Início » Gadgets » Amazfit GTR 2 e GTS 2 são relógios que medem oxigênio no sangue

Amazfit GTR 2 e GTS 2 são relógios que medem oxigênio no sangue

Amazfit GTR 2 e GTS 2 são anunciados na China com sensores para monitorar a saturação de oxigênio no sangue e exercícios

Bruno Gall De Blasi Por

A Huami apresentou os seus mais novos relógios: o Amazfit GTR 2 e GTS 2. Anunciados nesta terça-feira (22) ao público chinês, os smartwatches chamam a atenção pelos sensores para medir o oxigênio no sangue e bateria de longa duração. Os preços dos wearables começam em 999 yuan (cerca de R$ 800 em conversão direta), na China.

Amazfit GTR 2 e GTS 2 são anunciados na China (Foto: Divulgação/Amazfit)

Amazfit GTR 2 (Foto: Divulgação/Amazfit)

Ambos os relógios possuem recursos para monitorar o condicionamento físico do usuário. Conforme adiantado pela Amazfit na semana passada, tanto o GTR 2 quanto o GTS 2 são capazes de medir a saturação de oxigênio no sangue, assim como o recém-lançado Apple Watch 6. Segundo a fabricante, a precisão do sensor é de 96%.

Demais pontos em comum ficam pelos sensores para mensurar os batimentos cardíacos e monitorar o sono. Para atividades físicas, os relógios acompanham doze modalidades esportivas, mas a Amazfit promete elevar este número a 90 exercícios no futuro. Os wearables ainda contam com resistência à água (5 ATM), GPS e armazenamento de 4 GB.

Amazfit GTR 2 e GTS 2 medem oxigênio no sangue (Foto: Divulgação/Amazfit)

O Amazfit GTR 2 possui caixa circular, como no Samsung Galaxy Watch, e traz uma tela AMOLED de 1,39 polegadas, com always-on display e brilho máximo de 450 nits. Além disso, o relógio possui dois modelos: esportivo, com corpo de alumínio e pulseira de silicone, e clássico, de metal e com pulseira de couro.

A bateria chama a atenção no lançamento: segundo a fabricante, o componente é suficiente para até 38 dias de uso moderado. Além disso, o novo smartwatch possui NFC, assistente virtual, atende ligações quando conectado ao celular via Bluetooth 5.0 e recebe notificações, assim como o GTS 2.

Amazfit GTS 2 (Foto: Divulgação/Amazfit)

Amazfit GTS 2 (Foto: Divulgação/Amazfit)

O Amazfit GTS 2 é o segundo lançamento da Huami desta terça-feira (22). Diferentemente do outro wearable, a caixa é retangular, como no Apple Watch, e a tela mede 1,65 polegadas e possui a mesma intensidade de brilho do GTR 2. A densidade do display é de 341 pixels por polegada (ppp).

Segundo a fabricante, a bateria do dispositivo é capaz de durar até sete dias ou até 20 dias com um uso moderado. O lançamento está disponível em três opções de cores: Streamer Gold (dourado), Dolphin Gray (prata) e Obsidian Black (preto).

Amazfit GTR 2 e GTS 2: preço e disponibilidade

Os novos relógios da Huami chegarão às lojas da China nesta quarta-feira, 23 de setembro de 2020, com os seguintes preços sugeridos:

  • Amazfit GTR 2 (esportivo, com pulseira de silicone): 999 yuan (cerca de R$ 800 em conversão direta);
  • Amazfit GTR 2 (clássico, com pulseira de couro): 1.099 yuan (cerca de R$ 880 em conversão direta);
  • Amazfit GTS 2: 999 yuan (cerca de R$ 800 em conversão direta).

Não há previsão de data e preço de lançamento do Amazfit GTR 2 e Amazfit GTS 2 no Brasil e em outros países. A primeira geração do Amazfit GTS, por sua vez, está à venda no mercado nacional desde junho de 2020 por R$ 2.399,99 nas cores azul, preto e rosa, junto com o Amazfit Bip Lite e Amazfit Verge Lite.

Com informações: Android Authority, Amazfit (1 e 2) e Gizmochina

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fábio Prates Rocha (@Fabio_Prates)

Será que algum dia veremos um smartwatch global (completo) da Xiaomi ou subsidiárias?
Mi Watch não veio para o restro de nós e a Amazfit não tem um modelo com suporte nativo a NFC para pagamentos, eletrocardiograma, etc.

John Smith (@john)

Não gostei muito do visual atualizado do GTR 2. Perdeu bastante a esportividade que o GTR original tinha.

O preço está bem salgado, mas mesmo a versão anterior subiu absurdamente nesse cenário que estamos.

No mais, as atualizações são muito bem vindas, mas eu discordo completamente do termo “smartwatch” pra esse tipo de produto. O sistema é limitado e fechado, não permitindo o desenvolvimento e instalação de apps que expandam suas funcionalidades. Em analogia ao mercado de celulares, penso que o termo correto pra esse tipo de relógio seria “feature watch”, mas é claro que a Xiaomi não vai querer que ele seja rotulado dessa forma.

wesley soares (@wesley_soares)

Eu já preferi essa nova versão kkkkkkkkk

Não gosto de relógio esportivo prefiro os mais “business” por assim dizer, achei que ficou bem bonito.

O fod* é justamente não dar pra instalar apps por fora, aí não compensa, prefiro gastar Milão e comprar um analógico mesmo.

John Smith (@john)

Pois é, gosto é gosto, hehe. Ficou bonito sim, eu só prefiro o estilo anterior pois não sou muito fã de superfícies muito arredondadas nas bordas.

E o preço de fato tem ficado exorbitante. Paguei 480 quando comprei o GTR.