Início » Computador » Huawei MateBook 13, 14 e X Pro são homologados pela Anatel

Huawei MateBook 13, 14 e X Pro são homologados pela Anatel

Notebooks ds Huawei homologados pela Anatel têm Windows 10, processador Intel de 10ª geração e chip gráfico da Nvidia

Felipe Ventura Por

A Huawei vem lançando celulares, pulseiras fitness e fones de ouvido no Brasil; em breve, ela também pode atuar no mercado de notebooks. Nesta quinta-feira (28), a Anatel homologou quatro modelos diferentes de laptop: o MateBook X Pro, o MateBook 13 (2020) e o MateBook 14 (2020) nas variantes com processador Intel Core i5 e i7.

Huawei MateBook 14 2020

MateBook 14

Antes de tudo, vale esclarecer que todos os modelos homologados pela Anatel rodam Windows 10, têm processador Intel de 10ª geração e chip gráfico da Nvidia. A Huawei segue passando por sanções comerciais dos EUA em smartphones e redes de celular, incluindo 5G, mas os computadores parecem ter saído ilesos por enquanto.

O mais interessante deles talvez seja o MateBook 14 (2020), em se tratando de especificações. Passaram dois modelos na Anatel: um deles tem Core i5-10210U, 8 GB de RAM e SSD de 512 GB; o outro possui Core i7-10510U e combinação 16 GB + 512 GB. Ambos vêm equipados com chip gráfico Nvidia GeForce MX350.

Como sugere o nome, a tela possui 14 polegadas: trata-se de um painel IPS com resolução 2160 x 1440, proporção 3:2 e aproveitamento frontal de 90%. As bordas são bem finas porque a câmera fica em um botão pop-up no teclado.

Huawei MateBook 13 e X Pro

Huawei MateBook 13 2020

MateBook 13

Por sua vez, o MateBook 13 (2020) espreme uma ficha técnica semelhante em um corpo mais compacto. A touchscreen de 13 polegadas mantém a resolução 2160 x 1440 e bordas finas; a câmera frontal fica embutida no teclado.

Há apenas um modelo aprovado pela Anatel: ele tem Intel Core i7-10510U, combinação 8 GB + 512 GB e chip gráfico GeForce MX250.

Huawei MateBook X Pro

MateBook X Pro

Temos ainda o MateBook X Pro: ele possui touchscreen de 13,9 polegadas com bordas bem finas e resolução 3K (3000 x 2000 pixels); novamente, a câmera pop-up fica no teclado.

O modelo que passou pela Anatel tem processador Core i7-10510U de quatro núcleos, chip gráfico Nvidia GeForce MX250, 16 GB de RAM e 1 TB de armazenamento SSD.

São 14,6 mm de espessura e peso de 1,33 kg. Apesar disso, a Huawei promete 11 horas de autonomia para navegar na web; e o carregador USB-C de 65 W é capaz de fornecer carga para seis horas de uso em apenas 30 minutos. O botão liga/desliga tem leitor de digitais embutido.

Em resumo, estes são os notebooks aprovados pela Anatel para venda no Brasil:

  • MateBook 13 2020, Core i7, 8 GB + 512 GB (WRTB-WAH9L)
  • MateBook 14 2020, Core i5, 8 GB + 512 GB (KLVC-WAH9L)
  • MateBook 14 2020, Core i7, 16 GB + 512 GB (KLVC-WFE9L)
  • MateBook X Pro 2020, Core i7, 16 GB + 1 TB (MACHC-WAE9LP)

Ainda não há previsão de lançamento para eles. Vale notar que o site da Huawei para o Brasil já menciona dois modelos de notebook, o MateBook D 14 e D 15 com AMD Ryzen 5 3500U, mas nenhum deles é vendido oficialmente por aqui.

Huawei MateBook

Colaborou: Everton Favretto.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

Agora sim uma novidade interessante de verdade!

Everton Favretto (@evefavretto)

Só falta vender, por que a Huawei homologa tanta coisa e acaba não vendendo.

² (@centauro)

É, interessante até pensar no preço.
Se forem vender por aqui, provavelmente vai custar bem caro.

Essa linha Matebook é bem cara lá fora, com o 13 custando US$899.
Se for seguir a precificação da Dell, por exemplo, esse viria custando uns R$8.999 (o XPS 13 custa US$899 nos EUA e US$8.999 no Brasil).
O X Pro está saindo US$1600, não deve vir pra cá por menos de R$15.999.

Então são máquinas bacanas? Sim.
Animo com um lançamento no Brasil? Não.

Mickey Sigrist (@Mickey)

É bacana se forem lançados, claro, mas encaro isso apenas como um sinal de que Huawei vem se esforçando pra ampliar o portfólio de produtos por aqui. Trazendo pra realidade do mercado brasileiro e analisando a concorrência direta, sabemos que os preços serão pouco convidativos e vão atingir um nicho bastante específico de consumidor (minoria absoluta). Poucas pessoas arriscarão pagar um alto valor por um Huawei ao invés de um Dell, por exemplo, que tem marca mais estabelecida no Brasil e um melhor serviço de pós-vendas.