Início » Aplicativos e Software » Facebook Workplace vai encerrar plano gratuito para empresas

Facebook Workplace vai encerrar plano gratuito para empresas

Segundo o Facebook, plano Essential será descontinuado para manter experiência de alta qualidade esperada no Workplace

Victor Hugo Silva Por

O Workplace, plataforma do Facebook voltada para empresas, perderá seu plano gratuito. O serviço anunciou que a versão Essential será encerrada em 10 de fevereiro de 2021. A partir desta data, as companhias que usam a ferramenta deverão optar pelo encerramento de suas contas ou pela migração para um plano pago.

Workplace (Imagem: Divulgação/Facebook)

Workplace (Imagem: Divulgação/Facebook)

Segundo o Facebook, a decisão foi tomada “para manter a experiência de produto de alta qualidade que as pessoas esperam do Workplace”. A empresa afirmou que ajudará seus clientes a migrarem para versões pagas e explicou que aquelas que decidirem deixar a plataforma poderão baixar seus dados.

Mesmo com o prazo de dois meses para o encerramento do Essential, o site do Workplace já retirou o destaque para o plano gratuito. Sem ele, empresas que continuarem no serviço deverão optar pela versão Advanced, por US$ 4 mensais por usuário, ou Enterprise, por US$ 8 mensais por usuário.

As versões pagas contam com recursos como o Insights, que oferece estatísticas sobre o uso da plataforma na empresa. Há ainda o Knowledge Library, que reúne informações úteis para o dia a dia dos funcionários, e o Live Producer, que permite fazer chamadas de vídeo com perguntas e respostas, enquetes, e métricas sobre a transmissão.

Workplace trabalha em mais recursos

Para 2021, o Workplace promete soluções para contribuir com o bem-estar dos funcionários e conectar equipes de pequenas e médias empresas. Com o fim do Essential, os recursos serão gratuitos somente para as organizações sem fins lucrativos que atenderem aos requisitos do Facebook.

Lançada em 2016, a plataforma para empresas contava com cinco milhões de clientes pagos no primeiro trimestre de 2020. O serviço é um concorrente do Slack, que, no mesmo período, tinha 12,5 milhões de usuários e, no início de dezembro, foi comprado pela Salesforce por US$ 27,7 bilhões.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando