Início » Gadgets » Fossil Gen 5 ganha recursos que Google não oferece no Wear OS

Fossil Gen 5 ganha recursos que Google não oferece no Wear OS

Atualização da Fossil resolve problemas no Gen 5 que envolvem consumo exagerado de energia ao monitorar exercícios físicos

André Fogaça Por

A Fossil começou a atualizar seu principal smartwatch, o Gen 5, com recursos importantes que podem resolver problemas não solucionados no próprio Wear OS. A lista inclui uma mudança que promete economizar energia e até mesmo a capacidade de calcular a quantidade de oxigênio que está presente na corrente sanguínea do usuário.

fossil smartwatch gen 5

O movimento não é inesperado, já que o próprio Google demonstra não ter muito interesse em manter atualizado seu sistema operacional para relógios inteligentes, mesmo após uma promessa de atualização que pode melhorar consideravelmente o desempenho destes gadgets – em uma taxa de até 20%, quando comparado com a versão anterior do Wear OS.

Enquanto o gigante das buscas não faz muito, a Fossil resolveu arregaçar as mangas e trabalhar em um update exclusivo para o Gen 5 e que entrega ainda mais. A maior mudança fica no local onde dados de batimentos cardíacos e contagem de passos são medidos, que saem do processador central do Snapdragon 3100 e passam para seu coprocessador, que gasta menos energia para fazer exatamente a mesma coisa durante um exercício físico.

Outras novidades incluem estimativas da quantidade máxima de oxigênio que o corpo pode transportar e metabolizar (VO2 Max), melhorias na quantidade de dados analisados durante o sono e na saúde cardíaca do usuário. Já o modo de consumo de energia poderá receber perfis de uso que podem garantir mais desempenho ou maior autonomia, além de acesso facilitado para contatos a partir do relógio – este recurso poderá ser utilizado até por usuários que estão no iPhone.

A atualização já está começando a chegar a partir desta quarta-feira (19) e pode ser feita dentro do menu de ajustes do próprio relógio, que funciona normalmente em qualquer Android que rode ao menos a versão 6 Marshmallow, ou então em um iPhone com o iOS 10 ou superior.

Com informações: Android Police e Venture Beat.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação