Início » Gadgets » Amazon Fire TV Stick Lite: mais rápido e com botão Alexa no controle

Amazon Fire TV Stick Lite: mais rápido e com botão Alexa no controle

Amazon Fire TV Stick Lite agora tem controle com Alexa e melhor desempenho, mas lista de streaming ainda é limitada

Darlan Helder Por
Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O Amazon Fire TV Stick Lite chegou ao Brasil no segundo semestre de 2020 para disputar mercado com o Roku Express; ambos são vendidos por R$ 349. Além do Express, o gadget da Amazon compete com a Mi TV Stick e com o Google Chromecast. E como o próprio nome apresenta, este Fire TV Stick é mais básico, porém traz melhorias significativas.

O desempenho melhorou, o controle agora tem microfone e botão para acionar a Alexa, e a Amazon promete mais de 100 mil filmes e séries com Netflix, Prime Video e Apple TV que estão embarcados, entre outros. Os conteúdos, no entanto, são exibidos em Full HD, ou seja, nada de 4K por aqui. Será que compensa? Eu testei o Amazon Fire TV Stick Lite nas últimas semanas e conto todos os detalhes neste review.

Análise do Amazon Fire TV Stick Lite em vídeo

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente de tecnologia que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises de produtos são opinativas e não possuem nenhuma intenção publicitária. Por isso, sempre destacamos de forma transparente os pontos positivos e negativos de cada produto.

Nenhuma empresa, fabricante ou loja pagou ao Tecnoblog para produzir este conteúdo. Nossos reviews não são revisados nem aprovados por agentes externos. O Fire TV Stick Lite foi fornecido pela Amazon por doação. O produto será usado em conteúdos futuros e não será devolvido à empresa.

Kit e instalação

Na caixa, além do Fire TV, a Amazon envia um controle remoto Bluetooth acompanhado de duas pilhas palito alcalinas, um cabo USB de 149 centímetros, outro cabo extensor de HDMI e, por fim, um adaptador de energia de 9 watts.

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Eu já gostava bastante do Fire TV Stick Basic devido à praticidade e esta versão de 2020 novamente ganha pontos comigo, já que é possível instalar o produto facilmente em outro televisor, caso seja necessário.

Para fazer a instalação você precisa conectar o Fire TV Stick Lite em uma entrada HDMI na TV. Caso tenha algum problema de espaço na traseira do equipamento, basta utilizar o extensor HDMI.

Já o cabo USB é responsável por energizar o dispositivo; essa alimentação pode ser feita através da porta USB-A do televisor ou, então, utilize a fonte enviada pela Amazon. Depois disso, ligue a TV e selecione a entrada HDMI.

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A etapa de configuração é fácil e não toma muito tempo. Como eu já tenho uma conta na Amazon, o procedimento acabou sendo ainda mais rápido. Para funcionar, o Fire TV Stick Lite precisa estar conectado ao Wi-Fi — ele consegue trabalhar com redes de 2,4 GHz e 5 GHz.

Além da performance, outra grande novidade deste produto é o controle remoto, que ficou maior e, felizmente, ganhou microfone e integração com a Alexa.

O equipamento ainda traz botões de navegação, selecionar, voltar, tela inicial, menu, retroceder, avançar, reproduzir/pausar e o guia. A Amazon perdeu a oportunidade de incluir botões de volume e de liga/desliga, tão essenciais para um produto como esse. Infelizmente, a concorrência vai pelo mesmo caminho, digo isso porque o Roku Express também fica devendo eles.

Software e desempenho

O Fire TV Stick Lite tem uma interface que considero excelente, até melhor que a da Roku. Ele roda Fire OS e traz Netflix, Prime Video, YouTube e o navegador próprio pré-instalados. Inclusive, os conteúdos pertencentes à Amazon dominam no sistema e, como eu sou assinante do Prime Video, todos os filmes e séries presentes no catálogo deles aparecem logo na tela inicial, bem como as produções que assisti recentemente.

Interface do Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Interface do Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Na área superior estão os menus com página inicial, seus vídeos, filmes, séries, aplicativos além de configurações, que permite acessar outra tela para verificar todas as notificações, informações do Fire TV, alterar a rede, ajustes de acessibilidade, da Alexa, entre outros.

A loja de aplicativos é bem organizada e tem categorias como business, comunicação, educação, música, notícias e por aí vai.

Entretanto, o Fire TV Stick Lite continua decepcionando na lista de serviços de streaming. Algumas plataformas populares como Globoplay e HBO GO não estão disponíveis. O Disney+ ainda não aparecia enquanto eu produzia este review. Você encontrará Telecine Play, Vivo Play, Looke, Plex, Vix, Spotify e Deezer. O dispositivo tem 8 GB de memória interna, entretanto, ele chegou para mim com apenas 4,22 GB.

Interface do Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Interface do Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O desempenho do Fire TV Stick Lite me chamou a atenção: o set-top-box trabalha com um processador quad-core de 1,7 GHz que consegue dar conta do recado. A Amazon afirma que ele é 50% mais rápido que a versão de 2017. Durantes os meus testes, de fato, não notei travadas ou fechamentos inesperados, e a navegação é muito fluída.

É possível instalar jogos pagos e gratuitos no gadget; títulos como Pac-man, Hot Wheels: Race off e Crossy Road estão na loja de aplicativos. Com relação à performance, Asphalt 8: Airborne rodou muito bem sem apresentar engasgos, mas recomendo jogar com um joystick, pois a experiência é melhor. Mouse e teclado sem fio também podem ser conectados.

Crossy Road no Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Crossy Road no Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Asphalt 8 no Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Asphalt 8 no Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Por falar em controle, agora é possível usar a Alexa para abrir um aplicativo, perguntar a hora ou a temperatura em uma região. Você pode dizer “Alexa, procure por comédias”, “abra o YouTube”, “tocar wow de Post Malone” ou então pedir para ela tocar uma playlist para cozinhar, por exemplo.

Caso já esteja imersivo no ecossistema da Amazon, saiba que é viável ligar e desligar a TV através de smart speakers da empresa, basta dizer “Alexa, ligar a TV” ou “Alexa, desligar a TV”. Eu mesmo consegui controlar o Fire TV Stick Lite com um Echo Dot de 3ª geração e por aqui essa integração funcionou eficientemente.

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Por fim, o espelhamento de tela não funciona direito ao reproduzir jogos e vídeos na TV devido aos muitos engasgos na imagem e no áudio. Você só vai ter uma experiência favorável ao transmitir conteúdos estáticos, então é melhor considerar isso antes de adquirir o produto.

Qualidade de imagem

Como dito anteriormente, o Fire TV Stick Lite exibe conteúdos em Full HD, a 60 frames por segundo, com suporte ao HDR, entregando imagens com mais contrastes. Em configurações, ao acessar o menu “tela e som”, o usuário pode fazer ajustes de resolução de vídeo, intensidade de cor, calibrar a tela, entre outros.

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Este Fire TV Stick atenderá bem às necessidades de clientes menos exigentes sem TV Ultra-HD em casa, é claro.

A empresa até comercializa um Fire TV 4K, mas ele ainda não está disponível na Amazon do Brasil. A boa notícia é que a empresa já homologou a versão 4K em nosso país, como mostrou o Tecnoblog em agosto. Mas se não quiser esperar, talvez seja melhor partir para modelos 4K de outras marcas.

Amazon Fire TV Stick Lite: vale a pena?

Em relação ao Basic de 2017, sim, o Fire TV Stick Lite traz upgrades consideráveis: a interface segue bonita e bem organizada, o desempenho melhorou e o controle com Alexa é muito bem-vindo. Outro ponto positivo existente aqui é a possibilidade de conectar teclados, mouse e joystick por Bluetooth.

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Amazon Fire TV Stick Lite (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Mesmo com esses ótimos recursos, o produto não me conquistou por completo. A lista de streaming poderia ser mais completa para disputar melhor com o Roku Express, que, nesse quesito, acaba levando vantagem. Além disso, o controle remoto não tem botões de volume e de liga/desliga, e o espelhamento continua ruim.

Por fim, penso que o Fire TV Stick Lite faz mais sentido para quem já é assinante do Amazon Prime, já que o Prime Video e o Amazon Music dominam na interface.

Três anos depois e a recomendação é a mesma: se você está ciente das limitações dele, então faz sentido apostar no Fire TV Stick Lite, que pode ser um produto interessante para quem tem uma TV antiga que não é smart ou que não recebe mais atualizações e vive engasgando.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe (@fefernoli)

Estou mirando em um pra Black Friday, mas ainda preciso decidir se realmente preciso ou se quero comprar só pra ter mesmo, aqui em casa tem uma smart TV Samsung meio antiga, mas que o app do Prime Video e Netflix funcionam, apesar de alguns engasgos.

[OFF] @darlanhelder você mencionou que tem um Echo Dot 3, já notou se a Alexa nele faz um bip metálico enquanto fala? A minha faz isso, perguntei dois amigos pra fazer um teste e a deles também fazem, mas não sei se é comportamento normal ou algum “defeito” se lote.

Caio (@Cai0)

O que me incomoda e impede de comprar é a limitação de 1080p.
Tantos streaming com suporte a 4k…

Darlan Helder (@darlanhelder)

Acabei de fazer o teste e, realmente, tem esse bip. Só percebi agora

Felipe (@fefernoli)

Uma vez ouvido não pode ser “desouvido” hahahaha Pelo lado bom é um comportamento normal do aparelho, estive quase mandando de volta pra ver se arrumavam.