10,8%
6º lugar: Band 1,5 pontos 3,2%
7º lugar: RedeTV 0,6 pontos 1,4%

TV por assinatura tem queda nos acessos

O Brasil possuía 15,2 milhões de acessos de TV paga em maio de 2020, de acordo com a Anatel. São cerca de 100 mil assinaturas a menos que no mês anterior e retração de 1,7 milhão que o mesmo período de 2019.

A popularização de acessos de banda larga (sobretudo com o crescimento de pequenos provedores) acaba impulsionando o aumento na audiência do streaming. Já não faz mais tanto sentido pagar centenas de reais por pacotes com canais indesejados e programação repetida.

Com informações: UOL

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André Noia (@Andre_Noia)

Eu não entendi esse agrupamento. Soma a audiência de todos os streamings pra comparar com canais de TV aberta separadamente? Não faz sentido. Deveria avaliar algo como Netflix tem mais audiência do que a Band, Record ou SBT. E assim por diante.

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Band, sbt, Record e rede TV são todos lixos. SBT já foi bom com as novelas mexicanas, da década de 90. Também com os filmes que passavam no Cinema em Casa. É raro eu assistir à TV aberta.

Ialli (@Ialli)

O Streaming nos permite escolher quais séries e filmes nos agradam mais, temos autonomia, algo prejudicado quando se fala em TV por assinatura, na qual os proprietários da mesma que escolhem o que os clientes irão assistir. Ainda por cima a TV por assinatura é financeiramente menos acessível. Esse e outros fatos pesam muito na hora de decidir!

Douglas Amorim (@Douglas_Amorim)

Serve pra mostrar que tem mais gente consumindo conteúdo por demanda na internet do que canais específicos. Como se a internet fosse um canal. É uma análise valida, ajuda a mostrar pq canais como SBT e Record tem caído (e até mesmo a Globo). Na internet tem conteúdo muito mais interessante e diversificado.

Marcelo (@Marcelo3M)

A Globo é líder de audiência na TV aberta, dona de grande parte dos canais de TV paga, no tocante do streaming tem o Telecine Play e está tentando se adaptar com o Globo Play.

Perdoem o trocadilho, mas realmente é uma empresa antenada.

Daniel Pita (@danielpita)

Aqui em casa tem a assinatura da Netflix pra geral, eu Assino o Amazon Prime (e aí rola o Prime Video), além de usar o YouTube e GloboPlay (quando rola uma novelinha esperta ou jornal). Tudo isso no Fire Tv Stick. Basicamente eu consegui contornar o fato de não ter uma TV no quarto e uso o monitor como tal. Meu irmão faz o mesmo uso (só que direto do PC).

Ou seja, basicamente a gente substituiu os canais abertos por streaming. Faz sentido a comparação, porque quem opta por uma alternativa à tv aberta, que não seja contratar alguma operadora de canais fechados, acaba usando tudo junto mesmo, se não o conteúdo fica limitado. Pelo menos pra mim funciona dessa forma.

João Luiz G (@Joao_Luiz_Gomes_Silv)

“…desde que sejam assistidos por uma televisão.”
Olha a pegadinha. Tiraram tablets, smartphones e computadores…

Marcelo (@Marcelo3M)

Pois é, como empresa e independente do conteúdo que ela exibe, a Globo tem se mostrado a única que está preocupada com a sobrevivência em um mundo de streaming.

Alex (@wuhkuh)

Vocês me prometeram que a Globo tava acabando! O auge é que o streaming dela tá na conta!

@ksio89

Bem Mandrake essa pesquisa, já que não contabilizaram smartphones/tablets e nem desktops/laptops. Se fossem contados, acredito que teriam passado a Globo tranquilamente.

CAV (@cav)

Nenhuma mídia deve ser menosprezada.
A TV Aberta ainda tem o seu apelo, assim como a TV Paga, e o streaming.
Essa onda do streaming não vai muito longe com essa pulverização de serviços.
O streaming de amanhã está caminhando pra ser a TV Paga de hoje.

@ksio89

Mesmo com a balcanização, streaming é um caminho sem volta. Além do preço muito mais baixo e da escolha sobre o conteúdo a ser consumido, existe outro grande trunfo, que é não haver fidelidade e nem burocracia para cancelar assinatura de streaming como há na TV paga, tornando trivial a alternância entre os diversos serviços.

Gilberto Martins (@Kowalsky)

A empresa tem perdido espaço a passos largos. O exemplo do futebol foi um grande indicador diosso. As novelas, um dos seus pontos fortes, têm ficado cada vez menos atraentes. Quando a empresa passou a demonstrar parcialidade política em seu conteúdo jornalístico, mostrando algumas matérias que (em alguns casos) eram integral ou parcialmente desmentidas em questões de minutos por influenciadores na Internet, a empresa viu sua audiência despencar.

Claro, nas cidades mais afastadas dos grandes centros ela impera. Entretanto, os anunciantes fazem suas propagandas mirando grandes centros em detrimento a estas cidades menores. Ou seja, anunciantes estão gerando menos receita para a empresa. E para piorar, grandes nomes estão deixando a empresa, voluntariamente ou não. Quem imaginou que o grande Didi Mocó seria dispensado?

E como já foi dito acima, podemos a qualquer momento assistir o noticiário, quantas vezes quiser, ao invés de só ser “atualizado” nos horários dos grandes telejornais. Da mesma forma, meus filmes preferidos estão agora em um catálogo, e os posso reassistir quantas vezes quiser e no meu horário, diferente das TVs por assinatura, que estão vendo suas receitas diminuir em um passo cada vez mais rápido.

Creio que a TV aberta ainda viverá. Mas com uma parcela muito pequena da população.

Gilberto Martins (@Kowalsky)

Isso foi bem intrigante. Teria sido por motivos técnicos ou o brasileiro começa a aprender a usar seu Mobile como uma TV de bolso?

Exibir mais comentários