Início » Gadgets » Philips UV-C é luminária de mesa que promete inativar coronavírus

Philips UV-C é luminária de mesa que promete inativar coronavírus

Dispositivo da Philips usa raios ultravioleta para quebrar moléculas de vírus como o da COVID-19, além de bactérias e germes

Victor Hugo SilvaPor

A Signify apresentou nesta terça-feira (24) a Philips UV-C, uma luminária que, segundo a empresa, é capaz de inativar em alguns minutos vírus como o da COVID-19, além de bactérias e germes. O aparelho, que já é vendido na Europa e nos Estados Unidos, foi lançado no Brasil com preço sugerido de R$ 1.299.

Philips UV-C (Imagem: Divulgação/Signify)

Philips UV-C (Imagem: Divulgação/Signify)

As lâmpadas UV-C, isto é, que emitem raios ultravioleta, já são utilizadas em ambientes de maior circulação, como hospitais, para quebrar moléculas de DNA e RNA, e impedir a multiplicação de vírus como o novo coronavírus (SARS-CoV-2), além de bactérias e outros microrganismos. A Philips UV-C, porém, tem o objetivo de desinfectar ambientes domésticos.

Segundo a Signify, a luminária desinfecta o ar e superfícies em locais como sala, quarto e banheiro. Para isso, ela tem uma lâmpada UV-C que promete deixar o cômodo limpo por meio de sessões de radiação de até 45 minutos. Este é o tempo necessário para limpar uma área de cerca de 28 m², como uma sala.

Em ambientes menores, o tempo recomendado também é reduzido. Um local com cerca de 20m², como um quarto, necessita de uma sessão de 30 minutos, enquanto um de 13 m², como um banheiro, precisa de 15 minutos para a desinfecção. A luminária permite realizar sessões com as três durações, que podem ser selecionadas por meio de um timer.

Philips UV-C (Imagem: Divulgação/Signify)

Philips UV-C (Imagem: Divulgação/Signify)

A Philips UV-C conta com um guia de voz em português, que orienta para o uso do aparelho com segurança. Para iniciar a desinfecção com a luminária, é preciso desbloqueá-la ao apertar o botão de início por três segundos. Em seguida, basta configurar o timer e apertar no botão de início novamente. A Signify afirma que esse processo existe para evitar que o aparelho seja ligado por acidente.

Philips UV-C só funciona se não houver movimento

Como a exposição a raios ultravioleta pode ser prejudicial aos olhos e à pele, a luminária tem alguns mecanismos de segurança para impedir seu funcionamento na presença de pessoas e animais. Uma dessas medidas envolve o uso de sensores de movimento com alcance em um raio de 3 metros.

Com eles, a sessão da Philips UV-C só começa quando nenhum movimento é detectado no ambiente durante 30 segundos. Caso o processo de desinfecção esteja ocorrendo e alguém entre no local, o sensor identifica a presença e desliga a luminária. Para garantir a detecção do movimento, o dispositivo tem três sensores, sendo um principal e dois reservas que entram em ação em caso de falha.

Os raios ultravioleta conseguem quebrar móleculas de DNA e RNA quando estão entre 200 e 280 nanômetros de comprimento. Neste intervalo, eles são conhecidos como raios UV-C. A luminária opera em um comprimento de 257 nanômetros, o que, segundo a Signify, garante que não há emissão de ozônio, gás prejudicial aos seres humanos.

A Philips UV-C pesa 712 gramas, tem 24 cm de altura e sua lâmpada tem tempo de vida útil de 9 mil horas. A luminária de mesa está à venda na loja da Philips e de suas parceiras.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
6 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

² (@centauro)

Poxa, achei que daria pra colocar em cima do roomba e desinfectar tudo.

E dei uma procurada no site da Phillips, mas não vi a lâmpada avulsa pra comprar. Deve ser caro pra caramba também.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Provavelmente a restrição de movimento é por presunção de ter alguém por perto. Animais e pessoas não podem entrar em contato direto com ultravioleta.

🤷‍♀️ (@xavier)

Além do que o Douglas disse, claramente a lâmpada é alimentada por uma tomada, então sequer teria condições de fazer isso.

² (@centauro)

Sim, no texto está escrito o motivo pelo qual foi colocado sensor de movimento.
UV-C é nocivo aos seres humanos então você não quer esse negócio ligado perto de gente.
Tanto é que esse é o motivo pelo qual usam robôs (não sei se autônomos ou controlados remotamente) para limpar hospitais e a limpeza é feita sem ninguém por perto.
Em hospitais eles usam robôs porque ali é um ambiente em que você precisa uma limpeza com mais garantia de todos os ângulos e mais rápida, então não dá pra só colocar uma lâmpada no meio do quarto e boa.

O comentário sobre colocar num roomba foi meio que uma piada. Fora que eu nem sei se colocando em cima de um roomba todas as superfícies seriam iluminadas por tempo o suficiente para realizar a desinfecção (no site da Phillips eles mencionam estudos que dizem ter desativado 99,9% dos SarS-COV-2 de uma superfície em menos de 30 segundos de exposição de UV-C, mas eu não sei exatamente quais foram as condições do experimento e quão próximo essas condições seriam de um uso doméstico).

Eu (@Keaton)

Sempre que vejo alguém lançando esses dispostivos, lembro disso:

² (@centauro)

A diferença é que UV-C é conhecido e estudado faz tempo e esse pendrive da matéria é pura orgia mental sob efeito de anfetamina.




Eu (@Keaton)

Que nada. É scam mesmo.

Mas ainda acho que seja exagero usar esse tipo de produto em casa. Mas, né…

Eu sei que UVC até consegue matar, mas também sei o seguinte:

UVC radiation can cause severe burns (of the skin) and eye injuries (photokeratitis). Avoid direct skin exposure to UVC radiation and never look directly into a UVC light source, even briefly.

A radiação UVC pode causar queimaduras sérias (de pele) e danos aos olhos (fotoqueratite). Evite exposição direta da pele à radiação UVC e nunca olhe direto numa fonte de luz UVC, nem mesmo por pouco tempo.

Fonte: https://www.fda.gov/medical-devices/coronavirus-covid-19-and-medical-devices/uv-lights-and-lamps-ultraviolet-c-radiation-disinfection-and-coronavirus

² (@centauro)

Sim, os riscos também são conhecidos e é por isso que essa luminária da Philips tem sensor de movimento e por isso que em hospitais eles usam robôs pra fazer esse tipo de limpeza.

E usar em casa é mais uma questão de praticidade, que nem um roomba. Você deixa ele lá ligado e o cômodo é desinfetado enquanto você faz outra coisa em outra parte da casa.

Eu (@Keaton)

Bom, o sensor de movimento falha se alguma pessoa estiver parada ou se um bicho dormir no local. hahaha

Mas sei lá… ainda acho exagero isso.

Lucas (@guaip)

Só colocar uma bateria de carro e um transformador 12v-127v em cima do roomba, além da lâmpada. Facinho facinho

Eu (@Keaton)

Ai tu arroomba o coitado do Roomba… hahaha

https://tecnoblog.net/?post_type=post&p=404942