Início » Negócios » Exclusivo: Amazon vai lançar serviço próprio de entregas no Brasil

Exclusivo: Amazon vai lançar serviço próprio de entregas no Brasil

Amazon Logistics será concorrente para Correios, Loggi e outras transportadoras no Brasil, começando por SP, Rio, BH e Brasília

Felipe Ventura Por

A Amazon está prestes a lançar um concorrente para os Correios, Loggi e outras empresas de logística: segundo apurou o Tecnoblog, ela prepara a chegada do serviço próprio Amazon Logistics, e possui um programa para recrutar pequenas empresas de entregadores em quatro grandes cidades do país. Ela também abriu mais armazéns para acelerar as entregas em diversas regiões.

Amazon prepara serviço de logística no Brasil (Imagem: Divulgação)

Amazon prepara serviço de logística no Brasil (Imagem: Divulgação)

O programa DSP (Delivery Service Partner) quer criar uma rede de pequenas empresas de entrega independentes, que cuidem do envio de encomendas em nome da Amazon. Ela está buscando provedores de serviços de entrega em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília.

Dessa forma, a Amazon poderá depender menos de outras transportadoras, mas sem substituí-las completamente. Hoje, ela utiliza os serviços dos Correios, Total Express, Sequoia, Loggi, Jadlog, Shippify, OnTime, Diálogo, Dominalog e TLOG (Venkon). Um artigo de suporte para o Brasil já menciona a Amazon Logistics.

Isso se parece com o que é feito nos EUA: no ano passado, a Amazon deixou claro que concorre com “serviços de transporte e logística”; mas não deixou de contratar parceiros como UPS, FedEx, DHL e U.S. Postal Service.

O Mercado Livre vem seguindo uma estratégia semelhante: o Mercado Envios reduziu sua dependência em relação aos Correios, por onde passaram 20% de suas entregas em 2019 — três anos antes, eram 90%. Ela confirmou interesse em adquirir a estatal; a Amazon também deve participar do processo de privatização.

Como será o Amazon Logistics no Brasil

Van de entrega (Imagem: Divulgação/Amazon)

Van de entrega (Imagem: Divulgação/Amazon)

Segundo a Amazon, cada empresário no programa DSP terá custos iniciais de aproximadamente R$ 45 mil, mais o capital de giro, para iniciar os negócios. Isso corresponde à “abertura de pessoa jurídica e alvarás, serviços profissionais como honorários de contador e advogado, compra de suprimentos (como laptops), custos de recrutamento (como anúncios de empregos, exames toxicológicos e treinamento dos motoristas), além de viagem para treinamento do proprietário se necessário”.

A Amazon estima uma receita mensal de R$ 150 mil a R$ 350 mil, com lucros girando entre R$ 12 mil e R$ 22 mil, para proprietários que operarem com 20 a 40 vans de entrega. Ela garante que não é necessário ter experiência em logística, prometendo suporte e treinamento para seus parceiros.

Site da Amazon Logistics no Brasil (Imagem: Reprodução)

Site da Amazon Logistics no Brasil (Imagem: Reprodução)

Por enquanto, a Amazon só aceita inscrições de candidatos que foram convidados por e-mail, mas isso deve se expandir no futuro. Ela avisa que “este é um programa altamente competitivo com um número limitado de vagas disponíveis”; e explica que analisará diversos aspectos de cada candidato, incluindo histórico de trabalho, educação e dados financeiros.

Após receber a inscrição, a Amazon dará um retorno em 4 a 8 semanas e fará uma entrevista inicial com os candidatos selecionados. Eles poderão ser convidados para uma estação de entrega local, a fim de vivenciar como é gerenciar uma empresa de logística.

Ela ainda não menciona o Amazon Flex, serviço com entregadores autônomos já presente nos EUA, mas esse poderia ser o próximo passo no Brasil.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
24 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

DilRibeiro (at 🏡) (@dilribeiro)

Cada vez eu amo mais a Amazon.

Igor (@igor_meloil)

Daqui a pouco aparece um gênio dizendo q correio tem monopólio no Brasil

João M. (@RonDamon)

Vix, vai descabelar muita transportadora.

Sérgio (@trovalds)

Correios tem monopólio Constitucional no envio de cartas. Encomendas é outra coisa.

E o que a Amazon vai fazer na verdade é criar uma rede de franquias de transporte e logística, aparentemente focado na “última parte”, que é quando sai de um armazém pra entrega ao cliente. Isso não é exatamente novo no BR, algumas empresas como a Braspress já trabalham com entregadores independentes. Só não sei exatamente em qual modalidade é o contrato.

Mickey Sigrist (@Mickey)

Grande dia, grande notícia! Torço pelo sucesso da Amazon por aqui e pra que os Correios consigam se tornar mais competentes e competitivos (independente de ser privatizado ou não). Já passou da hora de termos uma competição mais acirrada e que eleve a qualidade e disponibilidade desses serviços aqui no Brasil.

JulioCampos (@juliocesar)

Enquanto isso em outra loja de e-commerce, 3 dias e ainda não despacharam minha compra, né Americanas.com? O que será que essas empresas ineficientes e incapazes de se adaptarem a nova realidade vão fazer? Não duvido em recorrer a lob de deputados para criar leis com desculpa que a Amazon faz concorrência predatória…

Islan Oliveira (@Islan_Oliveira)

Espero que a Amazon largue logo os Correios, se possível. Última compra que fiz na Amazon, eles enviaram pelos Correios. O produto saiu de Recife com destino ao Piauí, mas foi dar uma voltinha em São Paulo…

Vítor Gomes Neves Oliveira (@vctgomes)

Exatamente. Se a empresa estiver infeliz com os Correios, só buscar sua própria alternativa, que sempre existiu. No caso, eu prefiro infinitamente os Correios do que as transportadoras, porque aqui é sempre mais rápido.

Ao invés de pedir privatização, deveriam pedir era mais concorrência.

Guto (@gutocabral)

Aqui é o contrário… sempre que eu compro eu já entro no chat da Amazon e imploro para enviarem via Correios.

Acho que o que falta em todos os e-commerces no Brasil é mapear qual transportadora funciona melhor em cada localidade. Isso eu não vejo acontecendo nem na Amazon.

Sei que os Correios tem milhares de problemas, mas aqui entregam normalmente em 3 dias com rastreamento detalhado.
A Sequoia, por exemplo, que é tão elogiada em alguns lugares, aqui é incapaz de cumprir o prazo (normalmente 20 dias, vindo de São Paulo) e sempre entrega até 10 dias atrasada e sem rastreamento.

@teh

Show de exclusividades essa semana pro tecnoblog

Igor (@igor_meloil)

Cara, valeu por ter entendido, achei q era óbvio mas pelo visto não é kkkkk

Eu (@Keaton)

Espero que eles deixem a poha da RedeSul de fora… hahaha
Ô empresa bacana. receberam meu pacote no dia 6 às 06AM entregaram hoje quase 04PM. 3 dias acumulando poeira… eles tão pensando que são quem? Os Correios de Curitiba?

Monopólio só de correspondências.

Gigo CAP (@GigoCAP)

Quem comprou a TNT - Mercúrio foi a FEDEX. E complemento, tá uma porcaria essa fase de transição.

@ksio89

Nem se compara, nunca extraviaram ou deixaram de entregar encomenda ou correspondência como já aconteceu várias vezes com os Correios. Não é perfeito mas é muito melhor. Funcionário de transportadora também não faz greve. E o melhor, transportadora não é cabide de emprego e nem é sustentada com o dinheiro do contribuinte.

Rodrigo (@rodrigo1)

É que assim, cada pessoa tem uma experiência individual diferente. Comigo sempre fui muito bem atendido pelos correios, exceto num fim de ano que o PAC estava demorando horrores, mas o Sedex estava bem (foi qd montei meu PC e por engano escolhi PAC na placa de vídeo, enfim, comprei na black friday só recebi em janeiro).

Com transportadoras, hoje em dia parece que o prazo de entrega está melhor, mas já teve vezes de demorar muito tb, e já aconteceu o famigerado “destinatário ausente” com transportadora comigo, mesmo estando em casa. Mas é raro, confesso.

“Funcionário de transportadora também não faz greve.” Pra mim isso é negativo. Mas cada um enxerga o mundo à sua maneira.

“E o melhor, transportadora não é cabide de emprego” Já conheci MUITA empresa privada cujo gerente de sei lá o que era filho do dono, sobrinho do dono etc. Não é essa farra toda como em alguns órgãos públicos, claro. Mas existe.

“sustentada com o dinheiro do contribuinte.” Não vejo problemas nisso, exceto quando é para bancar o privilégio de uns e outros.

Exibir mais comentários