Início » Antivírus e Segurança » Aeroporto em SC testa embarque com reconhecimento facial

Aeroporto em SC testa embarque com reconhecimento facial

Embarque Seguro usa dados biométricos da carteira de motorista em aeroportos, dispensando a apresentação de documentos

Felipe Ventura Por

O projeto Embarque Seguro quer agilizar o embarque em voos ao utilizar somente o reconhecimento facial para liberar o embarque de passageiros, dispensando a apresentação de documentos. Neste primeiro momento, isso requer que o usuário tenha carteira de motorista / CNH (Carteira Nacional de Habilitação) para permitir a verificação biométrica.

Embarque Seguro

Os testes começaram nesta quinta-feira (8) no aeroporto internacional de Florianópolis (SC), com a participação de passageiros voluntários da companhia aérea Latam. É necessário usar um app desenvolvido pelo Serpro para cadastrar a foto do viajante, que será associada ao respectivo CPF.

Essa foto será vinculada à passagem de avião. Então, na hora do embarque, basta passar na frente de uma câmera para fazer a verificação e ser liberado. O aeroporto internacional de Guarulhos (SP) tem algo parecido, por exemplo, mas requer que você escaneie seu passaporte em um equipamento — o que não é necessário no Embarque Seguro.

Embarque Seguro usa base de CNH do Denatran

Esta iniciativa foi idealizada pelo Ministério da Infraestrutura em parceria com o Serpro. Autoridades de segurança poderão utilizar uma avaliação de risco dos viajantes realizada pelo Sisbraip (Sistema Brasileiro de Informações de Passageiros).

Isso envolve a criação de um sistema nacional unificado para checar e validar a identidade do passageiro, cruzando diferentes bancos de dados do governo. Incialmente, será usada a base de CNHs do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), que tem cerca de 56 milhões de registros ativos. A ideia é expandir a integração para mais bases no futuro.

O projeto-piloto em Florianópolis também promete ser apenas um primeiro passo: o Embarque Seguro deve ser implementado nos principais aeroportos do país ao longo do tempo.

E em comunicado, o Serpro afirma que seu app permitirá uma experiência personalizada ao usuário: será possível avisá-lo quanto tempo falta para a saída do voo e a rota mais rápida para chegar até o portão de embarque.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Moto (@Moto)

A matéria escrita pelo @felipe tem um link no último parágrafo para “Comunicado do SERPRO” que redireciona para um login que não tenho acesso. Minha dúvida é:

Uso o app do SERPRO:
CDT - Carteira Digital de Trânsito para consultar minha CNH digital, que obviamente tem minha foto. Essa é a foto cadastrada para reconhecimento no sistema para aeroportos? Ou ainda preciso do VIO (outro sistema do SERPRO) para autenticar o QR Code da CDT?

imhotep (@imhotep)

A Gol já tinha algo parecido, q foi testado especificamente com seus clientes, em Congonhas, São Paulo. Não cheguei a usar, pois tinha que cadastrar a foto no app da Gol e eu achava mais fácil fazer o check-in pelo app.

Na China é bem comum esse tipo de coisa, inclusive pra fazer pagamentos em supermercados e similares.

Se isso evitar fraudes (usarem seus documentos ao invés de você), vejo vantagens, como seria pelo uso de qualquer outro tipo de biometria.

Mas sei q muita gente não vai gostar, por achar q o governo vai ter informações demais sobre vc (como se já não tivesse).

Moto (@Moto)

A base eleitoral tem 148 milhões de fotos no TSE.
A base do DENATRAN tem 56 milhões de fotos.
Então, o cenário tá no foco!

² (@centauro)

Usar o CNH.
Eu tenho a impressão que na geração mais nova, a vontade de tirar a carteira de motorista está diminuindo. Ou talvez em uma parte dessa geração, no caso a mais rica, que tem condições de ficar se preocupando com o meio ambiente e dando preferência para Uber e outras alternativas menos poluentes do que um carro próprio.

Bom, mas existem outras bases de dados que eles podem usar também.

Terem informação demais não é motivo pra dar ainda mais informação.

imhotep (@imhotep)

Base de fotos eles têm, não apenas da CNH, como do TSE, com o cadastramento da biometria.
O do TSE, aliás, vai chegar a 100% qd as eleições forem todas por biometria (eu ainda náo recadastrei). No RJ, o TSE usava a base do Detran pra fazer o recadastramento parcial de quem tem CNH.

Quanto à geração mais nova, ela não gosta de carros, não gosta de sexo, não quer ter casa própria…quer só ficar no Instagram…

² (@centauro)

Carro é custo, sexo cansa, casa própria é uma âncora.
Instagram é dopamina sem estresse!

Mas esse povo também quer viajar pra ficar bonito no Insta!
Daí o reconhecimento facial não vai funcionar porque não possuem CNH.