Início » Negócios » Xiaomi chega ao 5º lugar em venda de celulares no Brasil

Xiaomi chega ao 5º lugar em venda de celulares no Brasil

Xiaomi vendeu 46,6 milhões de celulares no mundo e chegou ao 5º lugar no mercado de smartphones no Brasil

Felipe VenturaPor

A Xiaomi divulgou seu resultado financeiro do terceiro trimestre e atingiu uma série de recordes, incluindo 46,6 milhões de celulares vendidos. Além disso, a fabricante revelou que está em quinto lugar no mercado de smartphones do Brasil; ela tem representação oficial no país através da DL Eletrônicos.

Xiaomi Mi Store (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

Xiaomi Mi Store (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

Sabíamos que a Xiaomi tinha ultrapassado a Apple para ocupar o terceiro lugar em vendas de celular, isso em termos globais. No entanto, as consultorias geralmente não abrem os números sobre o mercado brasileiro por questões contratuais.

Historicamente, a Samsung fica em primeiro lugar por aqui, seguida pela Motorola, LG e Apple (sim, mesmo com os preços altos). O quinto lugar agora pertence à Xiaomi, de acordo com a Canalys; o dado se refere ao mês de novembro de 2020.

A DL Eletrônicos iniciou sua parceria com a Xiaomi em 2019, inaugurando duas Mi Stores físicas em São Paulo, além da loja online. Ela vende de forma oficial o Poco X3 NFC, Mi Note 10, Redmi 8, Redmi Note 9, entre outros. Os preços variam atualmente entre R$ 1.049,99 (Redmi 8A) e R$ 7.999,99 (Mi 10T Pro 5G).

Há também as importações diretas de celulares, além de canais não-oficiais que costumam vender aparelhos sem homologação da Anatel e sem pagar o imposto de importação. Durante o segundo trimestre de 2020, foram comercializados 790 mil smartphones no mercado cinza do Brasil, contra 8,35 milhões em canais oficiais, segundo a IDC.

Xiaomi está em 5º lugar em vendas no Brasil (Imagem: Reprodução/Xiaomi)

Xiaomi está em 5º lugar em vendas no Brasil (Imagem: Reprodução/Xiaomi)

Xiaomi aumenta lucro com Mi e Redmi

A Xiaomi teve um bom resultado financeiro no geral. A receita global no trimestre foi de 72,2 bilhões de iuanes (cerca de R$ 59 bilhões), crescimento anual de 34,5%. O lucro líquido ajustado foi de 4,1 bilhões de iuanes (R$ 3,3 bilhões), alta de 18,9% no período.

Ela bateu recorde de faturamento, lucro e venda de celulares. Parte disso se deve a uma estratégia focada em dois segmentos: Mi para celulares mais caros, e Redmi + Pocophone para aparelhos mais acessíveis, o que ajudou a aumentar o valor médio.

A empresa destaca que, de janeiro a outubro deste ano, ela vendeu mais de 8 milhões de smartphones globalmente com preços de varejo iguais ou superiores a 3.000 iuanes na China continental e 300 euros (ou equivalente) em outros países.

Enquanto isso, a Redmi foi responsável por 3 dos 10 smartphones mais vendidos do mundo no terceiro trimestre de 2020, segundo a Canalys: trata-se do Redmi Note 9, Redmi 9 e Redmi 9A. O ranking é liderado pelo iPhone 11 e novo SE, da Apple.

Com informações: Xiaomi.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@LeandroCSC

Por tudo que entrega , marketing e alvoroço do clã, ficar atrás da LG pra mim soa constrangedor. Já está em tempo da Xiaomi rever as estratégias pro mercado brasileiro. Isso é,se ela quiser de fato alcançar o top 3 no mercado.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Queria saber se esse quinto lugar foi contabilizado o que foi vendido via canal oficial, ou colocaram no bolo esse monte de contrabando e importação.

Não tira o mérito de ter obtido penetração no Brasil, mas fica em desvantagem frete as concorrentes que tem os dados de vendas nacional.

O quarto lugar não era a Apple ?

Juliano Pereira de Castro (@JulianoJPC)

Se conta o mercado “cinza”, xiaomi é top 3 aqui, no mínimo.

Os fanáticos da Apple que não têm condições de pagar o preço exorbitante atualmente praticado estão quase todos indo para a Xiaomi, que agora também tem os seus “fanáticos”.

Não aguento ver alguém falando “vc já usou um xiaomi” ou “já ouvi falar da xiaomi”.

Mas, oficialmente, é fato que ela não está tão bem no Brasil. O preço tá exorbitante, e este negócio de parceria não dá certo. Quando se faz parceria, tem que dividir lucro com a parceira, e só por isto já se vê que o preço infla um pouco mais.

Eduardo Spaki (@Eduardo_Spaki)

Ninguém sabe o quarto lugar, e a reportagem posiciona um top 5!?
Que beleza de matéria, hein!?

² (@centauro)

Isso foi a própria Xiaomi que falou, não foi a reportagem que tirou a informação do nariz.
A reportagem reproduziu a informação.

@ksio89

Duvido que alguém compre Xiaomi que não seja do mercado cinza, inviável os preços cobrados em revendedores autorizados, mata todo o CxB dos aparelhos. E jurava que estaria em 3º no rankinf, os smartphones dela são muito melhores que os da LG.

@teh

Supresa é a LG em uma barco furado ainda em terceiro lugar…

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

Acho que isso só mostra o quanto o brasileiro ainda é desligado de tecnologia. O que a LG fez com a linha K esse ano, foi safadeza. Trouxe aparelhos bem mais ou menos, beirando a ser inferior a geração passada, porém com nomenclatura se dizendo superior.

Juliano Pereira de Castro (@JulianoJPC)

Acho que é o mercado básico p começo de intermediário que fez render a posição. Os redmi lançados (8a, 9a, 9c etc).

@ksio89

Ué, e cadê a Asus?