Início » Internet » eMule, antigo cliente P2P de arquivos, ganha nova versão

eMule, antigo cliente P2P de arquivos, ganha nova versão

eMule se conecta às redes eDonkey e Kad, separadas do BitTorrent, para compartilhamento de arquivos P2P (peer-to-peer)

Felipe VenturaPor

O BitTorrent se tornou a rede P2P (peer-to-peer) mais famosa para compartilhamento de arquivos, mas existem alternativas que também surgiram no início dos anos 2000 e seguem ativas até hoje. É o caso da rede eDonkey, cujo principal cliente é o eMule: ele vem sendo desenvolvido de forma comunitária e está prestes a ganhar uma nova versão estável.

eMule

O eMule foi abandonado na versão 0.50a em 2010. Mas, desde 2017, o desenvolvedor entusiasta conhecido como “irwir” vem atualizando o software de forma não-oficial com correções de segurança e usabilidade — ele possui código aberto.

Pulando para 2020, temos a versão 0.60a (release candidate) com mais novidades. “Internamente, as mudanças são extensas”, diz o fórum oficial do eMule. “Há melhorias e otimizações de segurança; além disso, alguns bugs e regressões foram corrigidos.”

O eMule finalmente está sendo compilado em 64 bits, além de ter uma versão em 32 bits. Usuários de longa data vão notar que é possível usar conexões HTTPS para baixar arquivos server.met, nodes.dat, filtros de IP e DLLs de idioma.

Outra mudança: o programa usa ofuscação por padrão ao se conectar com servidores P2P pela primeira vez, para evitar que a operadora limite as velocidades de download e upload. O programa também recebeu alterações na implementação do Windows UPnP.

Como funciona o eMule?

eMule

A rede eDonkey opera de forma diferente do BitTorrent: é necessário se conectar a um servidor para encontrar os arquivos sendo compartilhados pelos participantes. Esses servidores podem ser encontrados através de uma busca no Google.

Então, o usuário deverá inserir o endereço IP correspondente, ou o link para um arquivo server.met. O eMule também tem suporte à rede Kad, que funciona de maneira parecida: você se conecta a um endereço IP ou registra um arquivo nodes.dat.

Feito isso, é possível usar os controles na parte superior do eMule para realizar uma busca (Search), conferir seus downloads e uploads (Transfers), participar de um chat via IRC e receber mensagens privadas. Por enquanto, a interface está disponível somente em inglês.

Os anos 2000 foram um período fértil para redes P2P: foi quando surgiram BitTorrent, eDonkey, Gnutella e Freenet, todas ativas. Há algumas baixas ao longo do caminho — o Napster é o maior exemplo — mas essa tecnologia deixou um forte impacto na internet como a conhecemos hoje.

É possível baixar o eMule para Windows através do GitHub.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Alberto Roberto (@ComentarioMilGrau)

Usei mtttttttooo o eMule em conjunto com o LimeWire que era mais focado em músicas. Quantas semanas eu ficava baixando arquivos no eMule pra no final ou corromperem ou serem filmes… cê sabe. Kkkkk

Quem nunca foi trollado no eMule que aperte F13!

Ooww sdds!!!