Início » Aplicativos e Software » Apple adia mudança de privacidade no iOS 14 que irritou Facebook

Apple adia mudança de privacidade no iOS 14 que irritou Facebook

Recurso pretende dar maior controle a usuários sobre dados que são coletados por aplicativos, mas só chega em 2021

Ana Marques Por

A Apple adiou a mudança de privacidade do iOS 14 que dá ao usuário o poder de impedir que aplicativos rastreiem grande parte de suas atividades no iPhone. O recurso, que assustou algumas gigantes da tecnologia, como o Facebook, ainda entrará em vigor, no entanto, a empresa deverá implementá-lo apenas no próximo ano.

app facebook icone iphone ios tecnoblog

De acordo com o comunicado publicado em sua página para desenvolvedores, a Apple estendeu o prazo para permitir que os profissionais façam as mudanças necessárias, de modo que seus softwares se adequem às novas regras. Após a atualização de privacidade, os apps deverão pedir permissão para rastrear usuários.

Em um depoimento ao Verge, a empresa explicou seu novo posicionamento: “Acreditamos que a tecnologia deve proteger o direito fundamental dos usuários à privacidade, e isso significa fornecer aos usuários ferramentas para entender quais aplicativos e sites podem estar compartilhando seus dados com outras empresas, para fins de publicidade ou medição de publicidade, bem como as ferramentas para revogar a permissão para rastreamento”.

O mecanismo funcionará da seguinte forma: a partir de 2021, sempre que um app requisitar seu código de identificação para anunciantes, o usuário deverá permitir ou não que suas atividades sejam rastreadas. Essa credencial é a maneira padrão que anunciantes utilizam para saber quando você comprou/fez o download de algum produto após ver um anúncio. Sem ela, é muito mais complexo para as empresas identificarem quando a publicidade teve impacto sobre sua compra online.

Impacto negativo em faturamento com anúncios

De acordo com o Facebook, apesar de não afetar a receita de anúncios dentro a rede social, a novidade pode proporcionar uma queda de mais de 50% no faturamento com publicidade fora da plataforma.

O impacto seria tão grande, que a empresa cogita a remoção da Audience Network do iOS 14, o que seria especialmente negativo para pequenas empresas que contam com o sistema.

Privacidade no iOS 14

Outras novidades em privacidade devem desembarcar aos iPhones junto ao lançamento do iOS 14, ainda em 2020. As mudanças incluem informações sobre como desenvolvedores utilizam dados coletados, na App Store, bem como a possibilidade de compartilhar apenas uma localização aproximada para utilizar determinados serviços – em vez do seu endereço exato. A nova versão do sistema também irá alertar usuários sempre que apps tentarem acessar a câmera, o microfone ou a área de transferência.

Com informações: TechCrunch e Verge

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@wellerstz

uma pena que não vai demorar, mas mesmo assim espero que entre em vigor.

será que depois de implementado os desenvolvedores irão olhar melhor pro Android ? visto que ele será (possivelmente) mais atrativo do ponto de vista financeiro?

Daniel Correia (@Daniel)

Seja bem-vindo à comunidade, Matheus!

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

Não tem que ceder não, deixa esses ladroes de informações pessoais se lascarem

Jedielson (@Jedielson)

Android ainda tá longe de dar o mesmo lucro pros desenvolvedores que no iOs por conta da facilidade de piratear os apps, mas possa que futuramente novas features de serviços e sites populares saiam com alguma diferenciação para o Android como modo de atrair os usuários de iOs, se a Apple continuar a pressionar os desenvolvedores e mudando as políticas dessa forma.

Carlos Alberto Rocca (@carlosrocca)

Apple sendo um leão contra e Epic e um gatinho contra o Facebook.
E ainda vinculando propagandas na TV com o foco em privacidade, deviam deixar claro que o foco é o lucro mesmo.
Não critico nenhuma das ações tomadas contra a Epic, acho que a Apple agiu certo no que fez, a consideração é em relação à falta de isonomia da Apple em conceder um tratamento diferenciado para uma empresa ou outra.
Dá a entender que se a Epic fosse do tamanho do Facebook a decisão da Apple poderia ser um pouco diferente.