Início » Celular » Huawei passa Samsung e é maior fabricante de celulares do mundo

Huawei passa Samsung e é maior fabricante de celulares do mundo

Pandemia ajudou Huawei a superar Samsung no segundo trimestre de 2020 em vendas de smartphones

Emerson Alecrim Por

A estratégia de lançar numerosos smartphones todos os anos ajuda a Samsung a liderar esse segmento. Mas um relatório publicado pela empresa de análise de mercado Canalys aponta que, pela primeira vez, a Huawei conseguiu ultrapassar a marca coreana e, agora, é considerada a maior fabricante de celulares do mundo.

É um feito impressionante se levarmos em conta que, desde 2019, a Huawei sofre sanções comerciais por parte do governo dos Estados Unidos que dificultam a expansão dos negócios da companhia no mundo todo.

As sanções impedem, por exemplo, a companhia de lançar smartphones com o ecossistema do Google. Sem acesso à Google Play Store e recursos associados, os aparelhos da marca acabam sendo pouco atraentes, mesmo tendo hardware sofisticado.

Huawei Nova 5T - Review

Huawei Nova 5T

Porém, o relatório da Canalys indica que a pandemia de COVID-19 contribuiu para que a Huawei assumisse a liderança do segmento no segundo trimestre de 2020.

Como? No período, a Samsung vendeu 53,7 milhões de celulares, queda de 30% em relação ao segundo trimestre de 2019; já a Huawei comercializou 55,8 milhões de unidades, número apenas 5% menor na comparação ano a ano.

Perceba que esse cenário não indica que a Huawei vendeu mais, mas que a Samsung perdeu a liderança por ter vendido menos. O trunfo da Huawei foi ter feito a lição de casa: a companhia aproveitou que a sua marca é bastante forte na China para pegar carona na retomada da economia do país durante o segundo trimestre.

“Nosso negócio demonstrou resiliência excepcional nesse período difícil”, disse a empresa em comunicado ao The Verge.

É muito provável que a Samsung recupere pelo menos parte das suas vendas no atual trimestre e, com isso, reassuma a liderança do mercado. Em agosto, a Samsung irá anunciar o Galaxy Note 20, o Galaxy Z Fold 2 e outros dispositivos. Isso tende a deixar o último trimestre do ano ainda mais interessante para a companhia.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Exato, esse é o ponto. Nós somos a exceção. Mas o usuário leigo não sabe nem o que é um flagship. Sabe que Galaxy linha S e Note são as melhores, mas essa dedução é com base no preço e posicionamento de marca. Então ele esta nem aí se é exynos ou snapdragon, isso é algo que só a gente se importa.

Não acredito que alguém que tenha um Galaxy da linha S migre para algo inferior, muito menos um SE2 da Apple. A começar aqui no Brasil, quem tem dinheiro para ter um Galaxy ou Note, tem também para um iPhone 11 Pro Max.

A Samsung sempre vendeu menos flagship que a Apple, isso inclusive no Brasil. E na Europa, a huawei tem uma presença bem forte. Aqui na América do Sul mesmo, com exceção do Brasil, ela é top 2 em muitos países.

A Huawei é a número 1 da China, com mais de 46% de mercado, e o que torna isso mais relevante é que estamos falando de uma população de mais de 1.4BI de habitantes. É difícil competir com uma base tão grande e de consumidores vorazes.