Início » Negócios » Google diz que pagar para exibir notícias na Austrália ameaça serviços grátis

Google diz que pagar para exibir notícias na Austrália ameaça serviços grátis

Projeto de lei australiano tenta implementar novo código para uso de conteúdo por empresas de tecnologia

Ana MarquesPor

O Google se manifestou contra um projeto de lei australiano que pode mudar a forma como a gigante da tecnologia lida com conteúdo proveniente de empresas de mídia. Entre outros requisitos, a nova regulamentação prevê pagamento obrigatório por notícias de veículos de comunicação locais, mas o Google afirma que a medida colocaria em risco a qualidade do serviço de buscas gratuito na Austrália.

predio google tecnoblog

Em uma carta aberta publicada nesta segunda-feira (17), a empresa traz um alerta aos usuários australianos sobre os impactos que a regulamentação proposta pelo governo pode causar à Pesquisa Google e ao YouTube.

Caso seja implementada, a nova lei pode exigir que plataformas como o Google e o Facebook priorizem empresas de notícias ao anunciar, com antecedência, mudanças em algoritmos de classificação para exibição de conteúdo na busca e no feed. O descumprimento dessa regra poderia gerar multas de até 10% no faturamento local da companhia.

O Google rebate a imposição do novo código de conduta para para notícias, alegando que “apenas as empresas de mídia jornalística receberiam informações que as ajudariam a aumentar artificialmente sua classificação”, o que poderia dar vantagem a esses veículos sobre outros canais independentes, ainda que outros sites entregassem um conteúdo melhor.

Para a diretora-executiva do Google Austrália, Mel Silva, tais exigências prejudicariam os resultados de busca para os usuários da plataforma. Silva também afirma que a regulamentação prevê o compartilhamento de dados de usuários com veículos, e especula sobre o tratamento que esses dados teriam em empresas de mídia.

No entanto, a Comissão Australiana de Concorrência e Consumidores (ACCC) afirma que a carta do Google promove “desinformação”. A resposta oficial explica que “o Google não será obrigado a compartilhar nenhum dado de usuário adicional com empresas de notícias australianas, a menos que decida fazê-lo”.

Como ressalta o Mashable, no que diz respeito aos dados compartilhados, a legislação se refere apenas ao insumo necessário para determinar o lucro das empresas de tecnologia a partir de sites de notícia. Desse modo, os veículos poderiam negociar o pagamento adequado.

De acordo com a ACCC, a maior motivação do novo projeto de lei é proporcionar equilíbrio entre os lucros gerados por empresas de mídia e os benefícios que as gigantes da tecnologia obtém desse serviço. “Um setor de mídia de notícias saudável é essencial para o bom funcionamento da democracia”, pondera o órgão.

Projeto de incentivo ao jornalismo

Cabe lembrar que em junho deste ano o Google anunciou um programa de licenciamento com o objetivo de apoiar o jornalismo em diversos países. A empresa pretende pagar a veículos parceiros pelo conteúdo premium – que é ofertado nesses sites por meio de paywall –, com o objetivo de tornar gratuito o acesso desse material para leitores na internet.

O projeto inicial inclui publicações do Brasil, Alemanha e – também – da Austrália. A previsão de lançamento era para o final de 2020, mas de acordo com o Financial Times, a proposta foi interrompida em território australiano devido ao novo projeto de lei.

Com informações: Google, Mashable e Verge

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação