Início » Computador » Apple Silicon de 32 núcleos entra em testes para substituir Intel

Apple Silicon de 32 núcleos entra em testes para substituir Intel

Novos chips Apple Silicon devem permitir que toda linha Mac se torne independente dos processadores Intel até 2022

Emerson Alecrim Por

O chip M1 (Apple Silicon) é o primeiro grande passo da Apple rumo a um futuro totalmente independente da Intel. Os próximos passos já vêm sendo ensaiados: a companhia tem trabalhado em processadores sucessores que podem ter até 20 núcleos. Para 2022, a empresa deve dar um passo além e lançar um Mac Pro com chip Apple Silicon de 32 núcleos.

É o que aponta a Bloomberg. De acordo com o veículo, os engenheiros da Apple testam chips que, além do já mencionado Mac Pro, poderão equipar iMacs e versões atualizadas do MacBook Pro, por exemplo. Vale lembrar que o atual chip M1 marca presença somente no MacBook Pro mais básico (versão de 13 polegadas), no MacBook Air e no Mac Mini.

Chip Apple M1 (Imagem: Reprodução/Apple)

Chip Apple M1 (imagem: reprodução/Apple)

Na prática, isso significa que a Apple caminha para ter toda a sua linha de computadores baseada na arquitetura ARM. Mas, para isso, é preciso garantir que os novos processadores tenham desempenho consistentemente superior aos da Intel.

Para chegar a esse objetivo, a Apple estaria desenvolvendo chips com até 20 núcleos: 16 núcleos de alto desempenho e quatro focados em eficiência enérgica. É possível, no entanto, que o próximo MacBook Pro e o primeiro iMac com Apple Silicon também tenham versões com chips de 8 ou 12 núcleos de alto desempenho.

Mas o que mais chama atenção é a possibilidade de a Apple apresentar, até 2022, um processador com 32 núcleos de alta performance, chip que, como já informado, viria para equipar o Mac Pro e, possivelmente, uma versão mais avançada do iMac.

Aparentemente, o grande desafio da próxima fase está em corresponder à demanda por performance de GPU. Para tanto, a Apple deverá criar chips em versões com 16 e 32 núcleos gráficos. Equipamentos mais avançados poderão contar com 64 ou 128 núcleos do tipo. Para fins de comparação, o atual Apple M1 tem desempenho gráfico garantido por sete (MacBook Air) e oito núcleos.

Poderia ser o fim não só dos processadores Intel na família Mac, como também das GPUs AMD Radeon por ali, consequentemente.

Se os rumores se confirmarem, a Apple terá terminado totalmente a transição para a sua própria família de chips em 2022.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lucas Prudencio (@LEMMiNOw)

Achei muito satisfatório o desempenho do Apple M1, agora acho que chegará o desafio de ver o quão bem os chips ARM irão escalar em performance quando possuem mais núcleos e thread para trabalhar.

J. Alves (@alves)

E tinha gente dizendo que ia fracassar porque os modelos mais básicos tinham no máximo 16GB de RAM, como se uma empresa que vale trilhões não fosse pensar em aumentar esse limite para os modelos mais potentes.