Início » Telecomunicações » Oi divulga possibilidade de vender operação de TV por assinatura

Oi divulga possibilidade de vender operação de TV por assinatura

No aditamento do plano de recuperação, Oi anuncia possibilidade de vender operação de TV por DTH e IPTV por R$ 20 milhões

Lucas Braga Por

A Oi divulgou uma nova proposta de aditamento no plano de recuperação judicial e revelou a possibilidade de vender seu braço de TV por assinatura. O negócio tem valor mínimo de R$ 20 milhões em única parcela pela venda completa da operação via satélite (DTH) e compartilhamento de receitas nos acessos usando IPTV via fibra óptica.

Site da Oi TV

A operadora prevê a possibilidade de criação de uma Unidade Produtiva Isolada (UPI) do negócio de TV por assinatura, a TV Co. O negócio transfere para a compradora toda a base de clientes, ativos e passivos do serviço prestado com tecnologia DTH, incluindo a capacidade do satélite SES-6 e contratos de conteúdo. A companhia mantém contrato com a SES válido até 2027.

A compradora também assumiria o negócio de TV por assinatura IPTV, prestado pela rede da Oi Fibra. Nesse caso, a Oi deve permanecer com a propriedade das plataformas e equipamentos e ficaria com 50% da receita líquida do serviço prestado. A Oi também manteria as plataformas de OTT (Oi Play), vendendo apenas os serviços prestados pelo Serviço de Acesso Condicionado (SeAC).

Oi TV tem 1,4 milhão de clientes

Dados da Anatel de junho de 2020 mostram que a Oi tem 1,49 milhão de acessos de TV por assinatura, representando cerca de 9,8% do mercado. 95% dos clientes utilizam a tecnologia DTH, enquanto apenas 75 mil assinantes usam IPTV por fibra óptica.

Se um negócio for concretizado pelos R$ 20 milhões, a compradora da InfraCo iria pagar cerca de R$ 13,50 por acesso. Nos resultados financeiros do 2° trimestre, a Oi revela que o serviço DTH trouxe R$ 371 milhões em receita líquida no período, queda de 13,3% na comparação anual.

Já faz algum tempo que a operadora desestimula as adesões do serviço de TV por assinatura por DTH. No satélite, a adesão para novos clientes é feita somente no formato Oi TV Livre, em que o assinante precisa comprar o decodificador, antena e pagar pela instalação. A partir daí, é possível usar um plano de TV pré-pago ou pós-pago. A unida modalidade vigente com comodato é na tecnologia IPTV por fibra óptica.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcos Tony (@Marcos_Tony)

Somente 20 milhões? Muito barato…

Wellington Gabriel de Borba (@Wellington_Gabriel)

É uma indústria em declínio.

Wellington Gabriel de Borba (@Wellington_Gabriel)

Acho muito chique quem tem TV por assinatura em 2020.

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

20 milhões?? Que miséria…

@ksio89

TV paga é coisa de burguês, haja dinheiro para pagar os planos caríssimos.

André Noia (@Andre_Noia)

Agora, qual o sentido em desestimular as adesões ao DTH quando, no passado, a Oi comprou um espaço absurdo no satélite SES-6? Ou o investimento lá em 2013 já se pagou ou a base de menos de 1.5 milhão de assinantes sustente isso. A Vivo está nessa política de não instalar mais conexões de xDSL, mas nesse caso faz sentido, já que dá muita manutenção. Eu nunca vi instalação de DTH demandar manutenção constante. E dificilmente eles conseguiriam ofertar IPTV no Brasil inteiro.