Início » Gadgets » Nova bike elétrica da Vela tem app, freio regenerativo e Bluetooth

Nova bike elétrica da Vela tem app, freio regenerativo e Bluetooth

A Vela 2 também conta com GPS e os sensores da bike podem criar um relatório no app indicando até mesmo as ruas com mais buracos

André Fogaça Por

A Vela, startup brasileira que cria bicicletas elétricas, anunciou nesta terça-feira (28) o lançamento de mais uma geração de suas bikes, a Vela 2. A bicicleta continua com motor elétrico dentro do cubo da roda traseira, focando em pedal assistido e com visual mais parecido possível com uma bicicleta convencional, mas agora pode ter mais recursos a partir de um aplicativo para smartphones.

vela bike vela 2

O aplicativo é grande ponto de novidade neste modelo, já que até então os usuários tinham apenas um controle remoto para algumas ações que podem ser tomadas de certa distância. Com o app, que conversa com a bike por Bluetooth 4.2, o usuário pode ligar ou desligar o motor, selecionar o nível de potência que ele fará para auxiliar na pedalada, ligar o farol, travar as rodas remotamente e até acionar o alarme.

A vantagem do app não fica somente na parte de comodidade, mas também na economia de materiais que vão na bicicleta. A startup afirma que os recursos que migraram para o smartphone reduziram em 50% do volume de fios.

Vela 2

Além de comandos, o app gera um relatório da pedalada, podendo mostrar até em quais ruas existem mais buracos que são detectados pela trepidação da bicicleta. A startup instalou 30 carregadores em algumas partes da cidade de São Paulo, que ficam visíveis em um mapa.

Do lado da bicicleta, sensores podem identificar automaticamente que o usuário está em uma subida e forçando mais o pedal, para então adicionar força ao motor elétrico e aliviar o esforço. O mesmo vale em uma descida, onde o motor pode usar o freio dele mesmo para desacelerar o ciclista – e gerar energia para a bateria neste processo. Este mesmo sensor que entende se a pessoa está subindo ou descendo, detecta a queda da bike e envia uma notificação ao app.

O guidão da Vela 2 ganhou novas manoplas e o freio regenerativo no motor que promete aumentar em 15% a autonomia da carga. Os sensores estão seis vezes mais precisos e o do pedal é duas vezes maior. A autonomia total é de 60 quilômetros para o motor de 350 watts e a velocidade máxima é de 25 km/h. A bike também tem antena GPS para marcar a posição e a recarga da bateria leva três horas na tomada convencional de casa.

Quando e quanto?

A Vela 2 já está disponível para compra, com entrega prevista para dois meses (!) e ela é cara, custando R$ 6.890.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

pelo preço dela será que não dava pra ter um motor mais potente?

Diego Duarte (@Diego_Duarte)

Vei, pq q td bike eletrica agora vem com esse visual retro de Caloi Ceci? Modinha?

Nao e exatamente feio, mas parece um visual datado. Sou mais o visual mais moderno das MTBs comuns de hj (sim, eu sei q existem modelos de eletrica com isso, mas eu tenho visto uma grande quantidade desses modelos estranhos saindo)

@doorspaulo

Estava achando tudo bem interessante, até ver o preço de quase 7k…

Murilo Aquino (@Murilo_Aquino)

Já tá aqui na lista de desejo!

Leonardo G. Roese (@leonardoroese)

Que legal, que venham mais soluções de mobilidade assim!

@Comentador

Bicicleta feia e cara.

@teh

Infelizmente com a nossa cotação as bikes mesmo la fora estão saindo por esse preço mais ou menos.

@ksio89

Como conseguiu importar bateria? Que eu saiba estava proibida a importação.

@ksio89

Massa! Parabéns pela iniciativa e por não aceitar os preços absurdos no Brasil.

² (@centauro)

É, só que nesse seu projeto não tem app bluetooth que reduz a quantidade de fios necessário, aciona o alarme, trava a bike e sei lá o que mais.
E não tem o trabalho de design que a bike da Vela tem, o que permitiu, por exemplo, esconder motor elétrico e evitar o calombo no top tube que tem na sua solução.

Tem gente que liga pra isso e está disposta a pagar mais por isso. Tem gente que não liga pra isso e prefere economizar.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Acho que o problema das baterias é elas virem de avião, empresas que importam conseguem que elas venha de navio sem problema.