Início » Finanças » Pix movimenta R$ 325 milhões antes de lançamento geral

Pix movimenta R$ 325 milhões antes de lançamento geral

Até o momento, Pix registrou cerca de 826 mil transferências; sistema será liberado para todos na segunda-feira (16)

Victor Hugo Silva Por

Prestes a ser liberado para todos, o Pix já movimentou um valor significativo em sua fase restrita, também conhecida como soft opening. Entre 3 e 12 de novembro, o sistema de pagamentos instantâneos registrou 826 mil transações, que totalizaram R$ 325 milhões. O valor médio das transferências, portanto, é de pouco mais de R$ 393.

Pix no aplicativo do Nubank (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Pix no aplicativo do Nubank (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A informação foi divulgada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) com base em dados do Banco Central. Até o momento, foram cadastradas 69,5 milhões de chaves Pix, sendo 66,6 milhões de pessoas físicas. Vale lembrar que, como cada pessoa ou empresa pode cadastrar mais de uma chave, o número é maior do que o total de usuários. O BC indica ainda que o CPF foi o tipo de chave mais usado, cadastrado 25,4 milhões vezes.

A Febraban afirma que o Pix se mostrou eficiente durante a fase restrita, que já registrou um grande volume de transações. A entidade afirma que seus 120 bancos associados estão preparados para a operação plena do sistema de pagamentos do BC, que começa na segunda-feira (16), a partir das 9h.

“Estivemos em constante processo de preparação juntamente com o Banco Central e os bancos estão bem preparados para dar vazão ao início das transações do Pix, bem como para corrigir eventuais problemas pontuais que possam ocorrer, o que é natural em qualquer grande processo de inovação tecnológica”, afirma o presidente da Febraban, Isaac Sidney.

Pix avança na fase restrita

Em seus primeiros dias da fase restrita, o sistema de pagamentos registrou um crescimento expressivo no número de transações. Em 3 de novembro, ainda com o horário restrito das 9h às 17h foram 1.570 transferências. Já entre 5 e 6 de novembro, nas primeiras 24 horas contínuas, foram 57 mil. Até a quinta-feira (12), a média diária era de 82 mil transferências.

Com o Pix, é possível fazer transferências que são concluídas em até 10 segundos. A partir de 16 de novembro, elas estarão disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana, incluindo finais de semana e feriados. A transferência digital é gratuita para pessoa física e MEI, e exige apenas conta em uma das 762 instituições que aderiram ao sistema, o que inclui grandes bancos e fintechs.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Ainda não criei chave do pix nem pretendo fazer isso tão cedo.

Emanuel Schott (@Emanuel_Schott)

Todos os bancos e fintechs que tenho conta já liberaram o PIX pra mim. É uma mão na roda. Muito melhor que TED.

JR (@JR1)

Não precisa, o sistema funciona sem chaves também

Emanuel Schott (@Emanuel_Schott)

Se você não vai fazer isso porque acha que o BC vai ter acesso as suas transferências, tenho duas más notícias:

Eles já tem acesso a tudo que acontece nas suas contas.

PIX não depende de cadastro de chaves. Podem te enviar um PIX usando os dados da sua conta, como num TED. As chaves são apenas pra facilitar as coisas.

Douglas (@Basch)

Já liberou pra mim no Itaú e estou usando feliz da vida. Quem não deve gostar é o próprio banco, já que meu pacote é os serviços essenciais (portanto raramente fazia TED pq é R$10,50 cada), agora já fiz umas quinze transferências de graça pelo Pix. rs

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Porque não faço transferência bancária nem recebo transferência.

imhotep (@imhotep)

Seu trabalho te paga com cheque?

Lucas Monteiro (@lucasmonteiro)

Se renda ao sistema, não adianta postergar