Início » Telecomunicações » TIM tem queda de 23,9% no lucro, mas comemora expansão da TIM Live

TIM tem queda de 23,9% no lucro, mas comemora expansão da TIM Live

TIM tem redução em 6,5% na receita líquida e não cresce no pós-pago, mas comemora 600 mil clientes da banda larga fixa TIM Live

Lucas Braga Por

A TIM divulgou os resultados financeiros do 2° trimestre de 2020. A operadora registrou queda de 23,9% no lucro líquido normalizado e reduziu a receita líquida em 6,5%. O balanço foi impactado pela pandemia do novo coronavírus, com queda na venda de aparelhos, diminuição das recargas do pré-pago e baixa adesão aos planos pós-pagos.

Destaques financeiros da TIM Brasil

Indicador 2° trimestre de 2020 2° trimestre de 2019 Diferença
Lucro líquido normalizado R$ 260 milhões R$ 342 milhões -23,9%
EBITDA normalizado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) R$ 1,97 bilhão R$ 1,96 bilhão +0,9%
Margem EBIDTA normalizada 49,6% 46,0% 3,6 p.p
Receita líquida R$ 3,98 bilhões R$ 4,26 bilhões -6,5%
Custo normalizado de operação R$ 2,00 bilhões R$ 2,30 bilhões -12,8%
Capex (investimentos) R$ 673 milhões R$ 945 milhões -28,8%

No segundo trimestre de 2019, a TIM teve lucro líquido de R$ 2,02 bilhões por conta de crédito fiscal e ajustes de impostos diferidos no período anterior. Sem essa normalização, o lucro líquido do 2° trimestre de 2020 teria queda de 87,1%.

Fechamento de lojas impacta receita móvel

O negócio móvel teve receita líquida de R$ 3,67 bilhões, queda de 4,2% no comparativo anual. O indicador foi impactado pela redução na receita do pré-pago (-10,7%), principalmente pela diminuição nas recargas — a operadora esclarece que a retração chegou a mais de 20% no final de março. O pós-pago encolheu 1,1%, e a TIM afirma que o fechamento das lojas físicas reduziu o ritmo de contratações de novos planos e desaceleraram migrações.

O fechamento das lojas também impactou na receita de produtos (venda de aparelhos), que atingiu R$ 61 milhões – queda de 69,4% no comparativo anual. Além disso, o custo de mercadorias vendidas caiu 65,8%.

A TIM terminou o trimestre com 52,03 milhões de linhas móveis (-5,3%), das quais 30,7 milhões pertencem ao pré-pago e 21,3 milhões no pós-pago. A operadora tem 23,2% de participação de mercado, atrás da Vivo e Claro. No trimestre, a operadora desativou 794 mil chips, alta de 613% em relação ao mesmo período anterior.

A operadora também cresceu sua base M2M (máquinas de cartão de crédito, rastreadores veiculares e outros dispositivos de internet das coisas) em 18%, com 3,9 milhões de acessos. O ARPU (gasto médio por usuário) cresceu 0,9%, atingindo R$ 23,4.

Nas novidades recentes, a operadora reformulou o portfólio do pós-pago TIM Black, que agora inclui roaming internacional em países das Américas mas remove a franquia para serviços de vídeo.

TIM Live atinge 600 mil acessos e chega a BH e Brasília

No segmento fixo, a TIM teve receita líquida de R$ 255 milhões, dos quais R$ 148 milhões representam acessos TIM Live, produto de banda larga fixa da empresa. A cifra ainda é discreta na receita total da empresa, mas houve crescimento anual em 29% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O ARPU de TIM Live cresceu 7,6% e atingiu R$ 83,9, com alta justificada pelo aumento das ofertas com tecnologia FTTH (fibra óptica até a casa do cliente), que possuem maiores velocidades e mensalidade mais cara.

A companhia fechou o período com 606 mil acessos de banda larga, alta de 19,6% na comparação anual. 40% da base possui velocidades acima de 100 Mb/s, e a operadora já informou seus clientes que haverá aumento de preços.

A cobertura da TIM Live atingiu 2,8 milhões de domicílios home passed com FTTH, enquanto o serviço ofertado via cobre se manteve em 3,6 milhões de domicílios. O serviço está presente em 27 cidades, com lançamento recente em Belo Horizonte e Brasília, fora do Plano Piloto. O lançamento comercial será feito 100% online.

TIM anuncia Massive MIMO e solução para áreas remotas

Uma das novidades divulgada aos acionistas é a criação dos sites unplugged, ou seja, torres de celular desconectadas. O projeto consiste na construção de infraestrutura para antenas em locais remotos, como estradas, áreas do interior e locais inacessíveis.

Nessas localidades, a operadora irá utilizar energia solar e conexão via satélite, permitindo levar 4G a áreas remotas sem a necessidade de cabos de fibra óptica ou disponibilidade de energia elétrica via concessionárias. Recentemente, a TIM se comprometeu a levar 4G para todos os 5.570 municípios brasileiros. Atualmente, a operadora atende 3.517 municípios com a tecnologia.

Além disso, a TIM anunciou a implementação da tecnologia Massive MIMO no 4G. O padrão permite aumentar capacidade de conexões simultâneas em até três vezes sem adicionar espectro. O processo consiste em equipar as torres com mais antenas e transmissores, e a operadora afirma que 200 cidades receberão a tecnologia ainda em 2020.

Parceria com C6 elevou abertura de contas

Outro ponto da apresentação aos acionistas é a parceira com o C6 Bank. A TIM já havia divulgado bônus de internet para clientes do pré-pago, controle e TIM Beta que efetuarem recarga ou pagarem a fatura utilizando os serviços do banco. A operadora também promete bônus de internet para clientes do pós-pago TIM Black com lançamento “em breve”.

Nas três primeiras semanas, a parceria elevou a média diária de abertura de contas em 8 vezes, totalizando 200 mil novos clientes para a fintech e 52% de das recargas foram feitas para números TIM. A operadora recebe uma taxa por cliente ativo encaminhado ao banco.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Planos de telefonia móvel (pré, pós e controle) da TIM estão horríveis! Nenhum vale a pena!
Ainda vão aumentar o valor dos planos de banda larga. TIM se tornou uma VIVO.

Anderson Antonio Santos Costa (@Anderson_Antonio_San)

A TIM virou a Vivo 2020.
Piorou todos os seus planos.
O resultado é a queda no lucro.

André Noia (@Andre_Noia)

O Tim Live realmente está chegando fora do eixo Asa Sul / Asa norte em Brasília, mas a estratégia em algumas regiões é meio incompreensível. Talvez o fato de o tronco da fibra estar em uma região justifique cabear locais com alta concorrência ao invés de iniciar em regiões com falta de oferta de fibra. Em Taguatinga sul, por exemplo, temos: Oi fibra e mais 2 (ou até 3 operadoras locais) , e a Claro HFC. Definitivamente não dá pra entender. Agora, o cabeamento da Tim no poste é de dar inveja. Super organizado.