Início » Jogos » Apple acusa Epic de pedir tratamento preferencial para Fortnite

Apple acusa Epic de pedir tratamento preferencial para Fortnite

Apple questiona pedido de liminar; Epic Games será removida de plataformas de desenvolvedores do iOS e Mac em 28 de agosto

Felipe VenturaPor

A Apple entrou na Justiça nesta sexta-feira (21) para questionar um processo aberto pela Epic Games que tenta impedir sua remoção das plataformas de desenvolvedores no iOS e Mac. Ela alega que a criadora de Fortnite pediu tratamento preferencial: a autorização de oferecer a Epic Games Store para vender este e outros apps sem pagar a taxa de 30%. O jogo de battle royale foi removido da App Store.

Epic desafia Apple com Fortnite; jogo foi removido da loja do iOS / Reprodução / Felipe Vinha

No documento apresentado à Justiça, a Apple afirma que “a Epic executou uma campanha cuidadosamente orquestrada e multifacetada com um vídeo de paródia, produtos, hashtag, tweets beligerantes e agora um pedido pré-pronto de liminar”.

Segundo a Apple, a Epic enviou um e-mail em 30 de junho pedindo para oferecer o app da Epic Games Store através da App Store. Ele permitiria instalar apps como Fortnite e cobraria por eles sem o mecanismo de compra in-app presente no iOS. Em 10 de julho, a Apple recusou a proposta, respondendo que “nunca permitiu isso”.

Em 13 de agosto, Sweeney avisou a Apple que iria violar as regras da App Store: “a Epic não vai mais aderir às restrições de processamento de pagamento da Apple”. Horas depois, a empresa ativou um hotfix que liberou compras in-app com desconto sem pagar a taxa de 30% da loja. Então, Fortnite foi removido e não pode receber atualizações. O mesmo ocorreu com a versão para Android na Google Play Store.

O CEO da Epic Games, Tim Sweeney, tuitou em 13 de agosto: “a Apple disse que a Epic está buscando um acordo especial, mas isso não é verdade; estamos lutando por plataformas abertas e mudanças de políticas que beneficiam igualmente todos os desenvolvedores”.

Fortnite pode voltar à App Store se obedecer regras

Para a Apple, a taxa de 30% é uma forma de remunerar suas ferramentas, programas, serviços e suporte para a App Store, incluindo as 150 mil APIs de seus sistemas. Ela lembra que essa comissão não é exclusiva: “a Google Play Store, Amazon Appstore, Microsoft Store e muitas lojas de jogos digitais como Xbox, PlayStation, Nintendo e Steam têm taxas e requisitos semelhantes”.

A Apple argumenta que a Epic até pode entrar com um processo judicial para questionar se a App Store representa uma ameaça de monopólio. No entanto, não teria mérito o pedido de liminar que a desenvolvedora fez para não perder acesso às ferramentas para iOS e Mac em 28 de agosto.

A liminar indica que o assunto é uma emergência, mas a Apple observa que o problema “é inteiramente produzido pela própria Epic… ela sabia muito bem o que aconteceria e, ao fazê-lo, criou de forma deliberada e proposital o dano para jogadores e desenvolvedores de jogos”. A violação de contrato também pode afetar apps que usam a Unreal Engine.

“A Apple quer a Epic no iOS e deseja que os clientes tenham acesso aos jogos que amam da Epic e de todos os outros desenvolvedores”, diz a empresa. Para Fortnite voltar à App Store, basta que o jogo deixe de oferecer uma forma alternativa de pagamento — mas a desenvolvedora não cedeu, e a briga judicial continua.

Com informações: TechCrunch.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Vinicius (@vinimaz)

Como comentado pela própria Apple, é uma prática feita nas outras lojas digitais também…a Epic não tá brigando por direitos, ela só quer aumentar a receita

² (@centauro)

O único ponto que a Apple parece fazer diferente das outras lojas é obrigar todas as transações dentro do app a passarem pela Apple Pay, o que acaba incidindo em taxas a serem pagas para a Apple.
Playstation, Xbox e Switch não forçam algo parecido porque nenhuma delas possuem algo semelhante ao AP (mas eu não sei como são as regras pras transações dentro do app nessas lojas).
Google, Amazon e Steam eu não sei como funciona também, mas eu imagino que não tenha essa obrigação.

Mas não é difícil argumentar a favor dessa obrigação que a Apple coloca.
Dá pra falar que é basicamente um mecanismo de segurança. Serve pra impedir que apps redirecionem o usuário para um site não-seguro pra realizar uma transação inescrupulosas.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

A verdade é que todos querem sua fatia de lucro.

Até podemos argumentar que a Apple está errada em cobrar os 30%, porém todo mundo faz igual, a Apple é só um alvo grande o bastante, pra ganhar visibilidade.

Acho sim que a Apple errou em não aproveitar essa WWDC para liderar um movimento, junto dos dev para chegarem a um consenso. Ao mesmo tempo eu compreendo que agora seria o pior momento para você fazer uma mudança dessas. Só geraria mais incerteza e especulação maldosa.

Porém mais cedo ou mais tarde ela terá que tomar essa atitude. Com a saída do Phil Schiller ela sinaliza que está aberta a essa mudança.

Eu como usuário acho a mecânica da App Store ótima. Não preciso me preocupar com segurança ou com ficar preenchendo credenciais de dados sensíveis para comprar apps. Por mim esse sistema de pagamento interno poderia se expandir para todos os apps, como Uber, ifood.

Outro ponto que me agrada é saber que o que tem na App Store, vai respeitar as políticas de privacidade (bem como guidelines de design, updates) e com isso consigo um controle melhor sobre meus dados.

A Apple não é a mocinha e nem a vilã da novela, é só uma empresa que cresceu porque seus clientes veem valor nos seus produtos e confiam na sua marca, e ela não tem que ser punida só porque se tornou grande. Esse pensamento de que “ você agora é grande de mais, prejudica a competição, vamos te desmembrar” chega a ser triste vermos gente pensar assim.

Brunei Bettencourt (@Brunei)

EPIC, seja bem vinda ao mundo minha jovem, a vida é assim, se você achar ruim fabrique seu próprio smartphone. Esses 30% é o preço que se paga para a Apple produzir processadores, arquitetura e outras features para rodar jogos como o seu, a Apple quer lucro, e se a Epic questiona que 30% é muito, deveria repensar no valor que cobra por “recompensas” não tangíveis para um jogo virtual que não agrega valor, se o primeiro for injusto o segundo também é.