Início » Internet » Star+, novo streaming da Disney, chega ao Brasil em 2021

Star+, novo streaming da Disney, chega ao Brasil em 2021

Com produções “para maiores” e programação esportiva, o serviço ganhará um aplicativo dedicado na América Latina

Ana MarquesPor

A Disney anunciou nesta quinta-feira (10) a chegada do Star+, seu novo serviço de streaming, ao Brasil. Destinado às produções “para maiores” da empresa, o Star+ terá um aplicativo dedicado, independente do Disney+. Entre os destaques da programação está a série de animação Os Simpsons.

Disney anuncia chegada do Star+ no Brasil

Disney anuncia chegada do Star+ no Brasil (Imagem: Reprodução/Disney)

O cenário na América Latina é diferente do programado para a Europa. Por lá – e também no Canadá e na Nova Zelândia –, os clientes terão acesso ao Star (sem “Plus”) por meio de uma aba dentro do app do Disney+, a partir de 23 de fevereiro, mediante a uma taxa extra na assinatura.

Aqui, o Star+ chega com um aplicativo totalmente separado, em junho de 2021. O serviço também terá um custo à parte, mas a empresa ainda não anunciou valores. Cabe lembrar que o Disney+ tem mensalidade de R$ 27,90 ou anual de R$ 279,90.

Os Simpsons e outros conteúdos “para maiores”

As primeiras informações sobre o lançamento do Star+ no Brasil começaram a circular em novembro, durante o período de divulgação da chegada do Disney+ no país.

Questionada sobre a presença de Os Simpsons no catálogo do serviço recém-anunciado, a gerente de estratégia e desenvolvimento de negócios da Disney no Brasil, Juliana Oliveira, afirmou que a série teria grande importância para um novo serviço da empresa no Brasil.

Além da animação, podemos esperar conteúdo do FX e da 20th Century, como American Horror Story e Logan. Os clientes do Star+ também terão acesso à programação de esportes ao vivo da ESPN.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Arthur Silva Vicentini (@ArthurVX)

As principais dúvidas:

Quanto vai custar? Cerca de US$ 7,50 (R$ 37,70, na cotação de hoje) por mês Quanto vai custar o combo Disney+ e Star+? Por volta de US$ 9 (R$ 45,20, na cotação de hoje) por mês Vai ter plano sem conteúdo da ESPN (afinal, direitos esportivos são mais caros)? O combo Globoplay e Disney+ vai acabar? (Afinal, ESPN) Quais competições serão transmitidas? (Uma delas vai ser a Libertadores?) Algumas competições do Fox Sports (que está literalmente com os dias contados - 1/1/2022 é o dia da despedida) vão pro Star+ e serão exclusivas do serviço? Os Simpsons ficam no catálogo do Disney+ ou vão pro Star+ (na América Latina), pro Hulu (nos EUA) e pro Star no Disney+ (no resto do mundo)? (Resposta: Na América Latina, vão pro Star+ - com todas as 32 temporadas)
A (@ksssskkkks)

desde o início foi por tempo limitado. (fonte: O que é a oferta do Disney+ pelo Globoplay? – Cental de Ajuda Disney+)

Arthur Silva Vicentini (@ArthurVX)

Sim, mas não imaginava que ia durar menos de um ano (fora que o acordo também inclui divulgação do Disney+ e de seus conteúdos na TV Globo)

A (@ksssskkkks)

foi pouco tempo mesmo, mas o acordo anterior entre disney e amazon durou só um ano então eu não estou tão surpreso assim

Lucas Bonfim (@Lukas_Bonfim)

é claro que vai ter um custo a parte…porque eles pensam, e no final das contas devemos ser mesmo, trouxas, porque vai ter muita gente assinando

Arthur Silva Vicentini (@ArthurVX)

Sim, pois a marca Fox pertence à Fox Corporation, de Rupert Murdoch (dona da FOX EUA, Fox News, Fox Business, Fox Sports EUA e Tubi). Espera-se que os canais da Disney com a marca Fox fora dos EUA e da Austrália adotem a marca Star (já saiu em algum lugar que, na América Latina, o Fox Channel, Fox Life e Fox Premium vão mudar de nome para Star Channel, Star Life e Star Premium, respectivamente - isso se o Fox/Star Premium não acabar no Brasil por causa do Star+ - enquanto o Fox Sports vai ser absorvido pela ESPN e pelo Star+ - no Brasil, o último dia do Fox Sports é 1/1/2022).

Como direitos esportivos já encarecem a assinatura por conta própria, provavelmente fez mais sentido pra Disney incluir os conteúdos da ESPN no Star+ do que lançar o ESPN+ sozinho na América Latina (pra você ter uma ideia, nos EUA, o ESPN+ é o serviço de streaming da Disney com menos assinantes - e muitos deles provavelmente têm ele como parte do Disney Bundle - que inclui Disney+, Hulu e ESPN+). Mas a própria Disney já espera que mais gente assine o combo Disney+ e Star+ (cerca de US$ 9 por mês ou preço equivalente em moeda local) do que o Star+ sozinho (~US$ 7,50 por mês ou preço equivalente). Fora que, nos países onde o Star vai estar incluído no Disney+, a assinatura vai ficar €2 (ou valor equivalente em moeda local) mais cara pra todo mundo.
(Para efeito comparativo: o Disney Bundle americano - Disney+, ESPN+ e Hulu com anúncios - vai custar, com o reajuste de US$ 1 no Disney+ em março, US$ 13,99 por mês - US$ 19,99 na versão com o Hulu sem anúncios)

Renato Garcia (@Renato)

Eu juro que pensei que era outro tipo de conteúdo que estaria disponível quando li isso…

Benício Pereira (@benicioc)

Ainda bem que não faço questão do conteúdo da Disney. Que jogada porca com o mercado LATAM, na moral.

John Smith (@john)

Já vimos várias empresas lançando um serviço de streaming, agora uma única empresa resolver subdividir seu conteúdo em vários serviços distintos… é a primeira vez.

Não serei cliente.

Arthur Silva Vicentini (@ArthurVX)

A própria Disney já fez isso nos EUA: conteúdo “família” no Disney+, conteúdo “adulto” (e de terceiros, além de uma opção com canais ao vivo) no Hulu, esporte ao vivo no ESPN+.

Mas creio que ela seja a única a adotar essa estratégia no SVOD: a NBCUniversal tem o Peacock (também tem o NBC Sports Gold, mas ele na verdade é vários pacotes diferentes, ao contrário do “tudo à vontade - menos o PPV do UFC” do ESPN+), a WarnerMedia tem a HBO Max, a ViacomCBS tem o CBS All Access/10 All Access e o Paramount+, que vão se juntar no novo Paramount+ ano que vem.

A (@ksssskkkks)

tirando esse serviços de streaming temporários por causa de overlap (como cbs all access e paramount+, e hbo go, hbo now, e hbo max) como citou, isso é verdade, pelo menos por enquanto. mas tem rumores que warnermedia quer lançar mais dois serviços de streaming além de hbo max: um grátis para programas de canal a cabo de entretenimento e o outro um spin-off de cnn baseado em assinatura.

fontes: HBO Max Owner Reportedly Plans to Launch Two More Streaming Services—With Ads – Gizmodo / WarnerMedia Considering CNN Streaming Service – The Information

Arthur Silva Vicentini (@ArthurVX)

Considerando os serviços gratuitos (com anúncios), a ViacomCBS já tem a Pluto TV e a Fox Corporation (empresa de Rupert Murdoch que ficou com as partes da 21st Century Fox que não foram vendidas pra Disney - entre elas, a própria marca Fox) tem o Tubi.

A (@ksssskkkks)

tem razão, mas fox corp tem (ou vai ter) algum outro serviço de streaming além de tubi?

eu também nem consideraria pluto tv já que ele não representa lá o conteúdo da viacomcbs. faz mais sentido considerar a globo, que tem globoplay e telecine.

Arthur Silva Vicentini (@ArthurVX)

A Fox Corporation não tem um serviço de SVOD próprio (mas tem seu conteúdo no Hulu), no máximo tem o Fox Nation (serviço de SVOD com reality shows e documentários para os fãs da Fox News, entre eles, “Os Reis dos Patos”).
A ViacomCBS está nas duas frentes: SVOD (CBS All Access / 10 All Access / Paramount+) e AVOD+streaming linear gratuito (Pluto TV - que tem conteúdo de várias de suas marcas, como MTV, Nickelodeon e Porta dos Fundos).
Fora que o Peacock, da NBCUniversal, tem três níveis de serviço: gratuito (com anúncios e conteúdo limitado), premium (US$ 5/mês ou incluído na assinatura de TV ou de internet da Xfinity - marca de telecomunicações da Comcast, dona da NBCU, nos EUA; com todo o catálogo, mas com anúncios) e premium sem anúncios (US$ 10/mês ou US$ 5/mês para assinantes da Xfinity)