Início » Brasil » Twitter e Facebook removem contas de bolsonaristas a pedido do STF

Twitter e Facebook removem contas de bolsonaristas a pedido do STF

O ministro do STF, Alexandre de Moraes, determinou a Twitter e Facebook a remoção de contas de 16 investigados no inquérito das fake news

Victor Hugo Silva Por

O Twitter e o Facebook suspenderam contas de 17 investigados do chamado inquérito das fake news por ordem do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes. Válida apenas para quem acessa as redes sociais no Brasil, a decisão de remover as contas foi cumprida pelas plataformas nesta sexta-feira (24), mas, já havia sido apresentada em 26 de maio, segundo a Folha de S.Paulo.

As contas foram removidas agora porque o Twitter alegava não tinha dados suficientes para cumprir a decisão. Na ordem expedida em maio, Moraes listou nomes, CPFs e endereços de titulares das contas que seriam removidas. Na nova determinação, o ministro apontou os nomes de usuário que deveriam ser tirados do ar e impôs multa diária de R$ 20 mil em caso de descumprimento.

Moraes voltou a afirmar que o bloqueio das contas dos investigados é “necessário para a interrupção dos discursos com conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática”. Apesar da decisão, os perfis continuam acessíveis para quem acessa o Twitter fora do Brasil ou muda o país nas configurações da plataforma.

Entre os que tiveram seus perfis suspensos no Twitter, estão o presidente do PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), Roberto Jefferson, os empresários Luciano Hang (Havan), Edgard Corona (SmartFit) e Otávio Fakhoury, a ativista Sara Giromini (conhecida como Sara Winter), e os blogueiros Bernardo Küster e Allan dos Santos.

A decisão também envolve as contas de Edson Salomão e Rodrigo Barbosa Ribeiro, chefe de gabinete e assessor do deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), respectivamente; dos ativistas Eduardo Fabris Portella, Marcos Belizia, Marcelo Stachin e Rafael Moreno; dos youtubers Enzo Momenti e Winston Rodrigues de Lima; do humorista Reynaldo Bianchi; e do empresário Paulo Gonçalves Bezerra.

O Twitter informa quem tenta acessar qualquer um dos perfis de que se trata de uma “conta retida” por determinação legal. A retirada de contas no Facebook envolveu parte dos investigados no inquérito. A página de Roberto Jefferson, por exemplo, continua no ar. Não é o caso da página de Luciano Hang, onde a plataforma indica que o “conteúdo não está disponível no momento”.

Procurado pelo Tecnoblog, o Twitter afirmou que “agiu estritamente em cumprimento a uma ordem legal proveniente de inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF)”. O Facebook, por sua vez, afirmou que “respeita o Judiciário e cumpre ordens legais válidas”.

Em maio, o STF liberou mandados de busca e apreensão contra alguns dos que tiveram as suas contas suspensas nesta sexta-feira. A Polícia Federal cumpriu a determinação, que envolvia endereços de Roberto Jefferson, Luciano Hang, Allan dos Santos, Sara Winter. O deputado estadual Douglas Garcia também foi um dos alvos da operação, que acontecem no Distrito Federal, no Rio de Janeiro, em São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
17 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@doorspaulo

Por mais que eu não concorde com o conteúdo desse povo, isso é uma censura descarada, e abre um belíssimo precedente.

Quem comemora hoje, pode ser o censurado de amanhã…

Douglas Charles Cunha (@Genumano)

Não é pedido, é censura descarada. E, embora o STF seja uma corte ditatorial, a aberração é capricho apenas de um togado, o Alexandre de Moraes.

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

“É só você não espelhar fake news, não ameaçar ministros, não postar m*rda que tu não vai pra lá!”

Rodrigo Dias (@rodrigodias)

Muito longe de dizer quem está certo ou errado, mas as mensagens de erro exibidas no Twitter e na outra rede já diz muito sobre a transparência das mesmas.

Um vai direto no motivo da remoção e outro é uma mensagem genérica.

JulioCampos (@juliocesar)

Eu deixei de ler portais de notícias, jornais em TV e tudo que se trata de política pois isso estava me fazendo mal. Aqui no Tecnoblog aparece de vez em quando a foto do Bolsonaro ilustrando algum post e me dá angústia pois não vai ser um post de coisa boa (em lugar nenhum é).
Agora fico imaginando esse povo aí que ficam o dia inteiro nas redes sociais alimentando ódio, desinformação, etc. Como eles não ficam doentes?

Rodrigo Dias (@rodrigodias)

Eu mesmo, por exemplo, antes de abrir o feed do Facebook, já coloco uma máscara e “tomo um rivotril”, porque já sei que coisa boa não vou encontrar por lá.

Andre Luiz Silva (@Andre_Luiz_Silva)

Qualquer um que publique o que eles publicam tem que ser censurado mesmo. Faz tempo que o Twitter tinha que ter derrubado mas enfim…

Andre Luiz Silva (@Andre_Luiz_Silva)

“Omitir o uso do cloroquina é o mesmo que deixar judeus na dúvida entre chuveiro e câmara de gás”. - Allan dos Santos

O STF ter que intervir para derrubar quem posta isso é que é uma aberração porque o Twitter não faz o dever de casa.

Adriano Garcez (@Adriano_Garcez)

Nesse caso em específico, sou totalmente a favor, mas acho muito perigosa essa leva de decisões monocráticas do STF. Fortalece a visão esdrúxula que exista uma ditadura do Superior.

Enfim, por conta desse governo baseado em fake news, vão passar uma PL que vai tirar nossos direitos de privacidade na internet; o que está sendo discutido é o grau da perda desses direitos. Autoritarismo só é combatido com autoritarismo e quem se dá mal é a gente. Parabéns aos envolvidos.

João Luiz G (@Joao_Luiz_Gomes_Silv)

Olha como é o mundo, estávamos com medo do Bolsonaro tornar o Brasil numa ditadura militar com censura e tudo mais, agora é o STF fazendo censura, esse ano de 2020 já pode se esperar de tudo. Não conheço a maioria desses ai, mas o “Velho da Havan” até onde eu sei ele não tem postado nada contra o STF, é de direita e tal mas xingando o STF nunca vi…

Matheus Silva Santos (@Matheus95)

É exatamente por isso que a decisão não é contra quem fala mal do STF. É contra quem espalha mentiras em benefício próprio. Tem que ser muito sonso (o tipo que acredita nele) pra não notar a distorção de fatos que o vei da Havan faz.

Bruno (@Unknown)

A punição é contra quem fala mal do STF ou contra fake news e discuso de odio? Acredito muito mais na primeira opção.
Pra todas opções, é aquela velha ideia atrasada de que uma canetada resolve algo.

João Luiz G (@Joao_Luiz_Gomes_Silv)

A justifica fica pior então, fica clara a imparcialidade, a extrema direita e a extrema esquerda espalha fake news a rodo.

João M. (@RonDamon)

Se for assim então não sobraria nenhuma conta no twitter ahahuahu (de ambos os lados)

João Almeida (@Joao_Almeida)

O mundo já ficou um pouco melhor depois disso

Exibir mais comentários