Início » Brasil » Claro e IBM querem ajudar TSE com votação pelo celular

Claro e IBM querem ajudar TSE com votação pelo celular

Projeto do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), "Eleições do Futuro" vai testar votação online; empresas de blockchain têm interesse

Felipe Ventura Por

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realizou um chamamento público em setembro para recrutar empresas que queiram participar do projeto Eleições do Futuro: há 31 interessadas, incluindo a IBM, a operadora Claro e diversas startups focadas na tecnologia de blockchain. A ideia é que as próximas votações para políticos sejam online, inclusive através do celular.

Tribunal Superior Eleitoral (Imagem: Marcus Amorim/Flickr)

Tribunal Superior Eleitoral (Imagem: Marcus Amorim/Flickr)

Desde o dia 5 de outubro, a equipe do TSE vem fazendo reuniões por chamada de vídeo com as empresas interessadas. Elas poderão demonstrar suas propostas ao público em 15 de novembro, dia do 1º turno das eleições municipais.

Por enquanto, não se trata de uma votação real: os eleitores poderão escolher apenas entre candidatos fictícios. As demonstrações devem ocorrer nas cidades de Curitiba (PR), Valparaíso de Goiás (GO) e São Paulo (SP), sendo monitoradas pela Justiça Eleitoral.

Depois de conhecer as possibilidades, o TSE vai estudar a melhor estratégia para que o próximo pleito seja mais moderno e mais barato de implementar. As conclusões serão repassadas aos ministros Edson Fachin e Alexandre de Moraes, que conduzirão as próximas eleições presidenciais. Vale lembrar que a Positivo fornecerá 180 mil urnas eletrônicas para a votação de 2022.

Claro e IBM querem demonstrar votação via internet

Das empresas interessadas, as mais conhecidas são a Claro, a IBM e a Smartmatic; esta última ofereceu suporte técnico-operacional para as urnas eletrônicas do TSE nas eleições de 2012, 2014 e 2016.

Temos também companhias especializadas em certificação digital (Certisign, DigiSign), cibersegurança (Gold Lock), soluções de biometria (Vsoft) e TI em geral.

Chama atenção a quantidade de startups voltadas para blockchain, como GoLedger, OriginalMy, Sonda IT e Waves Enterprise. Isso faz sentido: a tecnologia, que surgiu no contexto do bitcoin, garante transações que não podem ser fraudadas por serem verificadas pelos participantes da rede.

Uma reportagem do UOL alega que a Amazon também demonstrou interesse, mas a empresa não é mencionada nos documentos públicos do TSE.

Esta é a lista das 31 interessadas, de acordo com o TSE:

  • Bluetrix Tecnologia Ltda
  • Certsign
  • Claro S.A.
  • Criptonomia
  • DigiSign Ltda
  • Exsis
  • Fidelity Mobile
  • Gold Lock
  • GoLedger
  • Griaule Ltda
  • Grupo ICTS
  • IBM
  • IDWall Tecnologia
  • Indra Company
  • Infolog Tecnologia
  • Instituto Nacional de Excelência em Políticas Públicas – INEPP
  • Lever Tech – Tecnologia Sustentável – Ltda
  • Neuvote
  • Nova Opção Representação Comercial
  • OriginalMy
  • Perseu Software
  • PROCERTI Certificadora Digital
  • RelataSoft
  • Servix Informática
  • Smartmatic
  • Sonda
  • Thomas Greg & Sons do Brasil
  • Ultra Tecnologias
  • Visual Sistemas Eletrônicos
  • Vsoft
  • Waves Enterprise

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@ksio89

Enquanto eu não puder votar pela internet, ou melhor ainda, enquanto for obrigatório, sair de casa para votar virou coisa do passado. Torço para que voto pela internet seja realidade o mais breve possível, até lá não votarei mais e só pagarei a multa.

@ksio89

Só pagar a multa que regulariza a situação do eleitor, você emite a GRU no site do TSE e paga online pelo Banco do Brasil. E agora não precisa mais apresentar o comprovante em um cartório eleitoral, em abril anunciaram a mudança.