Início » Finanças » Testamos o Pix em fase restrita com transferências em 1 segundo

Testamos o Pix em fase restrita com transferências em 1 segundo

A transferência feita com Pix funcionou e foi rápida, mas senti que a interface do aplicativo do meu banco é um pouco confusa

André Fogaça Por

O Pix só será liberado para todos os brasileiros a partir do dia 16 de novembro, mas desde o dia 3 deste mês alguns correntistas de bancos ou fintechs podem testar a nova forma de transferência. Eu aparentemente estou na lista de testes do banco onde tenho conta e o processo foi rápido, mas não tão simples assim.

Página do Pix dentro do app do Santander (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

Página do Pix dentro do app do Santander (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

Eu tenho conta em quatro bancos diferentes, sendo duas fintechs, um banco e uma divisão de outro banco tradicional. Dando nome aos bois, as contas estão no Santander, Next (braço digital do Bradesco), Nubank e C6, cada um deles conta com ao menos uma chave para o Pix. Sim, é uma zona com CPF, e-mail e celular para todo lado – ao menos o dinheiro sempre cairá em alguma conta que eu movimento.

O Santander é o banco onde acontece a maior parte das minhas transações, seja de chegada ou mesmo distribuição de valores para as outras contas – basicamente para pagamento de cartão de crédito de cada instituição. Pois bem, essa história toda está aqui para explicar a minha surpresa.

Existem dois caminhos até o Pix

O banco onde minha conta é mais antiga é o Santander e foi nele que notei a possibilidade do Pix. Chegar até a opção de Pix é simples, mas não acontece onde as transferências bancárias ficam no aplicativo. Eu sempre faço transferências e o caminho normal é: Menu lateral > Transações > Transferência. Dentro desta parte ainda estão disponíveis apenas TED e DOC.

Menu de transferências não exibe o Pix (Imagem: reprodução/Santander)

Menu de transferências não exibe o Pix (Imagem: reprodução/Santander)

Eu notei a presença do Pix em outro lugar: pagamento de conta, dentro do botão “Pagar”. Ok, faz sentido, o Pix pode ser utilizado como pagamento para alguma pessoa. Imagine que seu vizinho faz bolinhos no pote, você pode pagar o bolo utilizando este método de pagamento.

Opção de Pix está dentro de "Pagar" (Imagem: reprodução/Santander)

Opção de Pix está dentro de “Pagar” (Imagem: reprodução/Santander)

Neste momento a curva de aprendizado aparece e notei que existe um botão chamado “Pix” na tela inicial, longe da parte de transferências. Nela está a opção para ler um código QR e efetuar o pagamento, ou então transferir o dinheiro para outra conta com ajuda de uma das chaves – CPF/CNPJ, número do celular, e-mail, agência e conta, ou chave aleatória.

A chave aleatória é composta por 182 caracteres com números sem muito significado, mas dentro do texto (que pode estar em um código QR) eu encontrei meu endereço de e-mail cadastrado no Santander como chave do Pix, além do meu nome completo. Estes dois dados estão abertos para quem colar o código em algum lugar.

O Pix chegou em um segundo

Se você utilizar uma chave para efetuar o Pix, como o CPF, a tela seguinte exibe o nome completo do destinatário, junto de parte do CPF e a instituição bancária cadastrada. É possível adicionar uma informação, como “pagamento do bolo” e que fica visível para ambas as partes.

Transferência por Pix no Santander (Imagem: reprodução/Santander)

Transferência por Pix no Santander (Imagem: reprodução/Santander)

Uma segunda tela com todas as informações sobre o pagamento é exibida, o que me parece uma forma extra para evitar a transferência para outra pessoa. É possível ver a lista de Pix feitos ou recebidos, mas senti a falta de um botão de ajuda para quem fez a transação para a pessoa errada.

Por regra não é possível reverter um pagamento por Pix, então é bom prestar atenção e o banco, ao menos no meu caso, ofereceu três toques no “Ok” para que você consiga ler atentamente os dados inseridos.

Transferência por Pix no Nubank (Imagem: reprodução/Nubank)

Transferência por Pix no Nubank (Imagem: reprodução/Nubank)

O tempo para o dinheiro sair da minha conta e chegar no destino é de até 10 segundos e ele aconteceu em um segundo, a informação fica visível nos comprovantes de envio e de recebimento. A notificação do banco recebedor levou exatos 10 segundos para aparecer no outro celular, eu contei.

De qualquer forma, a experiência foi ótima. Só falta inserir o Pix dentro da parte de transferências, mantendo a presença dele na parte de pagamentos como está aqui.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
24 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

imhotep (@imhotep)

O app do Santander (e o internet banking) nunca foram um primor de organização e simplicidade. Entendo sua insatisfação.

Pelo menos funcionou, que é o principal.

LkSvn (@lksvn)

Bom saber, acabei de testar aqui e funciona super bem Nem vou mais precisar pagar boleto para depositar no meu nubank, já que minha conta do santander não tem TED/DOC :v

@wellerstz

acho que eles deixam separado pra propagandear,pq o certo msm é ficar nas opções junto com doc e ted

Lht (@Santos)

@fogaca Acho que eles não pode colocar o Pix junto com TED e DOC é norma do Banco Central, no regulamento do Pix explica isso. 20201110_215540720×1141 134 KB

Emanuel Schott (@Emanuel_Schott)

No Nubank não aparece a opção de fazer TED quando o PIX está disponível. Só vai por PIX mesmo.

Minha experiência foi ótima. O dinheiro realmente vai na hora, como se fosse transferência pra outra conta no mesmo banco.

João M. (@RonDamon)

Ainda dá pra fazer TED lá, basta ir na seção da conta (não dá na página inicial onde tem cartão e tudo mais) e ir em transferência.

Emanuel Schott (@Emanuel_Schott)

Mesmo lá. Quando vai concluir a transação vai por PIX.

João M. (@RonDamon)

Vai não, eu usei hoje e continua por TED lá. Pix só na página inicial e no botão Pix também.

Renan Rufino (@RufinoRJ)

Você recebeu algum notificação que podia testar ou foi na sorte mesmo @fogaca?

Daniel Lopes (@daniellopes22)

No Banco do Brasil foi bem fácil. Tem uma opção Pix, que já mostra todas as opções possíveisIMG_20201110_2335521080×2400 682 KB Screenshot_2020-11-10-23-38-57-596_br.com.bb.android1080×2400 623 KB

Vinícius (@wyne)

Tá certo isso?

A chave aleatória é composta por 182 caracteres com números sem muito significado

No Nubank não consigo ver minha chave aleatória. Na conta da CEF ela é um GUID padrão com 32 caracteres separados por hífen

Márcio Alves (@Marcio_Alves)

Testei no banco do Brasil. Está na opção de transferências do app, e também na tela inicial. Tudo muito simples e rápido.

Aliás, sugiro que você faça um teste no banco do Brasil. Vai gostar tanto do app talvez decida ficar com ele como conta principal. Você pode abrir uma conta fácil pelo app mesmo, em poucos minutos. Depois de aberta faça o upgrade para uma conta corrente. Tudo pelo app, não precisa ir na agência pra nada. Se tiver alguma dúvida pode me chamar.

imhotep (@imhotep)

O problema do BB é q ele é um bom banco só pra quem é assalariado, servidor público, ou ruralista.
Apesar de poder abrir a conta pelo app, o banco é extremamente burocrático no q diz respeito a crédito.
Fui cliente por uns 10 anos, mas depois descobri q poderia ter muito mais credito em bancos privados e acabei fechando a conta no BB.
Cheguei a reabrir uma conta em meados de 2012, 2013 e a mesma coisa - extrema burocracia pra qualquer coisa, mesmo eu tendo um score muito alto. A conta acabou não durando 1 ano e fechei também.

Quanto ao app, evoluiu bem, mas isso era de se esperar. O BB sempre teve uma equipe de TI muito competente.

Caio Henrique Galli dos Santos (@chgsantos)

Eu ganhei acesso pelo NuBank e vou te falar, está uma bagunça a navegação, o app está com duas telas de transferência totalmente diferentes:

Uma no menu Inicial que te dá acesso ao Pix
Screenshot_20201111-103944-edit1080×2340 125 KB

Uma dentro da área de Conta que vai para a tela antiga
Screenshot_20201111-103212-edit1080×2340 127 KB

No NuBank especificamente parece que eles vão unificar tudo que é transferência nessa nova tela.

Fuçando bastante percebi que o NuBank já vai transferir via Pix sempre que possível, e se não for possível via Pix vai para opção TED.

Aparentemente você consegue transferir via Pix usando os dados tradicionais das contas (Banco, Agência, Conta, CPF), ou seja, os bancos conseguem substituir o TED pelo Pix sem fazer nenhuma mudança nos dados requeridos.

Então na prática no NuBank eles vão matar o TED, e as chaves só serão um atalho para você não precisar digitar todos os dados da conta destinatária.

Fluxo completo:
Screenshot_20201111-103944-edit1080×2340 125 KB Screenshot_20201111-103657-edit1080×2340 129 KB Screenshot_20201111-1037061080×2340 212 KB Screenshot_20201111-1037401080×2340 259 KB Screenshot_20201111-1037481080×2340 141 KB

PS: eu tenho esse tanto de conta porque é sem taxas e eu gosto de fuçar e testar.

Kawe (@kaweantonio)

Tem isso mesmo. Dentro dos regulamentos do PIX, o Bacen incluiu como deve ser a experiência do usuário, inclusive com exemplos (fonte - PDF). Todas as telas de exemplo mostram que o PIX deve ser acessado, gerenciado e utlizado a partir de um mesmo ambiente completamente à parte de outras formas de pagamento, como TED e DOC. Esse é um dos motivos que você não irá encontrar o Pix nos menus de transferências.

Exibir mais comentários