Início » Negócios » Apple tenta provar que taxas da App Store não são anticompetitivas

Apple tenta provar que taxas da App Store não são anticompetitivas

Em relatório financiado pela Apple, economistas destacam que taxas da App Store são parecidas com as de outras plataformas

Victor Hugo Silva Por

Na mira da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a Apple decidiu contratar economistas para tentar demonstrar que as taxas cobradas na App Store não prejudicam a concorrência. Em relatório financiado pela empresa, especialistas do Analysis Group apontaram que a cobrança é parecida com a aplicada por outras lojas de aplicativos. O estudo está disponível neste link.

Apple tenta provar que taxas da App Store não são anticompetitivas

O estudo aponta que, assim como a App Store, a taxa de 30% também é cobrada para aplicativos hospedados nas plataformas de Google, Amazon, Samsung e Microsoft. Os economistas também compararam a loja da Apple com plataformas como Steam, Epic Games Store, Twitch, YouTube, Uber, Airbnb e, a partir de dados oficiais ou de terceiros, indicaram que as taxas são parecidas.

“As taxas de comissão cobradas por marketplaces digitais semelhantes à App Store, como outras lojas de aplicativos e de games, são geralmente em torno de 30%”, aponta o Analysis Group. A empresa também considera que o modelo de comissões é o mais justo por entender que ele “reduz a barreira de entrada para pequenos vendedores e desenvolvedores”.

O documento foi publicado dias antes do CEO da Apple, Tim Cook, participar de uma audiência do Subcomitê Antitruste da Câmara dos Representantes dos EUA. Marcada para segunda-feira (27), a sessão também terá a presença de líderes de outras três grandes empresas de tecnologia: Mark Zuckerberg (Facebook), Sundar Pichai (Google) e Jeff Bezos (Amazon).

Além dos EUA, as práticas da Apple também são analisadas por autoridades da União Europeia. Em junho, a empresa passou a ser investigada em duas ações da Comissão Europeia. Uma delas, iniciada após queixas de Spotify e Kobo, envolve a cobrança de 30% na App Store. A outra é relacionada ao Apple Pay, único serviço de pagamento que tem acesso ao NFC do iPhone e do Apple Watch.

Com informações: CNET.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@wellerstz

as taxas são parecidas sim, mas se eu quiser instalar outra loja no Android ou aplicativo de fora eu consigo, assim como nas outras plataformas, coisa que a Apple não permite

Uriel (@Uriel)

O problema não é o valor das taxas. Nunca foi.

O problema são os APPs da Apple no mesmo seguimento não terem que pagar nada!
E ela anuncia e faz desconto nas mensalidades (que o concorrente não pode por ter que pagar taxas) e consegue remunerar melhor os artistas. Com o extra que o concorrente não tem!

Não deixa instalar outras lojas. E não da pra não usar o sistema de pagamento deles.
Mesmo que não use é terminantemente proibido mencionar outro sistema de pagamento.
A netflix esconde o que dá!
Só aparece depois de logado!

Um inferno!

Lucas M (@Lucas_M)

O problema são os APPs da Apple no mesmo seguimento não terem que pagar nada!
E ela anuncia e faz desconto nas mensalidades (que o concorrente não pode por ter que pagar taxas) e consegue remunerar melhor os artistas. Com o extra que o concorrente não tem!

Eu assino serviços da Apple na Play Store e o sistema de cobranças é o do Google, ou seja, a Apple paga os 30% para o Google da mesma forma, incluindo o Apple Music.

Acredito que o que pode dar mais problema para a Apple no processo é o fato de não deixar instalar apps externos. Mas sinceramente, acredito que 99% dos usuários do Android também só baixam apps da PlayStore. Nunca utilizei sequer a loja própria da Samsung que veio pré-instalada no meu S10, sempre utilizei apenas a PlayStore.

O sistema da Apple pode ser mais fechado, mas ela é bem explícita nisso para os usuários e desenvolvedores. Ninguém pode dizer que foi enganado. Em geral, eu seria contra sistemas fechados, mas sendo usuário de ambos os sistemas, me sinto muito mais seguro fazendo compras no iOS do que no Android.

Parece que na PlayStore os apps sequer são analisados. Já comprei alguns tão instáveis que não consegui usar. E os apps gratuitos tem tanta propaganda, que fica impossível utilizar. Não sei se a Apple limita isso na AppStore, mas os apps grátis do iOS tem bem menos propagandas.

Além disso, o suporte da Apple é sem comparação. As duas vezes que tive problemas com o app recebi reembolso na mesma hora. Em um dos casos havia comprado o app há duas semanas, mesmo assim fui reembolsado.

Já na PlayStore, nunca consegui um reembolso. Demoram mais de uma semana pra responder e no máximo geram créditos da PlayStore. Por duas vezes tive o crédito negado e nunca consegui uma resposta sequer explicando o motivo. Sendo que estava pagando para tirar os anúncios do app e continuei a ter anúncios.

Talvez a Apple seja mais dura com os desenvolvedores, mas ela trata muito bem os usuários. E como usuário de ambos os sistemas, posso dizer que isso faz muita diferença.

Eu compro apps no iOS sem pensar duas vezes, enquanto no Android compro somente em último caso.

Junior Max (@JuniorMax)

ía comentar isso mesmo, mas vi seu comentário, e só reforço o que você disse. Tmb sou usuário das duas plataformas a muito tempo, tenho 4 app comprado na PlayStore e no iOS já perdi as contas de quantos comprei justamente por causa da segurança.

[Edit]
Meu banco não recomenda o uso do Android em compras online.

Uriel (@Uriel)

Cara, na play store vc usa o sistema de pagamento que quiser.
Não é obrigado a usar da Google.

Uriel (@Uriel)

Isso não condiz com a verdade, a MS reclama de problemas.
A Apple tira os apps não da motivo nem nada. Vc fica no completo escuro.

As outras coisas nem tem nada ver com o problema!
Misturar alhos com bugalhos!