Início » Negócios » Claro mantém receita estável no 2° trimestre mesmo com pandemia

Claro mantém receita estável no 2° trimestre mesmo com pandemia

Claro adiciona clientes no pós-pago e teve alta na receita móvel. Operadora iniciou serviço por fibra óptica em 70 municípios

Lucas Braga Por

A Claro divulgou os resultados financeiros do 2° trimestre de 2020 e manteve a receita estável quando comparada ao mesmo período do ano anterior, atingindo R$ 9,61 bilhões. Houve aumento de 0,14%, mesmo com a pandemia da COVID-19. A companhia também registrou alta na base de clientes pós-pagos e crescimento na cobertura de fibra óptica, mas teve queda na receita fixa e nos acessos de TV por assinatura.

Veja os destaques financeiros do 2° trimestre, bem como a comparação com o mesmo período em 2019:

Indicador 2T 2020 2T 2019 Diferença
Receita líquida total R$ 9,6 bilhões R$ 9,59 bilhões 0,1%
Receita móvel R$ 3,84 bilhões R$ 5,67 bilhões 8,4%
Receita fixa R$ 5,43 5,67 -4,1%
EBITDA (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) R$ 3,93 bilhões R$ 3,56 bilhões 10,4%
Margem EBITDA 40,9% 37,1% 3,8 p.p

Claro cresce no pós-pago

Comparando com o mesmo período do ano anterior, a Claro adicionou 6,5 milhões de linhas no segmento pós-pago, chegando a marca de 31,8 milhões de chips. A incorporação da Nextel teve grande importância no crescimento, representando 3,4 milhões de contratos. Com isso, a operadora cresceu a participação de mercado para 28,65% (+4,47 p.p).

No total, a operadora encerrou o mês de junho com 58,5 milhões de linhas ativas. O segmento móvel trouxe R$ 3,84 milhões em receita para a operadora (+8,4%). Vale destacar a queda na receita de vendas de aparelhos de 29,6%, causada principalmente pelo fechamento de lojas físicas durante a pandemia.

A companhia encerrou o mês de maio com cobertura móvel em 4.235 municípios, dos quais 3.958 são atendidos com 2G, 4.027 com tecnologia 3G e 2.846 com 4G. Vale lembrar que a Claro ativou sua rede 5G em alguns bairros de São Paulo e Rio de Janeiro, antes do leilão de frequências da Anatel. A operadora utiliza a tecnologia DSS, com compartilhamento dinâmico do espectro utilizado na tecnologia 4G.

Receita fixa encolhe, mas Claro cresce em banda larga

No segmento residencial, a empresa adicionou 118 mil novos clientes de internet fixa, mantendo a liderança no segmento. Dados de maio da Anatel mostram que a Claro possuía 9,7 milhões acessos de banda larga, 9,3 milhões de linhas de telefone fixo e 7,5 milhões de assinaturas de TV,

A companhia revela que 6,7 milhões de acessos de banda larga possuem velocidades maiores que 34 Mb/s, dos quais 1,5 milhão foram adicionados nos últimos 12 meses.

Ainda assim, a receita fixa teve queda de 4,1%. O balanço não esclarece a queda, porém dados públicos revelam que a operadora perdeu cerca de 840 mil clientes de TV paga entre maio de 2019 e maio de 2020.

Claro cresce cobertura com fibra óptica

A Claro informa que adicionou 70 novos municípios com cobertura de fibra óptica (FTTH) no ultimo trimestre. A operadora aposta na tecnologia nos mercados entrantes, enquanto continua com usando cabo coaxial nas cidades onde já atuava.

Ainda assim, a participação de fibra nos acessos da Claro é ínfima perto do total: dos 9,7 milhões de contratos de banda larga, apenas 354,9 mil utilizam FTTH (cerca de 3,6%). A companhia ganhou 206 mil clientes com fibra óptica entre maio de 2019 e maio de 2020.

Nas localidades cobertas com fibra, a Claro também vende TV por assinatura usando tecnologia IPTV. Outro diferencial é a velocidade de upload maior que dos acessos de banda larga com cabo coaxial.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
3 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Na minha cidade (Maceió), a cobertura de banda larga da Net não cresce há anos. A Oi fibra vai tomar os clientes dela, quando começar a crescer aqui.

@ksio89

A Claro tem que acordar pra vida na banda larga, ela tem perdido muitos clientes para provedores de fibra onde ela só oferece HFC. Os clientes que ela agaranhou que saíram da Oi e Vivo xDSL estão agora voltando para elas e para provedores locais de FTTH.

Não basta os inúmeros locais com instabilidade e lentidão devido aos nodes saturados, tem o problema do upload pífio também, 20Mbps não dá mais em pleno 2020. E como ela não pretende investir no upgrade para o DOCSIS 3.1 tão cedo, a internet via cabo coaxial vai ficar cada vez mais defasada perante a fibra.