Início » Aplicativos e Software » Amazon pede para funcionários removerem TikTok por “segurança”

Amazon pede para funcionários removerem TikTok por “segurança”

Funcionários terão que desinstalar TikTok de celulares que acessam serviço de e-mail da Amazon

Emerson Alecrim Por

Funcionários da Amazon foram surpreendidos nesta sexta-feira (10) com uma exigência inusitada: via e-mail, a companhia pediu para que eles removam o TikTok de seus celulares. O motivo alegado? Evitar problemas de segurança.

O que é TikTok / Unsplash / Kon Karampelas

Não de qualquer celular. O TikTok deve ser removido de todo aparelho que tiver acesso ao serviço de e-mail da Amazon. Se a remoção não for feita, o funcionário simplesmente não poderá acessar as suas mensagens a partir do aparelho. O acesso ao TikTok passa a ser permitido apenas via laptop, no navegador de internet.

No comunicado, a empresa afirma que a decisão é uma medida de segurança. Não ficou claro exatamente quais riscos a Amazon quer evitar com o banimento do TikTok, mas chama atenção o fato de a decisão ter sido tomada na mesma semana em que o governo dos Estados Unidos admitiu ter intenção de banir o serviço.

No mês passado, o TikTok foi incluído em uma lista de 59 aplicativos chineses banidos pela Índia: oficialmente, o país acredita que esses apps estejam sendo usados como ferramentas de espionagem do governo chinês. O governo dos Estados Unidos manifestou preocupação semelhante.

Não é de hoje que o TikTok é alvo de preocupações ou acusações relacionadas à segurança. No final de 2019, por exemplo, o aplicativo foi banido pela Marinha dos Estados Unidos.

Em uma tentativa de evitar que as tensões políticas entre China e Estados Unidos prejudiquem o boom de usuários que o TikTok vem experimentando, a chinesa ByteDance (empresa responsável pelo serviço) adotou uma série de medidas no decorrer do ano. Entre elas está a contratação do americano Kevin Mayer, executivo que liderou a criação do Disney+, como CEO da plataforma.

Amazon

Mesmo com essas medidas e as recorrentes afirmações de que o TikTok não fornece dados para o governo chinês, a ByteDance vem enfrentando dificuldades para diminuir as “hostilidades” contra a plataforma. A decisão da Amazon surge como mais um capítulo dessa novela.

Procurada pelo The Verge, um representante do TikTok se mostrou surpreso com a medida, mas disse que a empresa está disposta a prestar esclarecimentos: “apesar de a Amazon não ter se comunicado conosco antes de enviar o e-mail [aos funcionários] e de não entendermos quais são suas preocupações, estamos abertos ao diálogo para tratar do problema”.

Com informações: The New York Times.

Atualização em 11/07/2020 às 11:00: horas depois da publicação da notícia, a Amazon divulgou uma nota confirmando o envio do e-mail aos funcionários. No entanto, a companhia declarou que a mensagem foi emitida por engano: “não há mudanças em nossas políticas com relação ao TikTok no momento”.

Se foi mesmo um engano, que engano curioso, não?

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

João Almeida (@Joao_Almeida)

Há alguma evidência disso? Até o momento não vi ninguém apontando nada, só os achismos.

² (@centauro)

Postei dois link em outro tópico que falam a respeito:

Bruno (@Unknown)

Nem precisa, já existe uma quantidade grande o suficiente de problemas de privacidade relacionado a softwares chineses. Qualquer coisa que vem de lá já levanta duvidas.

O zoom é um bom exemplo.

Matheus Alexandre (@matheusalexandre)

A Amazon fez bem! O TikTok provavelmente diminui o nível de QI dos usuários em estimados 3 pontos percentuais.

Danillo Nunes (@danillonunes)

O Zoom de fato é um bom exemplo, mas ele é americano.

Paulo Manso (@paulo1manso)

Acho engraçado que qualquer aplicativo Chines que faça sucesso logo vem as preocupações com segurança… mas nunca se preocupam com aplicativos americanos que rastreiam tanto quanto os chineses haha

Bruno (@Unknown)

Talvez não, existe uma questão interessante e talvez controversa sobre o ZOOM, na verdade o dono é um Chinês apesar da empresa estar instalada nos EUA (o que teoricamente não seria um problema), suas ligações a com a China deixa dificil defender que é uma empresa baseada na america.
Aquela polemica em torno do conteudo das chamadas que passavam por dentro de redes chinesas deu o que falar e se entende que o ZOOM pode ser americano só no papel, apesar do CEO negar.

² (@centauro)

Bom, atualizaram a política (ou a notícia, já que alegam que o email foi “mandado por engano”) e reverteram o banimento.
O link pro The Verge no post já foi atualizado:

Emanuel Schott (@Emanuel_Schott)

Lá vem o inteligentão que se acha o próprio Einstein porque não usa aplicativo popular.

Vítor Gomes (@vctgomes)

O Facebook e Instagram são tão espiões quanto e não vejo ninguém pedindo pra desinstalar.