Início » Celular » Quick Charge 5 recarrega 50% da bateria em apenas 5 minutos

Quick Charge 5 recarrega 50% da bateria em apenas 5 minutos

Tecnologia de recarga rápida Quick Charge 5, da Qualcomm, também pode fazer bateria chegar a 100% em 15 minutos

Emerson Alecrim Por

Se a gente ainda não pode contar com baterias de longa duração, que pelo menos a recarga seja rápida. A Qualcomm está levando essa ideia a sério: nesta segunda-feira (27), a companhia anunciou o Quick Charge 5, tecnologia que pode fazer a carga de uma bateria ir de zero a 50% em apenas 5 minutos de tomada.

Qualcomm Quick Charge 5

A evolução de uma geração para a outra da tecnologia é surpreendente. O Quick Charge 4, que chegou ao mercado em 2017, precisa de 15 minutos para fazer uma bateria de 2.750 mAh ter cerca de 50% de carga, o que, por si só, é um feito impressionante.

Já o Quick Charge 5 pode chegar a 50% de carga em 5 minutos considerando um bateria com capacidade de 4.500 mAh. Para essa mesma bateria, o tempo de recarga completa (de zero a 100%) é de aproximadamente 15 minutos.

Na comparação com a geração anterior da tecnologia, a Qualcomm destaca que o Quick Charge 5 consegue ser até 70% mais eficiente. A companhia também diz que esta é “a primeira plataforma de carregamento rápido viável comercialmente a suportar mais de 100 W de potência em um smartphone”.

Evolução do Quick Charge (gráfico: Qualcomm)

Evolução do Quick Charge (gráfico: Qualcomm)

Tudo isso sem que a segurança seja deixada de lado. O Quick Charge 5 conta com proteções separadas para tensão, corrente e temperatura, por exemplo. Com relação a este último aspecto, a tecnologia consegue deixar o celular com até 10 ºC a menos durante a recarga do que o Quick Charge 4.

Outros destaques incluem suporte às tecnologias Battery Saver e Smart Identification of Adapter Capabilities, que atuam para maximizar a transmissão de energia, aumentar a segurança e prolongar o ciclo de vida da bateria.

A exemplo do Quick Charge 4, a nova versão funciona com cabos USB-C e é compatível com o USB Power Delivery (USB-PD), especificação de recarga estabelecida pela USB-IF, organização responsável por definir os padrões do USB.

Qualcomm Quick Charge 5 - logotipo

Dois circuitos integrados para gerenciamento de energia (PMIC, na sigla em inglês) são compatíveis com a novidade: o Qualcomm SMB1396, anunciado junto com o Quick Charge 3+, e o novo Qualcomm SMB1398. Ambos suportam recargas com e sem fio, proporcionam eficiência acima de 98% e podem suportar operações de tensão superior a 20 V.

De acordo com a Qualcomm, testes já estão sendo feitos por fabricantes de dispositivos móveis. Os primeiros celulares baseados no Quick Charge 5 — modelos high-end, certamente — devem ser anunciados ainda neste trimestre. A tecnologia é compatível com os processadores Snapdragon 865 e Snapdragon 865 Plus.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

José Wanderley dos Santos Lima (@_Wanderley)

Novo Quick Charge 5 degrada a sua bateria em 5 minutos.

TSoares (@tsoares)

O que eu queria mesmo era saber se quick charge diminui ou não a vida útil da bateria, porque tem muitas informações desencontradas na internet sobre o assunto. Por via das dúvidas deixo ele desligado no meu celular, pra evitar o aquecimento quando está carregando.

² (@centauro)

Teve uma discussão sobre o assunto por aqui uns dias atrás.

Carregamento rápido degrada bateria precocemente? Mobile e Wearables Há algum tempo alguém aqui na comunidade me falou que carregamento rápido em smartphones causava desgaste bem mais rápido da bateri, e isso me deixou preocupado pois tenho um aparelho da Motorola que suporta carregador Turbo. No entanto, o fabricante não projetou a bateria para aguentar correntes ou tensões maiores que o padrão, a fim de não comprometer vida útil da bateria? Afinal, usar carregador rápido estraga ou não estraga a bateria à longo prazo?

Conclusão?
Talvez sim, talvez não.
Um paper científico diz que pode ter dependendo do protocolo de carregamento utilizado.

@ksio89

Como diria Seu Madruga:

“Pode ser que sim, pode ser que não. Mas o mais certo é, quem sabe?”

Falando sério eu li esse paper que postaram lá no tópico, e mesmo tendo noções de Eletroquímica, não cheguei a nenhuma conclusão. Em resumo, depende da implementação da recarga rápida, algumas degradam as células e outras não.

Henrique Nakade (@Henrique_Nakade)

simplesmente fantástico, mas agora mais do que nunca devemos tomar muito cuidado com carregadores e cabos “paralelos” de qualidade questionável e que são muito baratinhos, essa corrente pode fazer um belo estrago em acidentes…

LekyChan (@LekyChan)

não adianta nada se os apps esgotarem sua bateria em 5min também

Eu (@Keaton)

zero a 50% em apenas 5 minutos

Bateria de 20mAh? Meh. 500000 mAh? NICE. Eles deviam parar de dar informações pela metade.

Yago G. Oliveira (@yagogabriell)

Olha, sinceramente, se não degradasse, a samsung não colocaria a opção para desativar o recurso.

Hector Bonilla (@Hector_Bonilla)

É o dilema da bateria de Schrodinger.

Eu (@Keaton)

Pior que eu li a matéria correndo, antes de ir dormir, e perdi essa informação. hahaha

Eric Viana (@Eric_Viana)

Captei a referência.