Início » Brasil » TSE cogita eleições com voto pela internet nos próximos anos

TSE cogita eleições com voto pela internet nos próximos anos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou um edital para receber propostas de sistemas de votação alternativos, que tornem eleições mais baratas e eficientes

Victor Hugo Silva Por

O voto pela internet é uma alternativa considerada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para eleições dos próximos anos. O órgão publicou um edital para receber propostas de processos alternativos, preferencialmente os que acontecem on-line, para tornar as eleições mais baratas e eficientes. O anúncio não interfere nas eleições municipais de 2020, nem garante que mudanças serão realizadas em outros anos.

Parte do projeto “Eleições do Futuro”, o chamamento público foi realizado para empresas e instituições de direito privado apresentarem gratuitamente suas propostas de sistemas de votação. Neste momento, o objetivo do TSE é identificar as alternativas existentes e avaliar se elas oferecem a mesma segurança de urnas eletrônicas, usadas no Brasil desde as eleições municipais de 1996.

O edital determina que as empresas interessadas deverão informar até 1º de outubro que querem participar do processo. Depois, técnicos do TSE e das empresas poderão realizar reuniões entre 5 e 9 de outubro. As propostas serão demonstradas em 15 de novembro, data do primeiro turno das eleições municipais de 2020, em alguns pontos de votação em São Paulo, Curitiba e Valparaíso de Goiás (GO).

Esses locais receberão estandes para apresentar as alternativas de sistemas de votação, sob supervisão da Justiça Eleitoral. Os testes contarão com a participação de eleitores selecionados, que, além de participarem da eleição real, poderão votar em candidatos fictícios nesses estandes. O experimento servirá para o TSE avaliar a melhor opção para possíveis mudanças no processo eleitoral.

TSE avaliará apenas sistemas seguros

O TSE indica que analisará apenas os sistemas que ofereçam segurança e garantam a inviolabilidade do voto. O presidente do Tribunal, ministro Luís Roberto Barroso, afirma que outro objetivo é encontrar uma alternativa mais barata. “As urnas eletrônicas se revelaram até agora uma excelente solução, mas elas têm um custo elevado e exigem reposição periódica”, comentou.

Ao mesmo tempo, o órgão destaca o obstáculo devido ao acesso à internet e a celulares, que não chega a toda a população, e afirma que as empresas deverão levar esse cenário em consideração. O Tribunal cogita realizar parcerias com empresas para realizar mudanças caso encontre propostas viáveis, mas garante que, se isso acontecer, todo o processo de votação seguirá sob controle da Justiça Eleitoral.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
23 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

João M. (@RonDamon)

Se até conta em banco dá pra criar totalmente online enviando selfie e os escambau, devia dar pra votar tb. Mas é coisa pro futuro mesmo.

Goku SSGSS (@renatodantas)

O problema sempre será garantir que vc possa votar em sigilo e impedir que o voto de cabresto retorne.

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

a grande vantagem da urna eletronica era a rapidez e desconexão com a internet.
abrir margem para eleições online vai acarretar nos mesmos problemas de fraude eleitoral que os EUA passam.

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

A princípio a parte da segurança e da privacidade tornam o projeto bastante complexo, mas também acho que é um ótimo começo ouvir as empresas. Espero que surjam boas opções.

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

Pensa no caos que foi a liberação do auxilio emergencial…

Wagner (@WSa)

Já existe um sistema de votação online totalmente funcional baseado na tecnologia blockchain, feito por um brasileiro, um gênio nessa área, chamado Edilson Osório, CEO da empresa OriginalMy. Como aqui na Banânia ele não teve sucesso, foi perseguido e ameaçado pelos parasitas burocratas, mudou sua empresa pra Estônia e lá criou essa e outras ferramentas baseadas na tecnologia blockchain. Quem tiver curiosidade basta procurar no Instagram por Edilson Osório ou OriginalMy que é o nome da empresa dele.

Jhonny (@jokalokao)

A questão que nossa urna não é segura e pode ser alvo de fraudes.

Eu (@Keaton)

tecnicamente falando, não existe um único sistema no mundo que seja 100% seguro e imune a fraudes… hahaha

Mas voltando ao artigo, seria lindo votação via internet. Quero ver como o pessoal vai justificar não ter ido votar se o voto for online. =p

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

óbvio. não existe sistema 100%.
colocar eleições online tornará o sistema ainda pior.
o quanto competente você acha que nosso governo é?? basta ver como foi patético o gerenciamento do auxilio emergencial. até gente morta recebeu!!

João M. (@RonDamon)

Como a matéria diz, uma empresa que seria responsável pelo sistema. Se terceirizar pra uma empresa especializada nisso dá e sobra pro propósito.

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

uma empresa alinhada com as ideologias dos governantes?
boa sorte a todos!

Eu (@Keaton)

Continua recebendo… mas não é só esse desgoverno… nos passados tinha deputado recebendo cinco, seis, oito bolsa familia… =I

João M. (@RonDamon)

Passaria por auditoria, oras. Se vc n confia na auditoria, então não confia nas urnas, papel e nem nada.

Rafael Machado de Souza (@rafael.mds)

E pelo jeito as coisas só tendem a piorar. Fui trouxa tambem, mas me arrependo muito de meus votos, tanto nesse quanto nos governos anteriores.
Coitado de quem leva isso no fanatismo.

@RODRIGO

Eu sonho que o mundo seja completamente online; depender pouco ou quase nada de serviços presenciais! Tecnologias distribuídas por igual às demais populações!

Isto é, acontecerá em algum tempo?

Exibir mais comentários