Início » Gadgets » TP-Link Archer C21: roteador básico três-em-um chega ao Brasil

TP-Link Archer C21: roteador básico três-em-um chega ao Brasil

TP-Link Archer C21 é o novo básico que custa R$ 229,99 e funciona como roteador, repetidor e access point

Lucas Braga Por

A TP-Link anuncia a chegada do Archer C21, um roteador básico com tecnologia Wi-Fi 5 (802.11ac). O equipamento aposta no segmento de entrada para usuários residenciais com velocidade de banda larga abaixo dos 100 Mb/s e também funciona como repetidor de sinal para expandir redes pré-existentes.

TP-Link Archer C21. Foto: Reprodução/Divulgação

No design, o Archer C21 tem aquela cara de roteador tradicional por se tratar de uma caixinha retangular com quatro antenas. O produto inclui cinco portas de rede, sendo uma WAN e quatro LANs. A parte triste é que o equipamento utiliza padrão Fast Ethernet, que suporta velocidade máxima de 100 Mb/s no cabo.

Apesar de incluir suporte a MIMO 2×2, o Archer C21 mostra seus sinais de ser um roteador de entrada pela capacidade nominal limitada, com padrão AC750: a taxa de transferência teórica na frequência de 2,4 GHz alcança 300 Mb/s, enquanto na banda de 5 GHz são 433 Mb/s. A TP-Link indica o produto para residências com dois quartos.

TP-Link Archer C21 funciona como repetidor Wi-Fi

A TP-Link considera o Archer C21 como um produto três-em-um por possuir os seguintes modos de funcionamento:

  • Roteador Wi-Fi: modo tradicional, utilizado para dividir a internet e controlar a rede doméstica;
  • Repetidor Wi-Fi: o equipamento expande a cobertura de uma rede sem-fio pré-existente;
  • Access Point: o Archer C21 se conecta via cabo a um roteador e fica responsável por conectar dispositivos via Wi-Fi à rede pré-existente.

Os ajustes podem ser feitos no aplicativo TP-Link Tether para iPhone e Android. O produto também tem suporte a rede Wi-Fi para visitantes, prioridade de banda (QoS) e controle parental, que permite bloqueio de conteúdo e limite de tempo para dispositivos.

O Archer C21 tem preço sugerido de R$ 229,99 no Brasil, que é um valor aceitável para as características do produto. No entanto, é válido observar que vários dos modens Wi-Fi fornecidos por operadoras de banda larga trazem especificações similares ou mesmo superiores que o equipamento da TP-Link.

TP-Link Archer C21: especificações técnicas

  • Processador: CPU Single-Core
  • Portas: 1 porta WAN, 4 portas LAN, padrão Fast Ethernet (10/100 Mb/s)
  • Rádio: 802.11a/n/b/g/ac, frequências de 2,4 GHz e 5 GHz, MIMO 2×2, 4 antenas externas
  • Velocidade nominal: 300 Mb/s em 2,4 GHz e 433 Mb/s em 5 GHz
  • Conectividade: IPv4, IPv6
  • Modos de operação: Roteador (servidor DHCP), Access Point (cliente DHCP) e Repetidor Wi-Fi
  • Recursos: rede de convidados controle parental, controle de banda (QoS), Beamforming, VLAN
  • Dimensões: 115 x 106,7 x 24,3 mm
  • Preço sugerido: R$ 229,99 no lançamento

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Bruno BS Cabral (@Blind)

Então, tenho 240mbs em casa, mas esse roteador é FAST, até 100Mbs mas em 2.4Ghz é 300Mbs e 5Ghz é 433Mbs. Ou seja, eu não conseguiria chegar no aproveitamento dos 240Mbs q tenho contratado? Teria que ser padrão Giga??? E esses 300mbs em 2.4Ghz? Como fica? #Confuso

@RODRIGO

Melhor esperar pela redução de preço dos roteadores ax(Wi-Fi 6)!

@RODRIGO

Não é melhor preferir aos roteadores Wi-Fi 6? Roteador Mercusys AC1200 parece ser uma boa compra por esse preço citado!

Schio ☭ (@Sckillfer)

Me explica como ele pode ser WiFi 5 tendo uma velocidade teórica inferior as do “WiFi 4” (450Mbps)?

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

Oferecendo MIMO 2x2 apenas na banda de 2.4 GHz e limitando a banda de 5 GHz a um único stream. No entanto, considerando a quantidade de antenas, é possível que o limite imposto na banda de 5 GHz seja artificial e que uma firmware personalizada consiga liberar velocidades mais altas…

Lucas Braga (@LucasBraga)

Ser Wi-Fi 5 significa que o produto tem suporte ao padrão 802.11ac. Isso não impede que o rádio suporte velocidade menor que no padrão antigo, 802.11n.

@RODRIGO

Claro, a tecnologia Wi-Fi possui retrocompatibilidade, não é?

Schio ☭ (@Sckillfer)

Creio que façam isso porque a velocidade do wifi é teórica, na prática, vai ser dividida entre os dispositivos. Ainda assim pelo menos a porta WAN deveria ser ‘gigabit’.

Schio ☭ (@Sckillfer)

Ou seja, pague mais caro e tenha zero vantagens!?