Início » Negócios » Venda de PCs cai 12,6% no Brasil e preços aumentam

Venda de PCs cai 12,6% no Brasil e preços aumentam

Desktops ficaram 67,8% mais caros com a alta do dólar, segundo pesquisa da IDC

Ana Marques Por

O “boom” de vendas em computadores no início de 2020 – devido às demandas de home office e aulas à distância na pandemia – não se confirmou no segundo trimestre, aqui no Brasil. Um estudo da consultoria IDC revela queda de 12,6% na venda de PCs, em relação ao mesmo período do ano passado.

O movimento vai contra o aumento registrado em escala global. A alta do dólar teve forte impacto nos preços de máquinas e componentes, e o mercado corporativo foi o mais impactado.

De acordo com a IDC, o Brasil vendeu 1,265 milhão de máquinas entre abril e junho de 2020, 183 mil a menos do que no 2º trimestre de 2019 e 205 mil menos do que no 1º trimestre deste ano. Apesar da retração em relação a desktops, os notebooks mantiveram o ritmo registrado entre janeiro e março deste ano.

O mercado corporativo registrou a venda de 137.892 desktops e 221.646 notebooks no segundo trimestre. De acordo com Rodrigo Okayama, analista da IDC Brasil, as empresas vivem uma crise de fluxo de caixa. Alterações em cobranças de impostos sobre peças e transportes de produtos também contribuíram para que as companhias “colocassem o pé no freio”, congelando investimentos.

Dentro desse mercado, o setor educacional foi o ponto fora da curva, apresentando crescimento de 11,2% em vendas.

pc gamer

O varejo teve melhor desempenho, com um total de 906.423 máquinas vendidas em lojas físicas e online. Até os supermercados entraram como ponto de venda de computadores. A pesquisa mostra ainda que a busca por PCs de alto desempenho teve forte crescimento: 90%.

“Apesar de ainda representarem nichos de mercado, gamers, editores de arte, fotógrafos, arquitetos etc., que precisam de máquinas de alta performance, com maior poder de processamento, compraram 92 mil notebooks e 20,4 mil desktops”, revela Okayama.

Preços de computadores disparam no Brasil

De acordo com a IDC, no segundo trimestre foi a vez do repasse de preços chegar aos consumidores. Veja, na tabela a seguir, as médias de preços de desktops e notebooks entre maio, abril e junho de 2020 e a variação em relação ao ano anterior.

Período Preço médio de desktops Preço médio de notebooks
2º trimestre de 2019 R$ 2.150 R$ 2.670
2º trimestre de 2020 R$ 3.607,08 R$ 4.342,45
Aumento (ano contra ano) 67,8% 62,6%

Apesar dos números alarmantes, a IDC prevê melhora daqui pra frente. A estimativa é de crescimento de 1,2% no terceiro trimestre e 3,5% no quarto tri – período que envolve as compras de Black Friday e Natal. Em termos gerais para o mercado de computadores, o ano de 2020 deve fechar com um crescimento de 4,4% no varejo e queda de 9,9% no setor corporativo.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@ksio89

Ah se tivessem aumentado só por causa do dólar, tem peças que dobraram ou até mesmo triplicaram de preço. Lojista brasileiro é oportunista demais, estão aproveitando que tem trouxa desespersdo para pagar preços absurdos, já que sabem que brasileiro é incapaz de fazer boicote. E se forem ver o preço das peças usadas no OLX é rir para não chorar de raiva, se pedem valores exorbitantes, é porque tem tonto que paga.

Esse ano já era para montar um PC ou fazer upgrade, o jeito é esperar até ano que vem ou comprar peças da China. Prefiro importar componentes e não ter que garantia do que dar meu dinheiro pra empresário brasileiro malandro, máximo que compraria aqui é fonte e gabinete.

@ksio89

Não adianta, brasileiro é mimado demais e não sabe boicotar ou esperar preço baixar, o povo passa fome mas não deixa de comprar. O pior que como esses consumidores são maioria, eles acabam inflacionando os preços para todos, boicote só funciona se for generalizado.