Início » Finanças » Você poderá pagar até R$ 200 por aproximação sem usar senha

Você poderá pagar até R$ 200 por aproximação sem usar senha

Novo limite para pagamentos por aproximação já está valendo, mas depende da adesão das empresas de cartões

Victor Hugo Silva Por

Os pagamentos por aproximação sem o uso de senhas poderão ser aproveitados em mais compras. Isso porque o limite da modalidade passou de R$ 100 para R$ 200. O novo teto para as compras por esse meio já está valendo, mas depende da adesão das empresas de cartões.

Pagamento por aproximação (Imagem: Divulgação/Visa)

Pagamento por aproximação (Imagem: Divulgação/Visa)

O novo limite para pagamentos por aproximação foi definido pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), que identificou um aumento na demanda pela modalidade. Segundo a associação, ela movimentou R$ 22,7 bilhões entre janeiro e setembro de 2020, o que indica uma alta de 478% em relação ao mesmo período de 2019.

A expectativa da Abecs é de que a modalidade feche 2020 com R$ 40 bilhões movimentados. A nova decisão do setor marca o segundo aumento no ano do limite de pagamentos por aproximação. Em julho, o valor máximo subiu de R$ 50 para R$ 100.

A Abecs avalia que, além da agilidade nos pagamentos, a solução tem se popularizado pois é vista como uma saída segura para os pagamentos durante a pandemia do novo coronavírus. Como a modalidade dispensa o contato físico com a maquininha de cartão, muitos consumidores preferem essa opção.

Segundo a Folha de S.Paulo, o novo limite fará os pagamentos por aproximação estarem disponíveis para valores gastos em 80% das transações com cartão. Ao jornal, o presidente da Abecs, Pedro Coutinho, afirmou que a associação não encontrou nenhum problema significativo de segurança desde julho, quando houve o primeiro aumento, e mais recentemente, nos testes com o limite de R$ 200.

Pagamento por aproximação no transporte público

Segundo um levantamento da Visa, a alta nos pagamentos por aproximação acontece por conta da adesão de várias empresas a cartões com a tecnologia NFC e da oferta da modalidade em setores como o transporte público. Hoje, é possível aproximar o cartão para pagar tarifas de ônibus de São Paulo e de metrô, trens e barcas do Rio de Janeiro.

Apesar da opção de pagar com celular, relógio, pulseira e outros dispositivos, o cartão é o meio mais usado pelos consumidores, segundo registros feitos pela Visa em setembro de 2020. De acordo com a empresa, os principais segmentos que aproveitaram o pagamento contactless no período foram supermercados, restaurantes fast food, postos de gasolina, lojas de conveniência, padarias e farmácias.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Dênis Corte (@denis)

As empresas de cartões poderiam disponibilizar uma opção no aplicativo, onde o usuário pudesse escolher se quer ou não que esse tipo de transação seja autorizada sem a senha.

Monin (@Monin)

Se não me engano, no Nubank há a opção de desativar essa função.

² (@centauro)

Poder alterar o limite máximo pra compra sem senha e poder desabilitar o pagamento por aproximação (com ou sem senha) seriam interessantes do ponto de vista da segurança em alguns cenários.

Evitar aqueles golpes que passam a máquina perto da carteira pra realizar o pagamento sem a pessoa notar (supostamente mais comum em eventos), por exemplo. Não sei quão comum são esses golpes, mas se o pagamento sem senha deslanchar, pode ser que se torne comum.
Talvez alguém queira emprestar o cartão pros filhos mas não quer que eles fiquem gastando de qualquer jeito, daí coloca um limite mais baixo e não passa a senha do cartão, por exemplo.

Apenas possíveis cenários. E eu imagino que implementar essas opções não seja nada muuuuuito custoso pras emissoras.

Monin (@Monin)

Sempre quando esse assunto de pagamento por aproximação sem senha aparece, vejo relatos desse receio do golpe da maquininha.

Eu acho esse tipo de golpe bem trabalhoso de ser feito, além de chamar atenção mesmo em eventos. O meliante teria que ter muita sorte de achar uma bolsa/carteira que esteja com o cartão praticamente encostado no tecido pra permitir a comunicação com a maquininha. A aplicação desse golpe pareceria uma revista com detector de metais, acho pouco provável que os caras façam isso mesmo sabendo que eles são capazes de coisas que até Deus duvida.