Início » Brasil » Google: buscas sobre “não votar” crescem nas Eleições 2020

Google: buscas sobre “não votar” crescem nas Eleições 2020

Google divulga central com principais termos pesquisados sobre as eleições; dúvidas sobre ausência às urnas são frequentes

Ana Marques Por

O Google divulgou, nesta quarta-feira (21), os termos mais pesquisados em relação às Eleições 2020. De acordo com a empresa, a dúvida sobre como justificar a ausência é frequente, e aparece entre as cinco buscas mais populares relacionadas ao termo “votar” na última semana. Ainda em relação a este termo, a pergunta mais buscada pelos brasileiros é “O que acontece se não votar?”.

Central de Insights sobre Eleições 2020. (Imagem: Reprodução/Google)

Central de Insights sobre Eleições 2020. (Imagem: Reprodução/Google)

As informações estão disponíveis na nova central de insights para o processo eleitoral municipal, apresentada hoje pelo Google. A página também conta com tendências de busca em tempo real e as principais dúvidas sobre candidatos.

Com relação ao termo “votar”, as perguntas mais feitas são:

  1. O que acontece se não votar?
  2. Se não votar e nem justificar, o que acontece?
  3. Quem pode votar nas eleições?
  4. O que acontece se votar em branco?
  5. Como justificar voto?

O cenário se deve, em parte ao adiamento das Eleições 2020 e ao isolamento parcial que muitas cidades ainda experimentam devido à pandemia da COVID-19. Apesar da reabertura de alguns estabelecimentos, os dados levantados podem indicar uma tendência de maior ausência às urnas este ano.

Para Marco Túlio Pires, diretor do Google News Lab no Brasil, essas pesquisas “podem ser um indicativo de que há uma um certa preocupação do brasileiro em ir votar por conta da pandemia”.

“Saúde” é o principal tema de interesse nos debates

A Pesquisa Google confirma o interesse principal dos brasileiros no tema “Saúde” – esse é o assunto relacionado ao debate político com mais buscas no país. Em seguida, estão “Educação”, “Impostos”, “Bolsa Família” e “Desemprego”.

Mapa mostra interesses no debate político. (Imagem: Reprodução/Google)

Mapa mostra temas de interesse no debate político. (Imagem: Reprodução/Google)

PT e PSOL são líderes na pesquisa por candidatos

A central de insights também mostra quais são os partidos mais buscados junto ao termo “candidato(a)” nos últimos 14 dias. No momento de publicação desta matéria, o PT lidera, com 36% das pesquisas, seguido pelo PSOL (11%). O Partido Novo e o PSL contam com 10%.

É importante ressaltar que esses dados não representam intenção de voto, mas sim o interesse de busca no Google. O levantamento também comprova que os brasileiros buscam mais por dados relacionados ao número e partido dos candidatos do que por suas propostas, ficha ou histórico com corrupção.

Interesse em candidatos nas Eleições 2020. (Imagem: Reprodução/Google)

Interesse em candidatos nas Eleições 2020. (Imagem: Reprodução/Google)

Além dos dados gerais, eleitores dos quatro principais colégios eleitorais do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Belo Horizonte) poderão ter informações mais detalhadas por região na central de insights.

As Eleições 2020 acontecem em 15 de novembro (primeiro turno). Nos locais onde houver necessidade de segundo turno, ele acontecerá no dia 29 de novembro.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eu (@Keaton)

As vezes eu tenho vontade de não votar… só tem candidato palhaço aqui.
Um maluco que foi reeleito umas seis vezes, um maluco que acha que se votarem nele vai começar à chover e o dinheiro vai surgir do nada na conta de todo mundo, a doida que acha que vai conseguir distribuir internet gratuita pra todo mundoacha que vai conseguir creche gratuita pra todo mundo (o da internet foi outro maluco), um doido de pedra que se esconde na viatura, etc…

João M. (@RonDamon)

Essa vai ser a eleição mais deserta dos ultimos tempos devido ao coronga.

@ksio89

Não era nem para haver eleições esse ano, mas como não vivemos numa democracia de verdade, não temos escolha. Os políticos podem esperar deitados que eu vá sair de casa e me aglomerar nos locais de votação em plena pandemia, ainda mais que no meu estado os casos voltaram a aumentar.