Início » Brasil » Renda fixa: como escolher entre CDB, LCI e LCA?

Renda fixa: como escolher entre CDB, LCI e LCA?

Faça as pazes com sua vida financeira e trace objetivos. Renda fixa: saiba como investir além da poupança, com CDB, LCI e LCA

Tatiana Vieira Por
TB Responde

A renda fixa já é um tipo de investimento bastante popular. Quem não gostaria de encontrar uma maneira de investir dinheiro com rentabilidade e, se possível, com isenção de Imposto de Renda? Entenda o que é renda fixa e como escolher entre CDB, LCI e LCA.

Renda fixa: como escolher entre CDB, LCI e LCA

Renda fixa: como escolher entre CDB, LCI e LCA?

A renda fixa oferece rendimentos constantes e estáveis, o que traz maior tranquilidade ao investidor, especialmente se o objetivo for a longo prazo. Pode ser de dois tipos:

  • Prefixada: logo que você decide investir, é possível saber o retorno futuro, ao fim da aplicação;
  • Pós-fixada: quando o rendimento é atrelado a algum outro índice econômico – nesse caso o investidor sabe que seu dinheiro vai render conforme algo específico, mas sem certezas, devido às flutuações de indicadores.

O que é CDB?

CDB é a sigla para Certificado de Depósito Bancário. É um investimento de renda fixa emitido por instituições financeiras.

Enquanto no Tesouro Direto você empresta dinheiro ao governo, no CDB você emprestará dinheiro aos bancos. Ou seja, você empresta dinheiro para uma instituição financeira e o recebe de volta com juros – que será o seu rendimento pelo investimento.

Principais características do CDB

  • Está atrelado a índices com menor oscilação (como Selic e CDI);
  • Tem cobrança de Imposto de Renda segue a tabela regressiva da renda fixa, conforme o tempo de aplicação, de 22,5% a 15%, podendo ainda ser mais lucrativo que o LCI ou LCA;
  • Seu dinheiro começa a render assim que aplicado;
  • Possui mais opções de investimento:
    Prefixado (por exemplo: 12,35% ao ano);
    Prefixado + Inflação (por exemplo: 5,4% + IPC-A);
    Pós-fixado (um percentual do CDI: 110% do CDI por exemplo);
  • O valor mínimo, a liquidez e a rentabilidade variam conforme o título e a instituição financeira;
  • Pode ter liquidez diária – caso você esteja construindo uma reserva de emergência, pode ser a melhor opção;
  • Normalmente é possível resgatar o valor antes dos três meses;
  • Possui a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), um mecanismo que protege investimentos até o limite de R$ 250 mil por CPF e por instituição emissora em caso de quebra ou intervenção do banco emissor desse título;
  • Não tem taxas de administração, performance ou custódia.

O que é LCI e LCA?

LCI é a sigla para Letra de Crédito Imobiliário.

É uma forma de empréstimo de dinheiro, só que para o setor imobiliário, e em troca ele oferece uma taxa de rentabilidade anual, definida no momento da compra. Neste caso, os títulos são emitidos pelos bancos, que trabalham como intermediários nessa operação. 

LCA é a sigla para Letra de Crédito do Agronegócio.

É uma forma de empréstimo de dinheiro, só que para o agronegócio. Para o investidor, não há diferenças significativas entre LCI e LCA. A menos que você tenha um interesse focado no setor imobiliário ou de agronegócio.

Principais características do LCI e do LCA

  • Isentos de IR;
  • Podem ter letras pré ou pós-fixadas – ou seja, ou investidor recebe uma taxa de juros definida no momento da aplicação ou conhece de antemão o indicador que servirá de referência para a remuneração;
  • Em investimento de prazo inferior a 2 anos: provavelmente a aplicação apresentará rentabilidade superior se comparado aos CDBs com o mesmo prazo;
  • Dá opções de investimento de curto prazo, mas de 90 dias em diante;
  • Conta com cobertura do FGC.

Quando e quem deve investir em CDB, LCI e LCA?

Não existe uma regra objetiva, porém é fundamental pensar em algumas perguntas chaves:

  • Possuo uma reserva de emergência?
  • Preciso de dinheiro para daqui há 6 meses/1 ano?
  • Estou construindo um patrimônio a longo prazo?
  • Quais são os meus sonhos individuais/da minha família?

Sabemos que o Imposto de Renda faz muita diferença no cálculo do rendimento líquido de um investimento, mas ele não determina a melhor opção. É preciso verificar, título por título, qual oferece a melhor rentabilidade. 

Uma ferramenta útil nessa decisão é a Calculadora do Cidadão, um instrumento gratuito disponibilizado pelo Banco Central, em que você simular valores de acordo com o período e o indexador (Selic, CDI e poupança).

Conte sempre com a ajuda de um especialista, procure taxas atrativas e sistemas confiáveis. Além disso existe o Tesouro Direto, com aplicações a partir de R$ 30.

Boa sorte e bons investimentos.

Com informações: Portal do Investidor.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação