Início » Curiosidades » Apple teria feito iPod secreto a pedido do governo dos EUA

Apple teria feito iPod secreto a pedido do governo dos EUA

Ex-engenheiro da empresa revela a história de dispositivo que poderia detectar radioatividade sem ser notado

Ana Marques Por

O ex-engenheiro da Apple, David Shayer, divulgou recentemente uma história digna de filmes de ficção científica – e que, segundo ele, aconteceu há 15 anos. Shayer afirma ter participado de um projeto secreto para a construção de um iPod especial, a pedido do governo dos Estados Unidos.

apple ipod

De acordo com o relato feito em detalhes no site TidBITS, Shayer foi pego de surpresa em um dia cinzento, no final de 2005. “Eu estava sentado à minha mesa, escrevendo código para o iPod do ano seguinte. Sem bater, o diretor de software do iPod – o chefe do meu chefe – entrou abruptamente e fechou a porta atrás de si”, contou o ex-engenheiro.

O assunto era secreto: uma tarefa especial, que não poderia ser revelada nem para o chefe direto de Shayer. Ela seria em conjunto com dois supostos engenheiros do Departamento de Energia dos Estados Unidos, Paul e Matthew. Apenas quatro funcionários da Apple sabiam sobre o projeto: David Shayer, o diretor de software do iPod, o vice-presidente da Divisão de iPod e o vice-presidente sênior de hardware – nenhum deles continua trabalhando na empresa.

“Não havia rastro de papel. Toda a comunicação era pessoal”, explicou Shayer. “Eles queriam adicionar algum hardware personalizado a um iPod e gravar dados desse hardware personalizado no disco do iPod de uma forma que não pudesse ser facilmente detectada. Mas ainda precisava ter a aparência e o funcionamento de um iPod normal.”

O relato afirma ainda que essa não foi uma colaboração comum, com contrato e pagamento de serviços. Basicamente, a história se trata de um favor feito pela Apple, por baixo dos panos, para o governo norte-americano. Entretanto, Shayer explica que dados sigilosos da empresa de Steve Jobs ficaram protegidos durante o processo.

Ele também conta que a real finalidade para o iPod especial nunca foi divulgada por Paul e Matthew, mas supõe que o dispositivo tenha sido modificado para rastrear radioatividade, identificando silenciosamente potenciais bombas caseiras ou urânio roubado.

Em sua conta no Twitter, Tony Fadell, que era vice-presidente do iPod na época, confirmou a história de David Shayer.

Para ler o relato, na íntegra [em inglês], acesse o texto completo no TidBITS.

Com informações: Verge

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

Surreal, envolver assim quatro civis em algo de segurança nacional, literalmente apostando que eles não abrissem o bico com toda margem de falta de preparo, equilíbrio emocional e habilidade que eles teriam ou não de lidar com a situação.

Muito estranho. O governo não tem dinheiro pra manter engenheiros em uma área 51 da vida pra fazer uma engenheira reversa no iPod e enfiar um sensor desses !?!?!?!?

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Na época o software do iPod era completamente novo. Esses engenheiros se encarregaram de ensinar. Tanto que os civis envolvidos nem sabem ao certo o que foi feito, especula-se terem modificado para um contador Geiger. Mas a principal característica que queriam era que mantivesse o iPod funcional como iPod e ao mesmo tempo que atuaria como esse possível contador Geiger.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Pouca gente envolvida, sem documentos de quem eram e não sabiam o que estavam fazendo, parece bem pouco provável alguém saber quais funcionários interrogar pra descobrir algo, e parece que a informação que eles detinham era bem limitada, só sabiam que iam adicionar algum hardware ao ipod.

Bruno (@Unknown)

Me pergunto se este tipo de declaração não pode gerar algum risco a eles mesmos ou a outras pessoas.

Hector Bonilla (@Hector_Bonilla)

Isso explica: essa semana mesmo vi um documentário onde o George Bush dizia que usava um Ipod Shuffle (gostava bastante de musica country, como bom Texano).

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

E vc acha que eles tem escolha? A maior loucura que uma pessoa pode cometer lá é ir contra um “pedido” das forças armadas ou do serv. secreto. Já houveram vários casos de pessoas que súbita e misteriosamente “desapareceram” ou que “se suicidaram” após problemas com essa gente.

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

Não tem escolha. O meu ponto de vista é no governo fazer isso, correr essa margem de risco de ser um Snowden o civil do outro lado.

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Snowden é um caso raríssimo. Da pra contar nos dedos. Ninguém é louco de arriscar a própria vida e viver fugindo do governo, vivendo em embaixadas ou algo do tipo. Ser um “Snowden” é praticamente abrir mão da própria vida. 99% simplesmente prefere obedecer e depois voltar à vida normal tentando viver como se nada houvesse acontecido. Além disso Snowden tinha conhecimento do que acontecia lá dentro (por ter atuado por muito tempo como um deles) e tinha muitos contatos, não era um zé ninguém / leigo.

Jedielson (@Jedielson)

Acredito que deva haver alguma precedente lá que permita divulgação de algumas informações após X anos. Tipo uma prescrição, pois só agora 15 anos depois que foram falar nesse assunto.