Início » Negócios » Facebook reforça campanha contra Apple e apoia Epic, de Fortnite

Facebook reforça campanha contra Apple e apoia Epic, de Fortnite

Batalha contra Epic na Justiça terá testemunho do CEO da Apple, Tim Cook, e do chefe do iOS e macOS, Craig Federighi

Ana MarquesPor

O Facebook pagou um novo anúncio de jornal para promover sua campanha contra as mudanças de privacidade que a Apple quer implementar no iOS 14. Esse é o segundo anúncio de página inteira com esta finalidade – o primeiro foi publicado ontem em alguns dos principais jornais dos Estados Unidos. A empresa de Mark Zuckerberg apoia a Epic, dona de Fortnite, que atualmente enfrenta um processo com a Apple na Justiça norte-americana.

Alerta de privacidade do iOS

Alerta de privacidade do iOS (Reprodução/Apple)

“Apple vs. the free internet”

O anúncio, que traz em letras maiores a frase “Apple vs. the free internet” (“Apple contra a internet gratuita”), afirma que as mudanças de privacidade do iOS pretendem mudar a internet como a conhecemos, forçando sites e blogs a adotarem taxas de assinatura ou apps a incluírem compras em consequência da falta de anúncios personalizados.

Apple vs Free Internet

Apple vs Free Internet (Reprodução/Facebook)

A acusação está relacionada às novas exigências que a Apple está fazendo aos desenvolvedores que oferecem aplicativos na App Store, o que inclui a necessidade de permissão para coletar dados e rastrear usuários no iPhone ou iPad.

As novas políticas têm potencial para prejudicar um dos negócios mais lucrativos do Facebook, envolvendo a publicidade personalizada – mas a companhia afirma que as consequências também virão para empresas pequenas.

Justificativa da Apple é baseada em transparência

A Apple respondeu às críticas do Facebook em um comunicado enviado ao site MacRumors:

Acreditamos que se trata de uma simples questão de defender nossos usuários. Os usuários devem saber quando seus dados estão sendo coletados e compartilhados em outros aplicativos e sites – e devem ter a opção de permitir isso ou não. A transparência de rastreamento de aplicativos no iOS 14 não exige que o Facebook mude sua abordagem para rastrear usuários e criar publicidade direcionada, apenas exige que eles dêem aos usuários uma escolha.

A empresa afirmou ainda que desenvolvedores como o Facebook poderão editar um trecho que aparece no aviso de permissão para explicar por que os usuários devem conceder o acesso aos dados de localização e ao rastreamento de informações.

Apesar das justificativas, o Facebook insiste que as mudanças da Apple visam o lucro em primeiro lugar, e não a privacidade dos usuários, e que a dona do iOS estaria agindo de forma anticompetitiva.

Facebook apoia Epic em processo antitruste contra Apple

A empresa de Mark Zuckerberg também ofereceu apoio à Epic Games em seu processo antitruste contra a Apple, e planeja fornecer materiais e documentos de apoio à dona de Fortnite. Esse caso se desenrola desde agosto, quando o jogo foi banido da App Store após a Epic desrespeitar as políticas da loja de aplicativos.

Recentemente, uma ordem emitida pelo juiz Thomas Hixson determinou algumas regras para os testemunhos do CEO da Apple, Tim Cook, e do vice-presidente sênior de engenharia de software, Craig Federighi, durante o julgamento. De acordo com a decisão, a Apple não poderá limitar o tempo do depoimento de Cook a quatro horas, e nem enviar outro representante no lugar de Federighi.

As duas empresas deverão enviar novos registros sobre o caso até 6 de janeiro, e há uma audiência marcada para 08 de janeiro. O fim do processo está previsto para julho de 2021.

Com informações: The Verge, Mac Rumors e WSJ

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

Apple colecionando inimigos

Bruno Who? (@brunossn)

Eu tenho um ranço de rico usando nome de pobre pra se promover, parece partido político no Brasil.

“Ah, os pequenos comerciante, estamos com os pequenos comerciantes, eles já estão passando momentos difíceis na quarentena”… seja honesto pelo menos uma vez, Mark! Fala que é o seu faturamento que vai cair! Para de ficar usando o elo mais fraco pra se promover, o pequeno comerciante tá pouco se lixando pra isso.

@doorspaulo

Nesse caso específico, dou razão à Apple.

Lucas Blassioli (@olucaslab)

A Apple pode ter muitos defeitos, mas ela leva a questão de privacidade bem a sério, e o Facebook tá ai, querendo usar os ‘pequenos comerciantes’ para ganhar uma briga, mas quem tá chiando é aquele cara que paga 2 milhões em anúncios por mês.

Douglas Knevitz (@Douglas_Knevitz)

A argumentação do Facebook não tem sentido algum. Ele assume que os dados estão ali e podem ser roubados e o usuário que lide com isso. Pedir permissão para cruzar os dados, ou compartilhar com terceiros é o mínimo.

O usuário sempre deve ter direito sobre seus dados, mesmo que alguns usuários não liguem, o trabalho de conscientização precisa ser feito. E essa campanha só serviu pra isso, conscientizar o usuário de que o Facebook está contra o usuário e usa uma narrativa de culpar a vítima por algo que é culpa dele.

É óbvio que fazer isso é cômodo para a Apple, já que esse nunca foi o core business dela. E tanto o facebook, quanto o Google vivem justamente de dados, são os que mais tem a perder ao deixar o usuário escolher não ser “rastreado”.

Sérgio (@trovalds)

O desespero do Zuck é patético. Quanto mais ele entrar nesse embate mais ele vai dar munição pra turma que defende a questão da privacidade e transparência na coleta de dados dos usuários. Enquanto é só o facebook, tá todo mundo meio quieto porque a plataforma não é tão rentável do ponto de vista de anúncios. Agora deixa a coisa melar pro Instagram pra ver a briga que vai ser.