Início » Celular » ARM anuncia transição para pôr fim a apps de Android em 32 bits

ARM anuncia transição para pôr fim a apps de Android em 32 bits

ARM licencia design para processadores de celulares Android, incluindo Qualcomm Snapdragon, Samsung Exynos e MediaTek

Felipe Ventura Por

A ARM avisou nesta quarta-feira (7) que seus futuros designs de processador não terão suporte a instruções de 32 bits nos núcleos Cortex mais poderosos. Esta transição, que deve começar em 2022, deve ajudar a aumentar o desempenho em 30% comparado à geração atual. A empresa, que está em processo de aquisição pela Nvidia, licencia sua tecnologia para chips da Qualcomm, Samsung e MediaTek usados em celulares Android.

ARM

Funciona assim: a ARM projeta designs de processadores para celular e os licencia para terceiros. Eles geralmente usam a arquitetura big.LITTLE, composta de núcleos mais potentes acompanhados por núcleos que consomem menos energia para tarefas simples.

Os núcleos mais poderosos da ARM perderão suporte a 32 bits na geração de 2022, chamada internamente de Makalu. Enquanto isso, os núcleos mais simples como o Cortex-A55 continuarão a rodar instruções desse tipo; neste caso, a transição deve levar mais tempo.

ARM

Ainda assim, a ARM está dando o aviso com bastante antecedência para não pegar os desenvolvedores de surpresa. Ela recomenda que os apps e jogos sejam adaptados o quanto antes para 64 bits, e diz que isso traz benefícios como tempos de carregamento mais rápidos, gráficos mais fluidos e recursos de segurança aprimorados.

CPUs de 64 bits podem ter desempenho maior por conseguirem encontrar, mover e processar volumes maiores de dados em um intervalo de tempo menor do que um chip de 32 bits. É algo crucial para tarefas mais pesadas como inteligência artificial, jogos imersivos para celular, ou até mesmo exibição de imagens em telas de altíssima definição.

Google exige apps de 64 bits no Android

ARM Cortex-A78

Desde agosto de 2019, o Google exige que apps enviados à Play Store tenham versões de 64 bits. (Eles podem manter versões de 32 bits também.) Segundo a ARM, apenas 60% dos aplicativos rodam em 64 bits; no entanto, a maior parte das exceções está em mercados como a China, que tem suas lojas próprias.

O Android ganhou suporte a 64 bits na versão 5.0 Lollipop em 2014, mas ainda pode funcionar em modo legado se o processador não tiver suporte; o sistema também roda apps de 32 bits. O Google talvez mude de ideia agora que a ARM anunciou seus planos.

A Apple, que faz seus próprios processadores, já passou por essa transição há alguns anos. Ela passou a exigir em 2015 que todos os aplicativos enviados à App Store rodassem em 64 bits; e removeu suporte a apps de 32 bits no iOS 11, em 2017.

Com informações: ARM, Android Authority.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@ksio89

Como a Google pode exigir que os apps lançados na Play Store sejam 64-bit, se ainda há aparelhos low-end com firmware 32-bit instalado?

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

Google e organização são palavras rivais. O meu celular mesmo tem um processador de 64 bits, mas a desgraçada da Motorola colocou um sistema de 32 bits nele.

Josué Junior (@Josue.Jr)

Tomara que eu consiga trocar meu celular antes disso. Meu processador é de 64 bits, imaginei que quando a Samsung trouxesse o Android 9 pro meu celular, já viria em 64bits, mas veio em 32 bits, não sei por que

@ksio89

Deixa eu adivinhar, é o Moto G6 Play? Da Motorola dá pra esperar tudo, no meu caso ela capou o suporte ao 4G+ que havia no G5 Plus. Participo do grupo do Moto G5 e G6 no Telegram, pelo que eu li lá, apenas o G6 Plus tinha firmware stock 64-bit.

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

É o G7 play

@ksio89

Infelizmente a linha Play é bem capada, e pelo visto não só o hardware, mas o software também.

ochateador (@ochateador)

No caso ele exige suporte ao 64 bits.
Então ao publicar o aplicativo, o desenvolvedor envia 2 pacotes, o de 32 e 64 bits e a playstore instala a versão correta de acordo com o celular do usuário.

Islan Oliveira (@Islan_Oliveira)

Tenho um desses também. Imagina qual não foi meu choque ao descobrir que um celular lançados em 2019, com processador 64-bits tinha o OS 32-bits? Eu jogo Pokemon Go e esse ano a desenvolvedora quase retirou suporte ao 32-bits com pouco tempo de aviso.

Gabriel (@gabrielcarlos)

Como faz pra saber se o software é 32 ou 64 bits?

Jhonny (@jokalokao)

Por isso a transição gradual. Não vai ser de uma vez só. E a Google pode fazer exceções pra alguns aparelhos. Mas infelizmente uma hora isso viria tona como já aconteceu com distros linux por exemplo

@RODRIGO

Sobre o software em geral: baixe o app 64Bit Checker; assim poderá saber se é 32 ou 64 bits o software!

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

Um aparelho lançado “oficialmente” com Android de 32 bits vai morrer com Android de 32 bits, não conheço nenhum smartphone que tenha migrado para Android de 64 bits por meio de atualização da fabricante. Se você der sorte, talvez exista alguma custom ROM de 64 bits, mas a firmware oficial muito provavelmente permanecerá em 32 bits até o fim do suporte para o seu aparelho…

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Nem sabia que ainda existia 32 bits no Android.

Pra mim era meio que implícito que se o SoC suportava 64 bits, o aparelho também suportaria e se estenderia para o software.

@RODRIGO

Também! Surpreso fiquei! É muita suposta fragmentação no mundo Android – apesar de ser bom por ter código aberto, podendo colocar custom ROM à vontade, quando as fabricantes deixam de atualizar o SO!

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

Praticamente todo aparelho Android de 2016 pra cá, independente da faixa de preço, vai ter um SoC compatível com 64 bits, porém várias fabricantes ainda embarcam o Android de 32 bits, especialmente nos modelos de entrada…

Exibir mais comentários