Início » Computador » Desenvolvedor promete Linux no Apple Silicon em novo projeto

Desenvolvedor promete Linux no Apple Silicon em novo projeto

Hector Martin criou um Patreon para financiar projeto que leva Linux para novos Macs com chip M1 (Apple Silicon)

Emerson AlecrimPor

Muita gente gostaria de ter um Mac com chip M1 (Apple Silicon) rodando Linuxaté Linus Torvalds. É por causa disso que um desenvolvedor resolveu encarar essa missão: Hector Martin, também conhecido como “Marcan”, criou um Patreon para financiar um projeto que leva o Linux para os novos Macs com M1. Mais de 800 pessoas já estão contribuindo.

Não é a primeira vez que Martin se aventura em fazer o Linux explorar territórios inexplorados. Em 2016, ele conseguiu fazer o sistema operacional rodar no PlayStation 4 (PS4).

Chip Apple M1 (Imagem: Reprodução/Apple)

Chip Apple M1 (imagem: reprodução/Apple)

Só que, agora, o desafio é muito mais complexo, tanto que o desenvolvedor terá que se dedicar ao projeto em tempo integral. É por isso que Martin buscou financiamento no Patreon. Ele estabeleceu como objetivo mínimo US$ 4 mil por mês — valor já alcançado. Os valores de contribuição vão de US$ 3 a US$ 48 mensais.

Para convencer os apoiadores, Martin explicou que realiza engenharia reversa de dispositivos desde o início dos anos 2000. Além do projeto que levou o Linux para o PS4, ele já se envolveu com iniciativas open source para Nintendo Wii e PlayStation 3, por exemplo.

Com relação aos Macs com Apple Silicon, Martin explica que o objetivo é criar um port Linux para a plataforma que funcione com todo o hardware básico e inclua recursos como gerenciamento de energia.

O maior desafio será a GPU do chip M1. No PS4, o projeto avançou porque o console tem uma GPU fornecida pela AMD que é apenas ligeiramente diferente das opções da marca disponíveis no mercado. O M1, porém, é totalmente fechado. O próprio Torvalds deu a entender que, sem uma flexibilização por parte da Apple, levar o Linux para os novos Macs será difícil.

A Apple não apoia a ideia, por isso, Martin terá que fazer engenharia reversa dos drivers da companhia. Apesar disso, o desenvolvedor sinaliza que, se o projeto não envolver o código do macOS, não enfrentará problemas legais.

Pesa a favor da iniciativa o fato de o Apple Silicon permitir inicialização de kernels personalizados. Esse já é um bom começo para o projeto.

Com informações: MacRumors.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
2 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sérgio (@trovalds)

Bom, só pra deixar esclarecido: o Linux já tem kernel ARM. O que o desenvolvedor vai fazer é tentar portar esse kernel pro chip M1 e conseguir fazer o hardware (da Apple) funcionar por completo.

Vai ser de fato um baita esforço mas ele já tem uma base pra desenvolver em cima.