Início » Gadgets » Sony WH-1000XM4: cancelamento de ruído e um monte de recursos

Sony WH-1000XM4: cancelamento de ruído e um monte de recursos

Fone de ouvido da Sony tem nova geração com cancelamento ativo de ruído, detecção de voz, múltiplo pareamento e mais

Paulo Higa Por
Nota Final 9.4

O Sony WH-1000XM4 é a nova geração do headphone com cancelamento de ruído mais sofisticado da marca japonesa. O modelo anterior já marcava todas as caixinhas de um bom produto, oferecendo qualidade de som convincente, bateria de longa duração e a tecnologia de isolamento mais eficiente que eu já experimentei. Será que tinha como melhorar?

Cobrando R$ 2.429, a Sony decidiu seguir pelo caminho seguro, sem alterações profundas no design ou nos falantes. Ainda assim, a empresa promete um fone de ouvido mais confortável, com um cancelamento de ruído ainda melhor e com recursos para você nem precisar tirar mais o headphone da cabeça. Compensa? Eu testei o Sony WH-1000XM4 nas últimas semanas e conto tudo neste review.

Análise do fone Sony WH-1000XM4 em vídeo

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente de tecnologia que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises de produtos são opinativas e não possuem nenhuma intenção publicitária. Por isso, sempre destacamos de forma transparente os pontos positivos e negativos de cada produto.

Nenhuma empresa, fabricante ou loja pagou ao Tecnoblog para produzir este conteúdo. Nossos reviews não são revisados nem aprovados por agentes externos. O WH-1000XM4 foi fornecido pela Sony por empréstimo. O produto será devolvido à empresa após os testes.

Design e conforto

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

Na primeira olhada, o WH-1000XM4 é idêntico ao WH-1000XM3. O esquema de cores é o mesmo (só o ouro rosê foi abandonado), os comandos sensíveis ao toque continuam aqui e as opções de conectividade também, com uma porta USB-C para carregar a bateria, uma entrada de 3,5 mm para plugar um fio e um NFC na concha esquerda para se conectar rapidamente a um smartphone compatível.

A diferença ficou nos detalhes: a Sony diminuiu a espessura da almofada superior e tornou as espumas em cada lado mais ovais, distribuindo melhor a pressão sobre a cabeça. Para mim, o headphone continua relativamente confortável para ser usado por várias horas seguidas, mas ainda está atrás do velho Bose QuietComfort 35 II, que é 20 gramas mais leve e exerce menos pressão em torno das minhas orelhas.

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

Apesar de não ser o melhor em conforto e de não utilizar nenhum material de outro mundo na construção, é fato que a Sony entrega um design de respeito. Tudo é muito bem encaixado, sem folgas e com ótima sensação ao toque. E o estojo de transporte que acompanha o WH-1000XM4 é compacto e bem rígido, sendo uma mão na roda para levar o fone para qualquer viagem. Pelo menos quando a pandemia acabar.

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

Software e funções

Talvez as melhores novidades estejam no software. Se o WH-1000XM3 era um bom fone de ouvido, o WH-1000XM4 é um bom dispositivo vestível. A Sony nitidamente se esforçou em desenvolver recursos para você não precisar mais nem tirar o headphone da cabeça. Ainda assim, quando tirar, um novo sensor permite pausar a música quando o fone não estiver sendo usado, o que ajuda a economizar bateria.

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

O Quick Attention, que diminui temporariamente o volume da música e desativa o cancelamento de ruído para você conversar com alguém, só colocando a mão na concha direita, continua disponível. Mas agora existe o modo Falar, que parece bruxaria: assim que você começa a falar, o WH-1000XM4 entra sozinho no modo de atenção, pausando a música e permitindo que você ouça a voz da outra pessoa.

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

Conversando com a gerente de marketing da Sony, Ana Malerbi, ela me explicou que a tecnologia é baseada em machine learning e aprende a voz do usuário em até dois dias. Nos meus testes, o recurso funcionou desde o primeiro dia, inclusive no modo de baixa sensibilidade, que foi mais adequado dentro de casa. É claro que o modo Falar tem limitações: ele também entrou em ação quando eu cantarolei uma música, então talvez você precise desativar o recurso manualmente em certas ocasiões.

O aplicativo da Sony agora pode usar a localização do GPS do seu celular para decidir quando ativar, reduzir ou até desligar o cancelamento de ruído, mas não consegui testar esse recurso porque estamos em tempos de distanciamento social, então fica para uma próxima oportunidade.

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

O que consegui testar e que faz sentido considerando que mais pessoas estão trabalhando de casa é o múltiplo pareamento, uma função que existe há tempos na concorrência e estava ausente na linha 1000X. No meu caso, deixei o fone pareado ao notebook para ouvir música e, sempre que necessário, ele alternava para o celular para atender uma ligação, por exemplo. O recurso foi bem falho nos primeiros dias e não funcionava direito no iPhone, mas uma atualização de firmware corrigiu o problema.

Para quem se interessa por sopa de letrinhas, uma ausência notável do WH-1000XM4 é o codec aptX, da Qualcomm, que existia na geração anterior e foi removido. Quem é usuário de iOS não deve notar problemas, já que o codec usado sempre foi o AAC, mas donos de Android com ouvidos mais sensíveis podem sentir uma pequena piora na qualidade no modo SBC. Vale lembrar que o codec LDAC, de alta resolução, continua disponível, mas não funciona no modo de duplo pareamento.

Qualidade de som e microfone

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

O som do WH-1000XM4 é encorpado, com graves extensos e de boa profundidade, que são bastante divertidos em músicas pop, mas podem soar um pouquinho exagerados para quem prefere um som mais aberto e não tão quente, como é o meu caso. O impacto das baixas frequências, que também era visto no modelo anterior, fica bem notável nas batidas de Call You Mine dos Chainsmokers. A energia na apresentação também é forte no Contact, do Daft Punk.

Ser encorpado não significa que os detalhes são deixados de lado. Os médios são reproduzidos com todas as suas nuances e têm boa separação instrumental, passando no meu teste do refrão de One Last Breath, do Creed, com vocal, guitarra e pratos que facilmente se transformariam em uma bolota de barulho em fones de qualidade inferior. Também me agrada bastante a textura do violino no início das Quatro Estações de Vivaldi: nítida, mas não incômoda.

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

Uma novidade é o DSEE Extreme, uma evolução do DSEE HX, que tenta melhorar a qualidade de som ao trazer de volta detalhes que foram perdidos em músicas com compressão. Honestamente, eu não sinto diferença significativa com o recurso ativado, mas ele pelo menos não piora a experiência sonora como no WF-1000XM3, que adicionava granulação nas vozes femininas. Nos meus testes, o DSEE Extreme ficou sempre ligado.

Já a qualidade do microfone fica dentro do que eu espero de um fone de ouvido Bluetooth, ou seja, é apenas ok. Mesmo com uma nova tecnologia chamada Precise Voice Pickup, a voz continua com um leve aspecto metalizado, típico de compressão, que pode prejudicar o entendimento de algumas palavras. Ainda assim, está menos pior que na geração passada e permite que a pessoa do outro lado da linha consiga te entender satisfatoriamente bem.

Cancelamento de ruído e bateria

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

O cancelamento ativo de ruído é um dos pontos de destaque da linha 1000X e está realmente muito bom. Diferente do que fiz nas gerações passadas dos headphones da Sony, não consegui testar o recurso dentro de um avião por motivos óbvios, mas o WH-1000XM4 se deu muito bem ao eliminar os ruídos do dia a dia.

Assim como outras tecnologias de ANC, o fone não faz milagres com sons mais agudos e inconstantes, como pessoas falando e barulhos de construção ao lado, mas está perceptivelmente melhor que no WH-1000XM3. Para quem trabalha em escritórios com muitas pessoas ou mora em uma rua movimentada, com motores e sirenes passando ocasionalmente, é só tocar uma música em volume baixo que o headphone te isola do mundo externo.

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

A bateria, cuja promessa de autonomia é de 30 horas, ficou bem abaixo disso nos meus testes, mas ainda é boa. Com volume em 50% (o que é um nível bom para um ambiente interno) e conectado a um iPhone 11 Pro Max e um MacBook Pro ao mesmo tempo, utilizando o codec AAC, o WH-1000XM4 foi capaz de tocar música em múltiplas sessões que somaram aproximadamente 21 horas antes de desligar por falta de carga.

E o carregamento rápido é realmente eficiente: com apenas 30 minutos plugado no USB-C, a bateria foi de zero até 60% nos meus testes. A Sony promete 5 horas de música com 10 minutos de carga e você pode mesmo esperar algo bem perto disso.

Vale a pena?

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

O novo fone de ouvido da Sony é um excelente refinamento em relação ao WH-1000XM3, que já era por muitas pessoas considerado o melhor de sua categoria. A fabricante não reinventou a roda em nenhum momento: tudo o que temos são pequenas melhorias no áudio, no design e, claro, no cancelamento de ruído. Apesar de não ser uma mudança da água para o vinho, o WH-1000XM4 está realmente muito bom em eliminar os ruídos do dia a dia, como conversas paralelas.

Fone Sony WH-1000XM4 - Review

A Sony entrega um conjunto muito completo: o fone é confortável, tem recursos úteis, controles que funcionam bem e uma apresentação sonora que deve agradar a maioria das pessoas. Para quem não é tão purista, o WH-1000XM4 é bem versátil em equalização, então você pode diminuir um pouco os graves se achar que eles aparecem demais, ou baixar as outras frequências para criar um clima ainda mais quente.

O preço do WH-1000XM4 é o mesmo da geração passada em dólares, mas o valor em reais aumentou de acordo com a variação cambial no período, chegando a R$ 2.429, o que certamente é bem acima do que o brasileiro médio pode pagar. No entanto, para quem tem condições financeiras para arcar com esse headphone, é difícil se arrepender: se a Sony já era a rainha da categoria desde o modelo anterior, ela só garantiu sua coroa em 2020.

Sony WH-1000XM4

Prós

  • Boa duração de bateria e carregamento rápido
  • Cancelamento ativo de ruído impecável
  • Confortável para ser usado por longas horas
  • Recursos de sobra e aplicativo móvel completo
  • Som encorpado e personalizável
  • USB-C, NFC, LDAC: conjunto completo

Contras

  • Ainda dá para ser mais leve
Nota Final 9.4
Design
9
Bateria
9
Conectividade
9
Conforto
9
Graves
10
Médios
10
Agudos
9
Isolamento
10
Recursos
10

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Breno (@bbcbreno)

Minha vontade de ter esse fone só aumenta a cada atualização dessa linha, mas o dólar aumenta mais, comofas?! =(

Igor Lana de Melo (@igor_meloil)

Dei sorte de pegar o XM3 quando o dólar ainda não tinha disparado (ainda mais), foi a melhor coisa que fiz.

Igor Lana de Melo (@igor_meloil)

Basicamente o XM4 é o que o XM1 poderia ter sido desde o começo

@Banana_Phone

Ah, mas isso dá pra falar de qualquer produto. O iPhone 11 Pro poderia ter sido o iPhone 7, mas um produto vai se refinando com o passar do tempo.
O XM5 será ainda melhor, com alguma coisa que poderia ter sido também implementada no XM1.

Igor Lana de Melo (@igor_meloil)

Eu digo q da a sensação que nenhuma função q existe no Xm4 teria sido difícil/impossível de ter sido implementada diretamente no xm1, até pq fones concorrentes tinham (auto pause e resume quando tira o fone, por exemplo)

T Oliveira (@tiagocesar)

Tenho um XM2, um Bose QC 35 II, e os AirPods Pro. O XM2 é de longe o PIOR para ligações. Eu acho o cancelamento de ruído dos AirPods melhor, quando se leva em conta o tamanho. E o Bose certamente ganha em conforto.

Não entendo como os fones da Sony continuam tão ruins para ligações (pelo que vi evoluiu pouco mas continua bem distante dos concorrentes). Eu usava sempre na rua e era sempre um pesadelo para a pessoa do outro lado me entender.

T Oliveira (@tiagocesar)

Ah, os mufflers do XM2 precisavam ser trocados e simplesmente não achei opção oficial. Tive que colocar mufflers paralelos. Outro ponto fora

Igor Lana de Melo (@igor_meloil)

O microfone é vergonhoso mesmo, no Xm3 melhorou um pouco, mas longe do ideal

Rafael Moreira (@Rafael_Moreira)

O fone é bom, porém não adianta pagar esse preço para usá-lo em um smartphone que não seja compatível com codec bluetooth LDAC ou Aptx HD.

@teh

Eu tb realmente nao entendi pq tiraram o aac em um fone hi end para audiofilos… muito estranho…

Tiago Jeronimo (@TiagoJL)

Compartilho da sua aflição.

Tiago Jeronimo (@TiagoJL)

Higa, e a integração dele com a Alexa? Como está? Tem? Funciona?

Tenho muita vontade de comprar um desses, mas olho o preço, olho pro meu Edifier W800BT funcionando perfeitamente com quase 30h de bateria e um som de não fazer vergonha e vejo que, pra mim, o ANC seria mais um luxo do que uma necessidade.

Rafael Oliveira (@Rafinho)

Será que existe alguma chance de vermos alguns recursos do XM4 chegarem ao XM3 em atualização de firmware?

Não sei se é o caso, mas imagino que seria possível caso a Sony tenha intenção de tirar o XM3 de linha.

Dri (@DriRSantos)

Comprei o XM3 é espetacular e confortável, não me arrependo de nada. Utilizo os fones todos os dias e vale muito a pena. O cancelamento de ruído é impressionante, ele consegue barrar bem os barulhos, tanto perto quanto longe, você não escuta mais barulhos de obra e vizinhos histéricos. Pode ser que agora a Sony reduza um pouco o preço do 3.

Peterson (@Pet_inusitado)

Sony em seu material de divulgação dos fones, usa o clipe da cantora Lisa, no “primeiro ensaio” da Opening (Gurenge) do anime Demon Slayer (Kimetsu no Yaiba) que viralizou e recebeu premios e recordes do YouTube e dos serviços de streaming de musica.

Exibir mais comentários