Início » Telecomunicações » Vivo quer construir rede neutra para expandir internet por fibra

Vivo quer construir rede neutra para expandir internet por fibra

Com rede neutra, Vivo terá infraestrutura de fibra óptica compartilhada com concorrentes

Lucas Braga Por

Além de divulgar os resultados financeiros do segundo trimestre, a Vivo anunciou por meio de um fato relevante que “avalia a possibilidade” de constituir uma unidade independente para construção e oferta de uma rede neutra de fibra óptica. A operadora busca a participação de parceiros e investidores no capital social com objetivo de acelerar a expansão de fibra óptica Vivo Fibra para novas cidades.

Rack de provedor de internet fibra óptica. Foto: jarmoluk/Pixabay

Uma rede neutra é interessante por permitir vários competidores utilizando a mesma infraestrutura. Isso traria mais concorrência para o consumidor e diminuiria o investimento para as operadoras, uma vez que o custo da rede de acesso seria dividido entre os sócios. Diferente de outras tecnologias como cabo e xDSL, a rede de fibra traz maior capacidade de tráfego de dados e maior facilidade para escalar o serviço caso haja aumento na demanda.

Na teleconferência de divulgação dos resultados, o CEO da operadora, Christian Gebara, afirma que a Vivo quer utilizar o modelo de rede neutra em cidades de médio porte, com construção de cobertura de fibra para 1,1 milhão de casas no próximo ano, atingindo 5 milhões de domicílios nos próximos quatro anos. A companhia irá continuar com rede exclusiva nos locais estratégicos para a empresa.

TIM e Oi querem construir rede neutra de fibra óptica

Outras concorrentes também enxergam o modelo de rede neutra como solução para expansão de fibra óptica: na reestruturação organizacional, a Oi anunciou a criação da InfraCo, uma unidade produtiva isolada designada para cuidar da nova rede. A empresa quer vender entre 25% a 51% do capital econômico da companhia, ajudando a construir a infraestrutura e dividir a ocupação da rede.

Além de Oi e Vivo, a TIM também anunciou que busca parceiros para expansão da rede neutra de fibra óptica. A companhia quer aumentar a presença no segmento fixo com o serviço de banda larga TIM Live.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
14 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Olha os provedores regionais metendo terror nas grandes, ficaram anos achando que fibra não era necessário pro cliente final, tá ai o resultado.

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Ela comprou a GVT e parou de vender os planos da finada operadora. Não entendo qual o propósito disso.

ya G (@ya_G)

Agora que o provedores regionais criaram a demanda a grandes viu a mina de ouro que estava perdendo, alguns só olha o preço mas a grandes não tem uma coisa que o pequeno tem, suporte técnico perto de você e estabilidade!!
Procure um suporte dessas operadoras nacionais e você vai cair em um telemarketing no cafundó do Judas.

Siebel (@Siebel)

Parou não, amigo. Aqui na minha rua continua vendendo Vivo VDSL de até 50 mega (rede GVT). Inclusive no formulário do site tem vaga pra agendar a instalação pra amanhã mesmo.

imhotep (@imhotep)

Antes da compra da GVT, a Vivo já vendia fibra para o mercado empresarial, em locais onde ela não tinha concessão para cobertura de tv, internet fixa e telefone fixo.

Só vai capitalizar mais algo que ela já fez no passado.

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Na minha cidade, onde a GVT cobriu, já não tem disponibilidade. Testei todos os CEPs e nenhum funcionou.

Anderson Antonio Santos Costa (@Anderson_Antonio_San)

As pequenas operadoras investiram e prestam um ótimo serviço. Enquanto isso, os provedores do cartel de telecom dão a pequenas cidades apenas 2 a 4 Mbps de download até hoje. Os menores provedores chegam a dar 100 Mbps de download por fibra a R$100,00 sem combos com TV Paga.
Os grandes provedores perceberam tardiamente sobre isso. Estes queriam impor franquias de dados na banda larga fixa e, por causa disso, os menores provedores conseguiram crescer ao proporcionar serviços melhores.

@ksio89

Vou ser sincero, provedor pequeno é loteria, em geral só serve pra gerar concorrência e onde as grandes não oferecem fibra. O suporte em geral é precário. Se tiver problema no fim de semana, dificilmente será atendido antes de segunda-feira. Não são todas, óbvio, provedores como Algar e Copel são tão boas ou melhores que as grandes.

E muitos provedores pequenos só operam e CGNAT, têm link internacional muito ruim, rotas ruins (ping alto) e aplicam traffic shapping pois o backbone é limitado. Quem mora onde só tem disponível xDSL e cabo das grandes tudo bem, mas eu não trocaria nunca a fibra de uma grande por uma pequena não, mesmo em planos mais baratos e mais rápidos.

Banda larga não é só velocidade, tem que ver a qualidade também, se todos os recursos funcionam redondo, se o serviço é estável e se o suporte ao cliente é adequado, é aí que o bicho pega.

Sérgio (@trovalds)

Ia falar bem isso. Moro em Cuiabá/MT e aqui do lado em Chapada dos Guimarães/MT existe apenas a Oi como provedor grande. Precário pra não dizer uma besteira sobre o serviço. Daí tem a concorrente local, Selko, que leva fibra ótica até o modem em várias áreas da cidade. Só que o serviço também é precário.

@ksio89

Pois é, velocidade é o de menos. Mas aí eu pergunto: tem IPv4 público, rotas decentes, portas de
comunicação P2P ficam abertas, aplicam traffic shaping, funciona VPN, têm banda e parcerias com empresas estrangeiras para garantir velocidade contratada para links internacionais, suporte atende 24h por dia e 7 dias por semana?

São muitas variáveis para se analisar. Para o usuário que só abre email, usa rede social e Whatsapp qualquer internet serve, mas para quem faz uso mais avançado, provedores locais é comum pecarem nesses quesitos.

Orlando Silva (@Orlando_Silva)

Verdade, quando morava num bairro aqui de nova iguaçu / rj, usava provedor local e volta e meia no meu dia ou tinha queda, ou problemas de internet, era horroroso (e pagando R$120 por 30/15mb). Dois anos depois, me mudando mais pro centro, fui pra live tim 60/30, pelo mesmo valor (suporte sempre foi bom e me atendeu quando precisei), e agora me surgiu a oportunidade fibra com a oi, mesmo com medo testei o plano de 200mb, e tá uma maravilha aqui (fora ping baixo e a infraestrutura), tá aí. a boa concorrência sempre ajuda, mas a infraestrutura dos grandes as vezes fica bem melhor mesmo.

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Esse negócio de CGNAT e Ping alto só incomodam a quem joga e quem entende profundamente do assunto.
Uso uma operadora local, que tem um Ping acima de 20 e não me incomoda de jeito nenhum nem a meus pais. Só não sei se eles usam CGNAT (na verdade, nem sei o que é isso. Só escuto falar). Sou usuário há um ano e nada a reclamar.

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Acredito que, em termos de comparação, os pequenos são melhores em tudo.

elias (@Elias)

Opa, estou vendo uma oportunidade boa para o consumidor. Mas ainda está no interesse, vamos ver onde isso vai se desenrolar.
Só não entendo porque elas não anunciaram nenhuma parceria ainda. Não estão todas procurando por parceiros comerciais?

Exibir mais comentários