Início » Negócios » Amazon traz Fulfillment ao Brasil para entregas grátis no Prime

Amazon traz Fulfillment ao Brasil para entregas grátis no Prime

No programa de logística FBA, Amazon guarda produtos de lojas de marketplace em armazéns e cuida da entrega aos clientes

Felipe VenturaPor

A Amazon anunciou nesta quarta-feira (9) que está trazendo ao Brasil o programa de logística FBA (Fulfilment By Amazon): isso significa que ela vai armazenar o estoque de lojas parceiras e ficará responsável por empacotar e entregar esses produtos aos clientes. Com isso, mais itens à venda no marketplace poderão receber o selo Prime para ter frete grátis.

Centro de distribuição (Imagem: Divulgação/Amazon)

Centro de distribuição (Imagem: Divulgação/Amazon)

Como funciona o FBA – Logística da Amazon

O programa FBA se aplica a lojas do marketplace localizadas no estado de São Paulo, e que estejam sob o regime tributário do Simples Nacional. O parceiro envia seus produtos para um centro de distribuição da Amazon, que ajuda na estratégia comercial indicando quantas unidades deveriam ficar disponíveis em seus armazéns.

A Amazon cuida do restante do processo, empacotando o produto para entregá-lo à transportadora quando alguém realizar a compra. Ela também fica responsável pelo atendimento de pós-venda, disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Os produtos recebem o selo Prime, ou seja, eles têm frete expresso grátis para assinantes do Amazon Prime, que custa R$ 9,90 ao mês e inclui outros serviços como o Prime Video. O prazo é de 2 dias úteis em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Goiânia, Florianópolis e Vitória; em outras cidades, isso pode variar de 3 a 5 dias úteis.

Lojas que usem o FBA terão que pagar uma comissão maior para a Amazon; atualmente, as taxas variam de 11% a 15%. No primeiro ano do serviço, os parceiros não serão cobrados pelo armazenamento nem pelos custos de envio do estoque para os armazéns.

Caixas da Amazon (Imagem: Christoph Scholz/Flickr)

Caixas da Amazon (Imagem: Christoph Scholz/Flickr)

Amazon tem FBA Onsite fora de SP

Há também o FBA Onsite, disponível para parceiros fora de SP ou fora do Simples. Neste caso, a loja mantém seus produtos em um armazém próprio, mas usa as ferramentas da Amazon para gestão de estoque. Aqui, os itens também recebem o selo Prime.

No FBA Onsite, o parceiro fica responsável pelo manuseio e empacotamento, mas é uma transportadora parceira da Amazon que faz a coleta e a entrega para endereços de todo o Brasil. Ela também cuida de eventuais devoluções, enquanto a Amazon presta atendimento na pós-venda. Isso está disponível na Bahia, Pernambuco e Distrito Federal, além das regiões Sul e Sudeste.

Alex Szapiro, country manager da Amazon no Brasil, diz em comunicado que “o lançamento do FBA é mais um passo em nossa expansão”. Recentemente, a empresa anunciou três novos armazéns em Betim (MG), Santa Maria (DF) e Nova Santa Rita (RS). No total, ela possui oito centros de distribuição no Brasil.

Vale notar que, desde 2017, o Mercado Livre oferece um programa de fulfillment semelhante ao da Amazon: o Mercado Envios Full responde por 22% das vendas na plataforma, segundo o Brazil Journal. Além disso, a B2W — dona do Submarino, Americanas e Shoptime — conta com esse tipo de serviço desde 2018, que já é utilizado por cerca de mil lojistas.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@ksio89

Bacana, agora já posso comprar produtos superfaturados, falsificados ou sem nota fiscal de marketplace de fundo de quintal com frete grátis.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Demorou, o ML tá fazendo a festa nesse segmento, única transportadora que entrega rápido na minha cidade.

Eu (@Keaton)

Até que enfim.

Alex (@wuhkuh)

Finalmente, eu mesmo só compro na Amazon e o que tiver com Prime, pois pro Norte todo mundo quer cobrar 70 reais só de frete, tô fora!

Alex (@wuhkuh)

ksio e sua negatividade

🤷‍♀️ (@xavier)

A cada dia que passa o Prime vale mais a pena.

Sérgio (@trovalds)

Concorrente de peso pro Full do Mercado Livre. Com a diferença do frete grátis com Prime. Gosto bastante.

Darllan Marinho (@Darllan_Marinho)

Mesma proposta do Mercado Livre Full. Conseguem garantir uma maior agilidade no envio do produto. Já comprei algumas vezes pelo ML, de São Paulo para Natal já chegou em 3 dias úteis.

@ksio89

kkkk admito que sou muito pessimista, mas é porque não consigo me animar com marketplaces desconhecidos e duvidosos que infestam as grandes lojas do Brasil, como as Olist da vida.

Mas não deixa de ser uma ótima notícia, ratificando o que já comentei uma vez: varejo online no Brasil se resume a Amazon, Magalu e Mercado Livre, justamente por terem a melhor logística.

Enquanto uma loja sem vergonha como a Americanas cobra para retirar na loja e piora a assinatura Prime com o tempo, deixando cada vez menos produtos elegíveis ao frete grátis e restringindo a disponibilidade às regiões Sul e Sudeste.

Alex (@wuhkuh)

Essa da Americanas é de cair o cu da bunda, o auge é que a C&A também faz a mesma coisa, eu fico besta na audacia

Geraldo Lopes (@geralldoloppes)

Evito o máximo comprar pelo B2W Marketplace (Americanas, Submarino e Shoptime). Ali é terra de ninguém, estão nem aí para o comprador e você é que se vire se der merda. Sério, pior somente o OLX que é pedir para tomar prejuízo…

Sérgio (@trovalds)

Olist é um marketplace dentro do marketplace. Dessa eu corro mais que o Usain Bolt batendo recorde dos 100m.

E o complicado da Amazon (ainda) é que o sistema de reputação dos vendedores não é claro o suficiente. Nisso o ML ganha por muito.

Nesse meio tempo vou me equilibrando entre ambas (de uma forma geral): tem coisas que só acha em marketplace, então vou por ML. Se é vendido e entregue pela Amazon (ou outro B2C confiável), vou nesses.

Eu (@Keaton)

Caraca… Vou criar mais um marketplace para anunciar no Olist enquanto eles anunciam nos outros marketplaces. Corrente de marketplaces. :V

@ksio89

Eu também fico boquiaberto com a cara de pau de loja que cobra pra retirar na loja. Na prática isso faz a loja perder a venda, pois acaba saindo mais caro que comprar na concorrência.

Pior que é verdade, muitos produtos só se encontra em marketplace ou no ML. Só que o frete absurdo dos Correios invibializa a compra, e ainda tem aborrecimento com possível atraso ou extravio. Não me recordo da última vez que comprei em marketplace que não fosse o ML, justamente por causa do frete sem noção.