Início » Finanças » Banco Central inicia estudos para emitir moeda digital

Banco Central inicia estudos para emitir moeda digital

Nova moeda faria parte da política monetária do país, diferenciando-se de criptomoedas como o bitcoin

Ana Marques Por

O Banco Central (BC) anunciou, na última quinta-feira (20), a criação de um grupo de estudo para discutir a emissão de uma moeda digital no Brasil. A ideia é mapear os possíveis riscos do processo, bem como analisar os impactos da ação sobre a estabilidade financeira do país e a condução das políticas monetária e econômica.

banco central do brasil (Foto: Foto: Rodrigo Oliveira/Caixa Econômica Federal)

Como o nome sugere, uma moeda digital não tem representação física – sua circulação é feita apenas por meio eletrônico. No entanto, não deve-se confundir esse tipo de moeda com criptomoedas como o bitcoin, que não têm garantia nacional.

A moeda digital do Banco Central (CBDC) não traria concorrência ao real. Em comunicado, o BC afirma que “trata-se de apenas uma nova forma de representação da moeda já emitida pela autoridade monetária nacional, ou seja, faz parte da política monetária do país de emissão”.

Caso seja implementada, a CBDC poderá “provocar mudanças substanciais no Sistema Financeiro Nacional”, trazendo benefícios complementares aos do PIX, novo sistema de pagamentos instantâneos que entra em vigor em 16 de novembro.

A emissão de moeda digital por bancos centrais é objeto de estudo ao redor do mundo, e pode melhorar a forma como pessoas e países realizam transações comerciais.

Com informações: Banco Central do Brasil

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

² (@centauro)

Dependendo de como for projetado e implementado, pode facilitar o rastreio do dinheiro e dificultar fraudes e crimes envolvendo lavagem de dinheiro.

Por isso um sistema desses, que pode ser o primeiro passo para a diminuição massiva do uso do papel moeda, pode ter alguma resistência de “forças ocultas”.

@ksio89

Por forças ocultas leia-se próprio governo, que planeja taxar pagamentos digitais e transações no cartão, estimulando assim o uso de dinheiro em espécie.

Eu (@Keaton)

Conhecendo bem o Brasil, eles farão alguma presepada sem precedentes que imposssibilitará o rastreamento de certas contas.

Mas no mais, é uma coisa que eu estava querendo que acontecesse… que as cédulas de papel e moedas desaparecessem. VIrando tudo digital… rastreavel.

Mas seria bom se tu pudesse colocar um valor na “carteira” e deixar todo o resto no banco, sem mostrar todo o valor que tu tem. Ai no caso de assalto, era só dar o que estava na carteira que o resto estaria a salvo… (yep, tenho paranoia com levar tiro por causa de 50 reais ou perder os 120 reais que tenho no banco. hahaha)

Sérgio (@trovalds)

E qual a diferença da “moeda oficial”? Praticamente nenhum país no mundo ainda tem lastro em ouro da sua moeda.

Jedielson (@Jedielson)

Mas usam outras commodities, não?

² (@centauro)

Não.
No máximo usam o dólar americano, mas acho que também é a minoria dos países.
Hoje em dia as moedas praticamente não tem lastro no sentido mais conhecido da palavra.
Pra emitir ou não mais moeda usam basicamente o nível de dívida pública e taxa de inflação em relação à meta da taxa.

O valor da moeda hoje em dia é baseada basicamente na confiança e, em certa medida, na lei.

@LeoWalk (@LeoWalk)

Não vejo a hora desse sonho se tornar realidade!!!