Início » Celular » Lançamento do iPhone 12: o que esperar de preço e recursos

Lançamento do iPhone 12: o que esperar de preço e recursos

Saiba o que esperar do lançamento do iPhone 12, que deve revelar versões Mini, Pro e Pro Max ; veja fotos e possível ficha técnica

Ana Marques Por

A Apple se prepara para o lançamento do iPhone 12 – o que deve acontecer durante um evento marcado para o dia 13 de outubro de 2020. Mas o anúncio não deve trazer muitas surpresas: a próxima geração de smartphones da empresa foi alvo de diversos vazamentos ao longo do último ano, tendo fotos, ficha técnica e recursos divulgados na web e em redes sociais.

Para saber tudo o que você pode esperar sobre o novo iPhone e suas possíveis variantes “Mini”, “Pro” e “Pro Max”, acompanhe o nosso resumo completo nas próximas linhas.

Possível iPhone 12 Pro Max (Foto: Reprodução/EverythingApplePro)

iPhone 12 pode vir em quatro variantes: convencional, Mini, Pro e Pro Max

Diferentemente do iPhone 11, que contava com o modelo convencional (sem sobrenome) e mais duas versões, “Pro” e “Pro Max”, o novo iPhone pode trazer uma variante a mais, o iPhone 12 Mini.

A versão menor teria tela de 5,4 polegadas – ainda razoavelmente grande em relação ao iPhone SE 2, que tem 4,7”, mas um refresco para quem tem mãos pequenas e tem dificuldade com telas muito grandes.

O iPhone 12 manteria as 6,1 polegadas, bem como o “Pro” as 5,8 polegadas. Já o iPhone 12 Pro Max teria uma tela ainda maior do que o seu antecessor, com 6,7 polegadas em vez de 6,5”.

Câmeras do iPhone 12 (Foto: Reprodução/Mac Otakara)

Tela e design – sem grandes novidades

Continuando no assunto tela, muitos fãs podem ficar decepcionados com a falta de novidades nesse sentido. Até o meio deste ano acreditava-se que o iPhone Pro Max poderia ter um display com taxa de atualização de 120 Hz, para maior fluidez gráfica, mas rumores mais recentes indicam que o recurso deve ficar para 2021.

Desse modo, a Apple fica atrás de fabricantes como Samsung, Motorola e Xiaomi, que já têm modelos com tela de 120 e 90 Hz.

Para não dizer que não teremos nenhuma mudança nesse quesito, há ainda a possibilidade de que a Apple diminua o tamanho do notch com o lançamento do iPhone 12, mas nada muito significativo a ponto de transformá-lo em um pequeno círculo ou “gota”, como vemos em celulares concorrentes.

Notch no iPhone 12 (imagem: Jon Prosser)

Já o design deve trazer algumas diferenças, em um estilo mais retrô. O novo iPhone 12 pode ser inspirado no visual dos iPhones antigos, como o iPhone 4 e o iPhone 5, que tinham molduras metálicas achatadas.

Provavelmente tivemos um “gostinho” do que está por vir também em termos de cores com o anúncio do iPad Air, em setembro. Os tons pastéis coloridos devem chegar aos novos iPhones – até o Google apostou em cores semelhantes para seus lançamentos este ano.

Lançamento do iPhone 12 pode trazer design e cores do iPad Air

Na traseira, a moldura quadrada para as câmeras deve permanecer, de forma semelhante ao que já é visto na linha iPhone 11. A empresa também deve manter proteção contra água e poeira, e a entrada Lightning (não espere uma porta USB-C ainda).

Cabos podem ganhar reforço com lançamento do iPhone 12

Usuários de iPhone sabem o quanto os cabos da Apple são frágeis – e o quanto eles são caros, caso você tenha que repor. Ao que tudo indica, a empresa ouviu as reclamações feitas nos últimos anos e pretende enviar os novos iPhones com cabos mais resistentes, feitos em tecido trançado.

Cabo reforçado da Apple para iPhone 12 surge em novas fotos (Foto: Reprodução/Twitter/@laobaiTD)

Como nem tudo são flores, há fortes indícios de que a Apple não irá enviar a fonte para carregamento na caixa, como era de costume. Nesse caso você poderia utilizar o novo cabo em uma fonte antiga (caso tenha uma com entrada USB-C), ou deverá comprar uma fonte nova. Se for dos mais cuidadosos, poderá aproveitar o cabo do seu iPhone anterior até que ele peça clemência.

Outro item que não deve mais acompanhar a caixa do iPhone 12 são os fones de ouvido EarPods. A expectativa é de que a Apple ofereça algum tipo de promoção caso o consumidor opte por comprar os AirPods junto com os novos iPhones.

Chip Apple A14 deve trazer melhora em desempenho

O processador da linha iPhone 12 deve ser o Apple A14 Bionic, mesmo chip utilizado no iPad Air. O componente é fabricado em processo de 5 nanômetros e as estimativas são de que ele consiga ser 16% mais rápido do que o A13 Bionic, do iPhone 11, além de fornecer desempenho gráfico 8,3% superior.

O processador passou por testes de benchmark nos últimos dias e forneceu resultados acima do A13 Bionic, mas inferiores aos do Apple A12Z do iPad Pro no quesito multi-core.

Apple A14 Bionic

Em armazenamento, os iPhones 12 Mini e iPhone 12 devem contar com versões de 64 GB, 128 GB ou 256 GB. Já os modelos Pro e Pro Max trariam a opção mais básica com 128 GB, além de duas outras opções de memória interna com 256 GB e 512 GB.

Câmera dupla ou tripla, a depender da versão

Não há muitas informações vazadas sobre as câmeras dos próximos iPhones, mas elas podem vir em um conjunto duplo na traseira do iPhone 12 Mini e do iPhone 12 convencional, ou tripla nos iPhones 12 Pro e Pro Max. Estes últimos contariam ainda com sensor LIDAR para mapeamento de profunidade 3D, o que os tonaria mais aptos para tarefas com realidade aumentada.

Também há indícios de que o iPhone 12 Pro Max teria uma nova forma de estabilização de imagem – o sensor-shift seria responsável por deslocar levemente o sensor durante um movimento indesejado, o que reduziria ainda mais o risco de fotos tremidas.

Ficha técnica do iPhone 12 deve incluir suporte a 5G e bateria mais barata

Espera-se que todos os modelos de iPhone lançados em outubro de 2020 sejam compatíveis com as redes 5G em bandas sub-6 Hz. No entanto, apenas o iPhone 12 Pro Max teria conectividade mmWave (ondas milimétricas) para entregar velocidades acima de 1 Gb/s.

E por falar em 5G, alguns rumores indicam que é por conta dele que a Apple deverá apostar em baterias mais baratas com o lançamento do iPhone 12. As capacidades seriam:

  • iPhone 12 Mini: 2.227 mAh
  • iPhone 12: 2.775 mAh
  • iPhone 12 Pro: 2.815 mAh
  • iPhone 12 Pro Max: 3.687 mAh

Ainda não se sabe se haveria impacto na autonomia de bateria estimada, uma vez que a eficiência energética do A14 Bionic poderia ajudar a segurar uma possível queda.

Preço e data de lançamento do iPhone 12

Até o momento, não foram revelados os preços oficiais da próxima geração de iPhones, mas há estimativas. O preço do iPhone 12 deve partir de US$ 749. A versão Mini deve ser a mais barata, com valores iniciando em US$ 649. Já o iPhone 12 Pro custaria a partir de US$ 999 e o Pro Max a partir de US$ 1.099.

Apple

O Lançamento do iPhone 12 deve acontecer no dia 13 de outubro de 2020, em uma transmissão ao-vivo (no YouTube e no site da Apple). O evento tem início marcado para 14h (horário de Brasília), e você poderá acompanhar a cobertura completa aqui, no Tecnoblog.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rodrigo (@rodrigo1)

A se confirmar não vir nem com fonte de energia nem com fone de ouvido, vai ser muita chinelagem.

Danilo Cursino (@Danilo)

Essa nomenclatura tá cada dia mais complexa. Como vc explica pra um leigo, o SE, o Mini, o sem sufixo, o Pro e o Pro Max? É muito difícil.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

12 mini é a versão pequena do 12.
12 Pro Max é a versão grande do 12 Pro.

O SE é a linha mais barata.

Não acho confuso. Na verdade leigo mesmo compra pelo tamanho e aparência. A qualidade ele já sabe que qualquer modelo vai ter.

² (@centauro)

Não sei se sou eu que estou superestimando o leigo ou você que está subestimando o leigo, mas…

SE, Mini, <número>, Pro, Pro max.
5 níveis (com nomes um tanto intuitivo em termos de ordenamento eu diria, exceto o SE).
Quanto mais alto o nível, mais caro, maior e melhor é o aparelho. Por melhor pode-se entender simplesmente que tem mais câmera e dura mais tempo longe da tomada.
Os detalhes, só depois do lançamento, claro, mas via de regra, deve ser isso.

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

É fato, muitos modelos não é legal.
Um diferencial da Apple era ter UM MODELO só por ano. Isso era muito bom, diferente da chinelagem de vários fabricantes que tinham 10 modelos por ano, tu precisava fazer uma tese de doutorado pra decidir qual iria comprar…

Com certeza, UM MODELO é exagero. Mas mais de 5 começa a ficar ruim também. A cada ano, começa a ter mais modelos e nomenclaturas confusas. Não é um bom caminho. O bom é SIMPLIFICAR na minha opinião.

PELO MENOS, tem coerência, tem um padrão, a configuração básica é igual em todas, o desempenho, a qualidade. Os mesmos softwares rodam em todas as versões. Para o desenvolvedor é bom, para o usuário é bom.

² (@centauro)

A Samsung (e agora outras) já banalizou tanto (acabou de sair uma notícia sobre o lançamento de um Galaxy M31 Prime, seja lá o que isso significa) com lançamentos que 5 modelos é o novo 1 modelo.

Fora que é o que você disse, no caso da Apple, são 5 modelos (4 da mesma geração, já que o SE é um bicho de categoria separada) que a distribuição de features é fácil de entender e comparar. Quanto mais caro, mais feature tem.
Ao contrário da Samsung, que em um modelo tem mais câmera e menos bateria, em outro modelo tem mais bateria mas não tem NFC, em outro modelo tem NFC mas não tem sei lá o que e asism vai, por 50 modelos diferentes.

Raul Amoretti de Souza (@djlito)

O problema é explicar os valores

Vinicius Andrade (@Toloko)

De noite, olha pra lua. Os preços vão estar naquela altura. #SadButTrue

Gabriel Arruda (@gdarruda)

Nunca entendi o porquê de criticarem essa essa estratégia de várias opções por segmento, porque na prática a pessoa vai na loja e pega o que cabe no orçamento dela. O maior argumento era que a empresa não consegue focar e os produtos são pouco otimizados, mas nada disso se aplica a expansão de linha da Apple.

A demanda por iPhone maiores/menores era reprimida, lançar um iPhone por ano estava fazendo a Apple perder vendas. O Jobs fez a limpa nos produtos da Apple quando chegou, mas era um cenário bem diferente de 20 anos atrás a situação da empresa.

Eu provavelmente vou nesse iPhone Mini futuramente que, na estratégia antiga da Apple, nunca existiria. O único outro iPhone que eu comprei foi o SE, que também não existiria se a Apple mantivesse a estratégia do passado.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Meus chutes:

iPhone 12 e mini
Tela: OLED, 60Hz.
SoC: A14.
Construção: alumínio e vidro.

12 Pro e Pro Max
Tela: 120Hz, 10bit, 1600 nits pico (Max)
SoC: A14X.
Construção: Titânio e vidro.

Features especiais: Shift sensor. Modo retrato com modo noturno. LiDAR. Aprimoramento de fotos através de fotografia computacional avançada. Suporte a Apple Pencil mini 3º geração.

Segurança: Face ID 2.0 e Touch ID lateral. O Face ID seria o desbloqueio primário, a biometria lateral seria uma segunda autenticação em casos pontuais, atuando de forma invisível.

@Banana_Phone

Um leitor de digitais seria muito bom, já que em uma época onde todo mundo anda de máscara, o face ID não funciona.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Ainda não funciona. Quem sabe ela aplique uma solução de escaneamento de veias e vasos faciais, é uma das patentes que visam melhorar o Face ID.

Iniciante essa patente era para resolver o problema de diferenciar irmãos gêmeos, mas pode ser usada para aumentar os dados de biometria e tornar menos necessário a região coberta por máscara, e ainda manter a segurança. Já que cada ser humano possuiu um padrão de veias e vasos sanguíneos único.