Início » Celular » Venda de celulares no Brasil despenca 30,7% e preços aumentam

Venda de celulares no Brasil despenca 30,7% e preços aumentam

Venda de celulares no Brasil tem queda de 30,7% durante o segundo trimestre de 2020 devido à pandemia de COVID-19

Bruno Gall De Blasi Por

O mercado de celulares teve uma queda de 30,7% e uma alta geral nos preços durante o segundo trimestre de 2020. Entre os motivos para a retração nas vendas de smartphones e feature phones estão os impactos da pandemia de COVID-19 (novo coronavírus). Os números são de um estudo da IDC Brasil divulgado na terça-feira (8).

Venda de celulares no Brasil despenca 30,7% e preços aumentam (Foto: Dariusz Sankowski/Pixabay)

Ao todo, mais de 9,6 milhões de telefones celulares foram comercializados, 30,7% a menos em relação ao 2º trimestre de 2019. Quanto à receita, a indústria acumulou um montante de R$ 14,846 bilhões entre abril, maio e junho, mas ainda apresentou uma retração de 8,5% quando comparado ao mesmo período do ano anterior.

8,35 milhões de smartphones e quase 392 mil feature phones foram comercializados em canais oficiais, com quedas de 31,1% e 54%, respectivamente. Já em relação ao mercado paralelo, as vendas de smartphones tiveram aumento de 8,3% e totalizaram mais de 790 mil aparelhos, enquanto cerca de 96 mil feature phones foram vendidos (-51,1%).

Os smartphones intermediários, com preços entre R$ 1.100 e R$ 1.999, se concentram na categoria mais vendida nos dois mercados, com 3,36 milhões de unidades comercializadas. Já as opções de entrada, com valores entre R$ 700 e R$ 1.099, vêm em segundo lugar, com o total de 3,24 milhões de aparelhos.

Venda de celulares no Brasil: preços aumentam (Foto: terimakasih0/Pixabay)

Preços de celulares aumentam no Brasil

Os preços de celulares sofreram uma alta geral no 2º trimestre de 2020. Segundo a IDC Brasil, os smartphones nos mercados oficial e paralelo tiveram o preço médio de R$ 1.539 (+22,9%) e R$ 1.727 (+36,2%), respectivamente. Em relação aos feature phones, o aumento dos valores é de 39,5% e 24,6% nos dois canais.

Os números seguem a tendência de alta também observada nos resultados do 1º trimestre de 2020, apresentados pela consultoria em julho, cujos preços chegaram a crescer até 266%. A expectativa, segundo a IDC Brasil, é de retomada gradual nas vendas de telefones celulares no terceiro trimestre de 2020.

Com informações: Convergência Digital

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
14 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

🤷‍♀️ (@xavier)

Lei da Oferta e Demanda no mundo:
Compras de determinado item cai > Preço também cai.

Lei da Oferta e Demanda no Huezil:
Compras de determinado item cai > Preço aumenta

Reginaldo Ribeiro (@Reginaldo_Ribeiro)

Famoso oportunismo exacerbado.

Eu (@Keaton)

Tu esqueceu de adicionar que quando a demanda aumenta no Huezil, o preço também aumenta… e fica encalhado no mesmo patamar por anos e anos.

🤷‍♀️ (@xavier)

Errr, lucro? Talvez, só chutando mesmo.

Porque sabem que: 1. Existe público que ostenta marca. 2. Existe um grande público desinformado que confia na palavra do vendedor, onde ambos não tem nenhum conhecimento técnico e acham que ter 20 câmeras na traseira é ótimo, mesmo se o aparelho tiver 0,5Gb de RAM.

Eric Viana (@Eric_Viana)

O ciclo eterno do caíram as vendas porque o preço aumentou ou o preço aumentou porque caíram as vendas.

Eu (@Keaton)

Tentei imaginar essa situação e me veio uma palavra à cabeça… tripophobia. hahaha

🤷‍♀️ (@xavier)

Sim, com certeza o problema da importação é geral, em todos os setores no Brasil. No entanto, Samsung e Motorola, ao menos, tem montadoras aqui. Logo, falar que a alta do dólar/impostos de importação pressionou a alta repentina de preços não pode ser seguida como uma regra, afinal existe vários estoques (montadoras, operadoras, lojistas)…

image897×961 196 KB

Léx Ferracioli (@Lex_Ferracioli)

Esqueceu de mencionar a Semana do Huezil, onde os produtos são metade do triplo e logo teremos a Black Fraude Huezil, com preços também pela metade do triplo

@ksio89

Tem que ver a margem de lucro do varejo também. Smartphone eu não sei, mas lojas de informática como Kabum subiram absurdamente os preços mais pelo oportunismo do que pela alta do dólar e escassez na produção.

Leo (@leonardoroese)

Concordo, tambem estive acompanhando os preço porque a tela do smart da minha esposa quebrou, fui ver para comprar outro 50% mais caro, optei por trocar a tela que também aumentou.

Com o Real desvalorizado as empresas deveriam trazer a produção pra cá prara manter os preços, hoje é só linha de montagem, as peças continuam fabricadas fora.

O BR ja está uns 5 anos ou mais tecnologicamente atrasado frente a EUA, Europa, Coreia, China, Japão nem se fala. essa distancia vai aumentar. Brasil é Agro.

@RODRIGO

Oxe! Agro é tech, Agro é pop, Agro é tudo! Tá na … (brinks)!

Eu (@Keaton)

E o pior é que a Kabum continua sendo uma das mais baratas da atualidade… :\

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

E o salário ó…