Início » Telecomunicações » TIM lança site que mostra se você tem direito a ressarcimentos

TIM lança site que mostra se você tem direito a ressarcimentos

Novo portal permite que clientes e ex-clientes da TIM consultem saldo para ressarcimento

Lucas Braga Por

A TIM lançou um site para restituir consumidores que tiveram cobranças indevidas, como parte das exigências do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado com a Anatel. Ex-clientes da operadora poderão verificar se há algum saldo para recebimento informando apenas o CPF ou CNPJ. Assinantes atuais da TIM também poderão receber dinheiro de volta caso haja algum valor disponível.

Site de devoluções de valores da TIM

Para verificar se há algum crédito disponível, basta entrar o portal de ressarcimento da TIM e digitar o CPF ou CNPJ. Clientes atuais da operadora serão ressarcidos em até seis meses, enquanto ex-clientes podem receber o valor até 21 de julho de 2021. Clientes fora da base e não identificados, ou seja, os que não têm todos os dados completos, terão o saldo destinado ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDD).

Todos os valores incluem atualização e juros. Caso o ressarcimento não seja solicitado, o valor segue para o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos. A TIM deve devolver algo próximo a R$ 4 milhões.

TIM levará 4G para todos os municípios do Brasil

Outra exigência do TAC era a expansão da rede. A Anatel permitiu que a TIM deixasse de pagar uma multa de R$ 638,9 milhões, desde que levasse a tecnologia 4G para 350 novos municípios com menos de 30 mil habitantes e melhorasse a infraestrutura em 2 mil cidades.

No entanto, a TIM se comprometeu a levar o 4G para todos os 5.570 municípios brasileiros até 2022. Atualmente, a companhia atende 3.517 cidades com a tecnologia LTE; são 2.053 municípios a serem conectados nos próximos dois anos.

Uma das soluções que deve ajudar a operadora no compromisso de cobertura é a adoção de sites unplugged. O modelo foi anunciado na divulgação do balanço financeiro do segundo trimestre. Nesse formato, a TIM irá utilizar energia solar e conexão via satélite, o que facilita o aumento da cobertura, uma vez que não há necessidade de rede de energia elétrica ou cabos de fibra óptica. O formato será usado em áreas remotas, como estradas, locais do interior e demais regiões inacessíveis.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando