Início » Celular » Apple muda preços e iPhones ficam mais caros para alguns clientes nos EUA

Apple muda preços e iPhones ficam mais caros para alguns clientes nos EUA

Preço do iPhone 12 é US$ 699, mas só se você for cliente de uma operadora parceira; outras versões custam 30 dólares a mais

Paulo Higa Por

Os preços dos iPhones sobem quase todo ano no Brasil, inclusive nos modelos antigos, mas a empresa costuma manter os valores em dólares nos Estados Unidos. Até agora. Na terça-feira (13), a Apple anunciou o iPhone 12 Mini por US$ 699, mesmo preço do iPhone 11, revelado em 2019, com uma pegadinha: se você não for cliente de uma operadora parceira, o aparelho será vendido por US$ 729.

iPhone 12 (Imagem: Apple)

iPhone 12 (Imagem: Apple)

O incremento de US$ 30 vale tanto para o iPhone 12 Mini quanto para o iPhone 12, em todas as capacidades de armazenamento. A Apple não anunciou os aumentos durante a apresentação, limitando-se a informar que os aparelhos seriam vendidos por preços a partir de US$ 699 e US$ 799, respectivamente. Na loja online da Apple, no entanto, essas cifras são exibidas como uma “oferta especial” para clientes da AT&T e Verizon.

iPhone 12 Mini sem vínculo com operadoras parte de US$ 729

A AT&T é a maior operadora do país, seguida pela Verizon, cujo CEO subiu ao palco do evento para apresentar sua nova rede 5G. Para os clientes da T-Mobile e Sprint, que juntas somam pouco mais de 25% de fatia de mercado, o iPhone 12 Mini e o iPhone 12 partem de US$ 729 e US$ 829; os mesmos preços valem para os usuários que desejam adquirir um aparelho sem vínculo com operadoras.

iPhone 12 sem vínculo com operadoras é US$ 30 mais caro (Imagem: Reprodução/Apple)

iPhone 12 sem vínculo com operadoras é US$ 30 mais caro (Imagem: Reprodução/Apple)

Não está claro como a diferenciação de preços será feita na prática, ou mesmo de onde vem o tal desconto. Qualquer variante de iPhone nos Estados Unidos pode ser adquirida nas lojas da Apple e é desbloqueada para uso em qualquer operadora do mundo, com exceção de um modelo vendido por meio de um financiamento de 30 meses da AT&T.

A Apple explica apenas que clientes da AT&T e Verizon têm direito a um “desconto instantâneo” de US$ 30 e que o aparelho deverá ser ativado em uma das operadoras. A empresa não informa se o desconto é permanente ou por tempo limitado para esses consumidores. É um valor suficiente para comprar um carregador de tomada — que não vem mais na caixa dos iPhones.

Nos Estados Unidos, o iPhone 12 e o iPhone 12 Pro entram em pré-venda na sexta-feira (16), com entregas se iniciando uma semana depois; já o iPhone 12 Mini e o iPhone 12 Pro Max poderão ser reservados a partir de 6 de novembro. A Apple ainda não informou quando os aparelhos estarão disponíveis no Brasil.

Com informações: MacRumors.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
3 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Jefferson (@Jefferson)

Levando em consideração +38,00 dólares dos fones/carregador, o preço final fica em US$867,00 ou 24% mais caro em relação ao iPhone 11.
Apple tão bobinha preocupada com o meio ambiente! Pq não pega essa diferença de US$38 em cada venda e não doa para causas ambientais? Me poupe.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Mas ela já doa todos os anos para um fundo de conservação ambiental, dos parques nos US.

Parte do lucro com o Product Red vai para o combate ao COVID-19 e AIDS.

Tem também um fundo de 2 bilhões de dólares para financiar moradia para os habitantes do entorno do vale do silício.

Jefferson (@Jefferson)

O correto é passar a doar +38,00 em cada venda. Se reduziu por causas ambientais, o dinheiro não é dela, é das “causas”.