Início » Computador » Qualcomm anuncia Snapdragon 8cx Gen 2 para notebooks com Windows

Qualcomm anuncia Snapdragon 8cx Gen 2 para notebooks com Windows

Principal atrativo do Qualcomm Snapdragon 8cx Gen 2, chip voltado a laptops, é o suporte a redes 5G

Emerson AlecrimPor

Você se lembra do Snapdragon 8cx? Essa plataforma foi lançada para servir de base para a presença de chips da Qualcomm em notebooks com Windows 10. Poucas unidades foram vendidas, mas a companhia não desistiu do segmento: nesta quinta-feira (3), a Qualcomm deixou claro que irá tentar de novo e, para isso, anunciou o Snapdragon 8cx Gen 2 (segunda geração).

Snapdragon 8cx Gen 2

A companhia lidera o mercado de processadores para celulares e tablets, mas também tenta ter participação no segmento de PCs. Para o usuário, o principal benefício está na duração da bateria: por serem baseados na arquitetura ARM, os chips da Qualcomm são muito mais econômicos no consumo de energia.

O Samsung Galaxy Book S é um bom exemplo. Lançado em 2019 e equipado com o Snapdragon 8cx, o laptop tem autonomia de até 23 horas.

Apesar desse grande benefício, notebooks com chips ARM ainda não emplacaram devido, principalmente, a problemas de compatibilidade com softwares e a inconsistências no desempenho. Isso provavelmente explica a decisão da Samsung de lançar um Galaxy Book S com processador Intel Lakefield.

Qualcomm, Microsoft e outras companhias tentam superar as mencionadas limitações, mas isso requer tempo. No curto prazo, convém otimizar o que já está disponível. De certa forma, a Qualcomm tenta fazer exatamente isso com o Snapdragon 8cx Gen 2.

Samsung Galaxy Book S com processador Snapdragon 8cx

Samsung Galaxy Book S com processador Snapdragon 8cx

Tecnicamente, não há grandes diferenças entre as versões. Assim como o chip de primeira geração, o novo Snapdragon 8cx tem oito núcleos Kryo 495 fabricados em 7 nanômetros e GPU Adreno 680, bem como TDP de 7 W (sem necessidade de cooler).

As principais mudanças aparecem no quesito conectividade. O novo chip vem com suporte ao Wi-Fi 6 (802.11ax) e ao Bluetooth 5.1. Não menos importante é a compatibilidade com 5G, tanto em sub-6 GHz quanto em ondas milimétricas (mmWave), graças à integração com o modem Snapdragon X55.

Outras características incluem suporte ao Quick Charge 4+, além de compatibilidade com memórias LPDDR4x de até 2.133 MHz e a telas 4K.

Os primeiros laptops baseados no Snapdragon 8cx Gen 2 já estão sendo testados e devem ser anunciados até o fim de 2020. Pelo menos essa é a expectativa da Qualcomm.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Bruno Cabral Peixoto (@Bruno_Cabral_Peixoto)

Não forçará. Os Macs com ARM são um universo paralelo da computação.
Mac não concorre com Windows, mesmo lá nos Estados Unidos.

² (@centauro)

Eu não descartaria tão cedo um impacto no mundo da computação com o abandono da Intel pela Apple.

Se a Apple mostrar que é possível usar processadores ARM em laptop/desktop e ter performance pelo menos similar aos x86, isso pode chacoalhar bem o mercado.

Como ARM gasta menos bateria, será possível ter laptops com autonomia maior, e isso é algo que todo mundo quer, seja a pessoa usuária de Windows ou MacOS, e as empresas que vendem laptop vão querer entrar nesse mercado.

Se máquinas com processadores ARM forem pra frente, o Google poderia muito bem tentar fazer o que a Apple provavelmente vai fazer com o seu ecossistema e começar a integrar bem mais o ChromeOS com o Android, eliminando a divisão entre smartphone e laptop, o que pode afetar o marketshare do Windows. E imagino que não é difícil concordar que é mais fácil pro Google invadir o mercado de laptop/desktop dominado pela Microsoft do que o contrário.

E a mudança da Apple vai fazer com que mais softwares passem a ter uma versão pra ARM, o que pode ajudar tanto o Google em uma possível unificação de ecossistema quanto a Microsoft em uma provável migração para ARM.