Início » Negócios » Apple paga US$ 113 milhões por reduzir velocidade de iPhones

Apple paga US$ 113 milhões por reduzir velocidade de iPhones

Acordo feito nos Estados Unidos encerra investigação sobre a redução de desempenho para preservar a bateria de iPhones

Ana Marques Por

A Apple vai pagar uma multa de US$ 113 milhões nos Estados Unidos por reduzir a velocidade de iPhones – polêmica que veio à tona em 2017. Essa não é a primeira vez que a empresa é penalizada pelo caso, que ficou conhecido como “Batterygate” – a Apple já foi multada na Itália e na França sob acusação de obsolescência programada.

iPhone 6s (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Em 2017, a empresa se retratou, confirmando que reduzia o desempenho do iPhones com o passar do tempo com o intuito de preservar a bateria dos celulares mais antigos, o que, em tese, contribuiria para aumentar a vida útil dos produtos e evitar desligamentos repentinos ou outros problemas.

No entanto, para as autoridades de mais de 30 estados dos EUA, a Apple estaria manipulando seus consumidores ao esconder tal prática por tanto tempo.

De acordo com as acusações, a redução na velocidade dos iPhones induzia os usuários a comprar smartphones mais novos (e mais caros). Como consequência, a empresa teria aumentando as vendas “potencialmente em milhões de dispositivos por ano”, de acordo com o procurador-geral do Arizona.

A investigação resultou em uma penalidade de US$ 113 milhões e um compromisso legal de transparência para a Apple, que esclareça as práticas adotadas em relação à integridade da bateria e o gerenciamento de energia em seus dispositivos.

A Apple não comentou o caso, mas em 2018 já havia ajustado suas configurações para tornar essas informações mais claras. Desde o iOS 11.3, a redução de desempenho pode ser desativada nos ajustes do iPhone para evitar lentidão.

Com informações: The Washington Post

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Leonardo Brandão Gonçalves (@leonardobg7)

Mas a questão nem é essa. É fazer isso sem avisar. No fundo todo mundo sabe que é para vender mais aparelho. Foi só um pretexto

Assim como não vender celular com carregador com pretexto de meio ambiente. Poderia processar de novo pq como uma empresa afirma que não vai colocar carregador para preservar o meio ambiente sendo que coloca cabo que não é compatível com os carregadores das gerações anteriores? Forçando o usuário a comprar um carregador novo.

Fala logo que é para não aumentar o custo. Agora mentir na cara dura com papo de sustentabilidade… Fácil não