Início » Celular » Google Pixel 3 e 3 XL sofrem com defeito de bateria estufada

Google Pixel 3 e 3 XL sofrem com defeito de bateria estufada

Relatos aparecem em fórum de suporte do Google e no Reddit; problema pode estar associado a carregamento sem fio

Ana Marques Por

Vários relatos sobre problemas com bateria estufada nos Google Pixel 3 e 3 XL começaram a aparecer na web. Os modelos, que foram lançados há cerca de dois anos, são alvo de reclamação no fórum de suporte do Google e no Reddit – o inchaço na bateria tem provocado o descolamento da parte traseira do smartphone.

Google Pixel 3 com bateria estufada / Reprodução/Android Police

Google Pixel 3 com bateria estufada. (Reprodução/Android Police)

O início dos relatos na página de suporte do Google aconteceu em maio, e a publicação já contava com cerca de 60 respostas quando o caso foi descoberto pelo Android Police. Enquanto escrevo essa notícia, o número já passa de 100. No Reddit, há ainda um tópico sobre algo semelhante em um Pixel 4 XL.

Muitos usuários afirmaram ter demorado para notar o estufamento por usarem capas de proteção em seus celulares, o que acabou mascarando o inchaço por mais tempo.

Esse tipo de problema pode ser extremamente perigoso, mas não é tão raro como gostaríamos – vocês lembram dos casos de smartphones explosivos da Samsung em 2016, certo? Em 2017, a Apple também já precisou investigar casos de modelos de iPhone 8 Plus que tiveram a tela descolada após defeito na bateria.

Além dos riscos à saúde do usuário, o inchaço da bateria compromete outros recursos do celular, como a eficácia da certificação IP68, que garante a proteção contra água e poeira, e o funcionamento do carregamento sem fios.

Aliás, há especulações de que o calor gerado durante o processo de recarga wireless esteja acelerando o inchaço do componente. De qualquer modo, não há notícias sobre casos de explosão até o momento.

O Google ainda não se manifestou sobre o assunto à imprensa, mas parece estar substituindo modelos com defeito de forma gratuita, mesmo para usuários que estão fora da garantia. A empresa se prepara para lançar o Google Pixel 5 em outubro, e a “bomba” (com o perdão do trocadilho) em relação ao modelo de 2018 não poderia ter encontrado um momento menos oportuno.

Com informações: Android Police

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

Não é um defeito, é uma feature
Mágico!
As ovelhinhas seguirão comprando
Ela não é mais a mesma
Está com os dias contados

JulioCampos (@juliocesar)

Por essas que quem se aventura em comprar via importação ou em marketplaces se arrisca muito de ficar com um celular com problemas sem ter onde ou quem recorrer.

Rafael Moreira (@Rafael_Moreira)

Continuo com meu Pixel 2 XL aqui de boa, bateria apresentando boa duração mesmo rodando o Android 11 Beta 2, câmera excelente. Sem contar o design que considero o melhor já feito até agora.

Quando sair o Pixel 5 irei verificar as análises e após 1 ano de lançamento quem saiba eu troque por ele.

Rafael Moreira (@Rafael_Moreira)

Tem essas questões… quando eu utilizava o Nexus só ficava com ele por 2 anos, sempre tinha um pequeno problema, ai vendia pelo ML relatando o ocorrido é claro, e depois pulava para outra versão. Agora quando entrei na linha Pixel as coisas mudaram, o meu atual completou 3 anos, e acredito que chega a 5 anos hehe.

Leo (@leonardoroese)

É complicado mesmo, as vezes um problema com fornecedor de peças (como bateria neste caso) pode comprometer a imagem do produto e segurança dos usuários. É difícil prever todos os problemas que podem ocorrer, principalmente quando se usa novos materiais e tecnologias, mas ainda bem que se posicionaram de forma correta e estão reparando os produtos sem custo.

Igor Lana de Melo (@igor_meloil)

É o q sempre digo, QUALQUER marca pode ter esse problema, visto que provavelmente ela não ta nem perto de fabricar a bateria mesmo.
Já cansamos de ver exemplos desse problema com Apple, Samsung, motorola etc.
Mas aí caímos no q o colega citou, importar tem seus prós e contras, esse risco é um contra, embora eu ache que mesmo q fosse um aparelho nacional a garantia não iria se responsabilizar.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Acho que ganha o processo, não é para a bateria estufar, e isso danifica o resto do aparelho, se ela simplesmente parasse de funcionar, ai daria pra alegar que chegou ao fim da vida útil dela e não é um defeito do produto.