Início » Computador » Intel pode terceirizar fabricação de processadores

Intel pode terceirizar fabricação de processadores

Intel cogita terceirizar produção para evitar mais atrasos na entrega de chips de 7 nm; TSMC pode ser escolhida para fabricação

Emerson Alecrim Por

Na semana passada, ao admitir que seus processadores de 7 nanômetros vão atrasar, a Intel levantou uma possibilidade que chamou atenção: a de terceirizar a sua produção de chips. Parece uma possibilidade remota, mas os indícios de que a Intel poderá seguir por esse caminho não são desprezíveis.

Intel Core de décima geração

Se essa estratégia sair do papel, representará uma das maiores mudanças pelas quais a Intel já passou em sua história. Durante as últimas três décadas, a companhia figurou como a empresa mais valiosa do setor de semicondutores, em parte porque, além de desenvolver seus próprios chips, mantém linhas próprias de produção.

Processadores são componentes extremamente complexos, razão pela qual a sua produção depende de fábricas sofisticadas. É por isso que há pouquíssimas companhias produzindo esse tipo de chip.

A Intel está entre elas por ter investido bilhões de dólares em suas fábricas. O problema é que, na última década, o setor de semicondutores passou por uma reviravolta: o mercado de smartphones superou o de PCs e a Intel não conseguiu acompanhar essa mudança.

Uma das companhias que mais se beneficiaram com essa reviravolta é a taiwanesa TSMC. A empresa é a maior fabricante independente de chips do mundo. Pudera: entre seus clientes estão gigantes como Apple, AMD e Qualcomm.

Embora não tenha dado detalhes, a Intel afirmou, na semana passada, que identificou um problema no processo de fabricação que degrada o desempenho dos seus futuros chips de 7 nanômetros. A chegada deles ao mercado vai atrasar, consequentemente: agora, eles são esperados para o final de 2022 ou início de 2023.

Intel - Foto: Digital Trends

Para que o atraso não seja ainda mais expressivo, a Intel comentou sobre um “plano de contingência” que inclui a terceirização da fabricação de seus chips. Para qual empresa? Não se sabe, mas é provável que justamente a TSMC seja a única com tecnologia suficientemente avançada para assumir essa produção na escala que a Intel precisa.

Não há nada decidido, pelo menos não publicamente. Mas o mercado já manifesta alguma preocupação com essa possível estratégia, tanto que as ações da Intel estão em queda desde a semana passada.

Basicamente, o temor é o de que, ao terceirizar a sua produção, a Intel passe o bastão da inovação tecnológica no setor de semicondutores para empresas asiáticas, cenário que o governo dos Estados Unidos vem tentando evitar.

Fato é que a Intel não enfrenta um bom momento. Os últimos anos da companhia foram marcados por atrasos na produção de chips de 10 nanômetros, problemas sérios de segurança e, mais recentemente, a perda da Apple como cliente. Alguma coisa realmente precisa ser feita.

Com informações: Bloomberg.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

LekyChan (@LekyChan)

será que a TSMC vai ganhar mais uma cliente? se isso ocorrer a AMD pode começar a se preocupar.

Eu (@Keaton)

Será que a Intel não vai inventar de fazer porcaria com a TSMC para atrapalhar a AMD? hahaha

Conhecendo a Intel, é bem capaz.

LekyChan (@LekyChan)

Dinheiro para isso ela tem, mas acho que faz mais sentido terceirizar para ganhar números, ela está atrasada em questão do tamanho em nanômetros, embora ela ainda tenha uma excelente performance.

Eu (@Keaton)

Por porcaria, eu me referia à fazer o que a Intel já foi condenada por fazer: prejudicar a AMD de alguma forma, tipo oferecer descontos/vantagens para as empresas que montam PCs não usarem os chips da AMD. A Intel já perdeu um antitrusting desses. No caso a Intel poderia pedir um numero virtualmente alto de chips para atolar a produção e atrasar os da AMD.

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Eu discordo de dois pontos. Primeiro é de que os problemas com as fábricas da Intel (acompanhar a litografia mais atual) se originaram da explosão dos dispositivos móveis e consequentemente da arquitetura ARM. A Intel optou por nunca abrir realmente suas fábricas a produção de terceiros, e como a evolução do maquinário para nova litografia é cada vez maior, sua demanda não consegue pagar o pesado investimento necessário para acompanhar as concorrentes.
No segundo ponto seria o receio do governo dos EUA teria em ver a Intel delegar a produção a parceiros na Ásia, sob risco de vazamento de propriedade intelectual. Mas qual sentido haveria se a AMD já faz os mesmo a tantos anos??

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Justamente aponto que a Intel vem perdendo o posto de “inovadora” pela insistência em manter as fábricas, que não são rentáveis se seguirem em pé de igualdade com as concorrentes (ex: TSMC).
Quanto a AMD não se comparável em termos de valores, eu nem sugeri que seja…afinal a Intel atua em mais segmentos, e ainda detêm as fábricas, mas vem perdendo mercado, além de no quesito CPU ambas deterem tecnologias estratégicas muito semelhantes…E a AMD delega as mesma a terceiros asiáticos, o que não vejo o porque da Intel também não fazer.

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Eu vejo talvez uma pressão do Gov. dos EUA mais no sentido de impedir o fechamento das fábricas da Intel nos EUA, Israel…mais nesse sentido, dos empregos e investimento local.